26/11/2011

Língua insensata!

Oh, língua insensata!


Às vezes me perco na complexa simplicidade da tua ousadia.

Reconheço-me serva.

A minhas custas, pinta e borda,

Costura e rasga,

E depois me remenda.

Enfim (ou em meio) ergo-me em retalhos

Pra te mostrar que nasci para abusar de ti.

És o meu céu e o meu inferno.

Gisela Cruz

Língua insensata!

Oh, língua insensata!
Às vezes me perco na complexa simplicidade da tua ousadia.
Reconheço-me serva.
Às minhas custas, pinta e borda,
Costura e rasga,
E depois me remenda.
Enfim (ou em meio) ergo-me em retalhos
Pra te mostrar que nasci para abusar de ti.
És o meu céu e o meu inferno.


Gisela Cruz

LER PODE FAZER MUITO MAL

Riba Ericeira Sousa


Estes dias nas minhas meditações cheguei à seguinte conclusão: ler faz muito mal e deveria ser terminantemente proibido, você não acha? Não há dúvida, ler faz mal, e muito. Veja só: ler acorda os homens para realidades quase impossíveis, tornando-os inconformados com o seu universo vivencial. Há ainda,

um outro problema não menos sério: ler pode causar loucura de caráter irreversível, pois é capaz de transportar o homem da sua aparente normalidade para espaços de conflito, gerando novas realidades muitas vezes não compreendidas pelo contexto social do leitor. Quem lê também tornar-se possuído por um estranho desejo de transformar o mundo; de mover estruturas envelhecidas; de pintá-lo com novas cores. E só os loucos pensam em reformar o mundo. E isso tem conseqüências. Que o digam Sócrates, Platão, Calvino, Gandhi, Mandela, Chico Mendes, Dorothy Stang, etc. Estes aprenderam a ler não apenas livros, mas a natureza e alma das pessoas. E você, o que tem lido?

Estou cada vez mais convencido que ler pode fazer muito mal. A criança ou o jovem que se habitua a ler pode transformar-se gradativamente num adulto perigoso, inconformado com os problemas do mundo ao seu redor. Quem ler pode ser levado a crer que tudo pode ser diferente. Quem ler pode vir a questionar o modelo de educação que lhe é oferecido, a estrutura física da escola, a ausência de investimentos, etc. E isso pode lhe causar problemas no próprio contexto escolar. Afinal de contas, quem lê passa a dispor do incontrolável poder da imaginação, conhece a liberdade, cria asas e lança-se a voos cada vez mais altos. Por tudo isso, transforma-se em um ser estranhamente perigoso para os donos do poder e os para os supostos donos do saber.

É verdade! Podes crer! Ler faz mal mesmo! Pode provocar o inesperado e, aqueles que estão acostumados com a rotina e a mesmice, podem ser tomados por uma inexplicável revolta contra quem decidiu ler. Ler pode aplainar caminhos tortuosos, abrir portas de oportunidades para novos caminhos. Ler pode despertar o espírito inventivo guardado dentro de cada pessoa. Ler gera criatividade, estimula os sonhos menos prováveis. Ler pode levar a acreditar que a vida é mais que o visto no cotidiano. Ler abre novos horizontes, impulsiona para novos desafios. Por tudo isso, quem lê expõe-se à ira dos anacrônicos e medíocres, ainda que ricos e titulados.

Ler faz mal e pode ser perigoso, pois estimula a imaginação, libera a fantasia, transporta para os espaços da magia e para a além do que os olhos podem ver. Ler faz acreditar que a vida se estende para além das escórias do egoísmo, da insensibilidade e da insensatez. Ler pode fazer perceber que há sempre algo novo e interessante a descobrir em nós mesmos e no outro. Ler pode varrer o preconceito insano e substituí-lo pela tolerância, pelo respeito e pelo acolhimento.

Portanto, para o bem de todos, que não se estimule a leitura entre crianças e jovens; que os pais deixem definitivamente de ler e de contar histórias para os seus filhos; que os educadores proíbam seus alunos de freqüentar as bibliotecas. Tudo isso pode fazer muito mal. Essa gente pode tornar-se inquieta, inquiridora, inconformada e isso pode causar danos irreparáveis no território dos dominadores. Compreende agora a dimensão do problema?

