15/07/2017

A moral, o valor e a ordem



Tenho percebido na propaganda institucional do desgoverno Temer de que alude ao regime militar no seu sentido ‘positivista’, herança do regime de exceção. Entretanto, os fatos e a ilustração da propaganda não se assemelham ao que se faz e ao que fez. O que destoa em muito da realidade.  
O ‘presidente’, envolvido na bagunça instituída até o pescoço, ou melhor, da cabeça aos pés, prega seriedade, honestidade e os bons costumes. O pior, ainda usa da prerrogativa de conhecedor do direito para confundir a opinião pública sobre a lama a que se lambuzou. Poderia até dizer: aqui reside o cinismo e a hipocrisia. Ou eis a morada eterna da corrupção! É como se todos estivéssemos numa mesma vala comum.
Os fatos não casam com a as falas, pois estas são ilusionistas, aqueles verdadeiros mesmo ainda faltando o devido processo legal. Processo que a meus olhos não acontecerá, uma vez que o Poder do presidente é bem semelhante aos que o antecederam: toma lá dá cá. E já começaram a liberação dos recursos para os seus cúmplices.
Tenho pensado que um dos problemas do Brasil, além da corrupção, da impunidade, da exclusão social é inegavelmente nossa má representação, pois a impunidade gera violência e injustiça.
Aqui me atrevo a afirmar categoricamente que a maioria dos maus políticos sempre deterão cargos públicos. Faz parte do jogo! Jogar é preciso e enroscar-se em atos ilícitos sempre será o melhor caminho...
O problema passa por nós e reflete em nós. A vida política é cíclica. É que por reiteradas vezes votamos no mesmo vereador, deputado, senador, governador e no mesmo prefeito?  Ou não é assim?
Precisamos nos politizar e nos alfabetizar no sentido de que não criemos e nos alimentemos de cobras. Mas esta é uma outra discussão dentro do mesmo contexto.
Os nossos valores, apregoados desde tempos pueris, da família, na sala de aula, nas instituições religiosas e do civismo nos podem transformar em pessoas melhores e preparadas para a convivência. Mas o que fazer quando nossos ‘representantes’ que nos deveriam servir de exemplos agem com todas as patas de forma contrária ao bom senso e à ética?

Nenhum comentário:

Postar um comentário