Ler pode fazer mal. Pode gerar consciência cidadã. Pode formar cidadãos críticos, engajados com os problemas da sua cidade e do mundo. Ler pode, como bem demonstra a “Alegoria da Caverna” de Platão, quebrar as amarras da ignorância e estabelecer um novo paradigma de convivência entre as pessoas, apontando definitivamente para geração de um mundo melhor. Mas pode despertar a ira dos dominadores que insistem em manter os prisioneiros longe da verdade.

Neste sentido, tenho que concordar com os maus políticos: é melhor que todos permaneçam sem ler, e continuem prisioneiros da ignorância. Desse modo, a democracia continuará sendo apenas uma farsa bem montada para a manutenção dos mesmos figurões no poder. Os corruptores continuarão se reelegendo e tudo permanecerá do jeito que está: sem segurança, sem saúde adequada, sem moradia digna para todos, sem infra-estrutura rural e urbana, sem boa alimentação escolar para as nossas crianças, sem ensino de qualidade, sem médico nos hospitais que atendam a contento à população, sem transporte público adequado e sem emprego para a maioria. Tenho que dar a mão à palmatória: os governos estão certos quando anunciam uma revolução na educação apenas na mídia. Fica tudo mais fácil quando não se lê, pois não haverá quem pergunte: que revolução é essa? Que educação é essa, com salas superlotadas, espaços físicos inadequados e pouco atrativos, professores mal remunerados e desmotivados? Sou professor por vocação, estou em sala de aula e posso afirmar: do jeito que está sendo tratada pelo Governo, a educação é uma “via expressa para o caos”. No Maranhão, por exemplo, enquanto o governo anuncia a realização da Via Expressa a um custo de mais de cento e cinco milhões de reais, professores são contratados à revelia por míseros R$734,00 para dar aulas em duas escolas em dois turnos, numa espécie de “operação tapa buracos” da educação, enquanto milhares de professores concursados permanecem sem serem nomeados. Neste sentido, é preciso saber ler também o que está na “mira” da propaganda oficial. Não custa lembrar que, quem não lê, não vê.

Como se pode ver, ler pode ser uma prática subversiva e extremamente perigosa. Ler pode transformar. Basta uma simples leitura para que haja uma reviravolta na vida, nos valores na maneira de enxergar o mundo e de se relacionar com o diferente de nós. Ler, portanto, não deve ser coisa boa. Afinal de contas, ler é ter poder: poder para ver, dialogar com o mundo, para falar, questionar, protestar, etc. Quem não lê é cego e mudo. Cegos e mudos não protestam. Quem lê não silencia diante da injustiça e da violência. O silêncio é a linguagem da subserviência. Como se pode ver, ler é uma prática subversiva e pode fazer muito mal!



Riba Ericeira Sousa

Pastor, professor e filósofo

23/11/2011

NO MARANHÃO, CASO DE POLÍCIA! JÁ DIZIAM OS MAIS EXPERIENTES QUE PRUDÊNCIA E CALDO DE GALINHA NÃO FAZEM MAL A NINGUÉM

REFLETE EM TODO ESTADO DO MARANHÃO A REVOLTA DOS POLÍCIAIS MILITARES E BOMEIROS DO MARANHÃO EM DECORRÊCIA DO DESCUMPRIMENTO POR PARTE DO GOVERNO DO ESTADO DE ACORDO CELEBRADO ENTRE AS PARTES. O ACORDO TRATA DA REPOSIÇÃO SALARIAL PLEITEADO PELOS MILITARES.

TENHO PERCEBIDO QUE O MOVIMENTO É FORTE, AO MESMO TEMPO QUE, POR PARTE DO GOVERNO DO MARANHÃO, HÁ INESPLICAVELMENTE UM CERTO AMODORISMO. A NÃO SER QUE NÃO ESTEJAM SE IMPORTANDO COM OS ENORMES ARRANHÕES QUE OS MOVIMENTOS PAREDISTAS DEIXAM. FOI ASSIM COM OS PROFESSORES E COM OS DELEGADOS. ISSO NÃO É BOM. SEM FALAR QUE SE PERCEBE CLARAMENTE QUE A SOCIEDADE APROVA A GREVE DOS POCIAIS. GREVE? POLICIAIS SÃO VETADOS DE FAZER GREVE, MAS SÃO ACOLHIDOS POR OUTROS DISPOSITVOS CONSTITUCIONAIS.

OS DELEGADOS TAMBÉM PARARAM EM DECORRÊNCIA DA FALTA DE CUMPRIMENTO DE ACORDOS.

OS PROFESORES SÓ VOLTARAM APÓS 77 DIAS DE GREVE E AINDA NEGOCIAM ITENS DA PAUTA E PRINCIPALMENTE O ESTATUTO DO MAGISTÉRIO. O GOVERNO NÃO TEM ACERTADO NA ÁREA DE EDUCAÇÃO PORQUE NA EDUCAÇÃO TEM MUITA GENTE QUE TOMA CONTA DESSA ÁREA E É INSENSÍVEL.

ISSO SÓ NOS FAZ LEMBRAR QUE, DE DUAS UMA: OU O GOVERNO QUER PROTELAR AS DEMANDAS DOS TRABALHADORES, EMPURRANDO COM A BARRIGA ATÉ QUE SATISFAÇA SEU INTENTO DE SÓ NEGOCIAR NO MOMENTO EM QUE, SEGUNDO A PRÓPRIA GOVERNADORA ROSEANA SARNEY, SÓ CONCEDERÁ AUMENTO SALARIAL NO PERÍODO EM QUE TODOS OS TRABLAHDORES DO SERVIÇO PÚBLICO NEGOCIAM SEUS SLÁRIOS. MAS NO CASO DOS PROFESSORES E DOS POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES TRATA-SE APENAS DE REPOSIÇÃO DE PERDAS SALARIAIS.

OS POLICIAIS OCUPAM NESTE MOMENTO A SEDE DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO MARANHÃO. HÁ INFORMAÇÕES DE ESTÁ ACONTECENDO UMA REBELIÃO EM PEDRINHAS.

VIATURAS DA FORÇA NACIONAL PASSARAM NA AVENIDA JERÔNIMO DE ALBUQUERQUE EM FRENTE A ASSEMBLEIA O QUE PROVOCOU UM CERTO ALFOROÇO. POLICIAIS MILITARES FORAM PARA FRENTE DO PRÉDIO E FICARAM EM ALERTA.

A INFORMAÇÃO DA REBELIÃO NO PRESÍDIO DE PEDRINHAS NÃO ESTÁ TOTALMENTE CONFIRMADA.

ESTRANHO MESMO É A FALTA DE HABILIDADE DE AUTORIDADES INTELIGENTES QUE FAZEM PARTE DO ROL DE MSECRETÁRIOS E ASSESSORES DO GOVERNO ESTADUAL.

A POPULAÇÃO DO MARANHÃO TEME PELO CONFRONTO. OS REFLEXOS DESSAS MANIFESTAÇÕES AFETAM A VIDA DE TODOS NÓS.

20/11/2011

CIDADANIA É UMA CONQUISTA




Preocupa-me a ausência efetiva de políticas públicas no Estado brasileiro. O que existem são apenas intenções ou projeções configuradas na ideologia persuasiva, portanto intencional cujo resultado é recheado de retórica e paliativo assistencialista.

Na minha modéstia opinião, não se constroem valores do dia para a noite ou numa sacada de “gênio”, da forma que se tem presenciado na corte nacional e nos estados federados desta nação. Assim, trazem conseqüências irreparáveis para a sociedade tendo em vista que os recursos públicos desviados por má aplicação, resultado de corrupção, são declaradamente nocivos e prejudiciais e com o agravante que considero muito sério: é gerador de violências. Levando-se em consideração ainda que um percentual altíssimo desses recursos públicos não é devolvido à sociedade. E, então, persiste a impunidade e a conseqüente violência que nos amedronta e assusta nos levando a descaminhos...

Fatores outros, que juntados a estes, possibilitam que milhões de brasileiros nasçam na orfandade de Estado, cresçam nela e desapareçam sem ter conquistado um dos valores mais legítimos e necessários no Estado Democrático de Direito: a cidadania. Pois esta está para a dignidade do ser humano assim como todos os direitos fundamentais contidos art. 5º da Constituição Federal/88, estão. Mas isto será um conquista permanente e caberá em outras interrogações e exclamações.

A política, na sua real concepção, deveria abranger a todos indistintamente, mas lamentavelmente o seu lado podre (e não é política, mas a deformação dela), percebe-se é a banda maior destrói valores, corrompe e de forma astuta é representada por crápulas, estojos, que no seu intento irascível e dominador são indiferentes não se importando com a destruição da nossa gente brasileira e que vítimas da corrupção, passam por privações de toda ordem. Então, mostrem as suas caras reais, antes que o poder essencial midiático o desmoralize. A história tem mostrado que os fatos por si se provam. Tem gente que ainda tenta esconder-se do que ele próprio provocou, não cabendo sua cara em seu próprio corpo.

No Brasil há notícias de corrupção na corte e em todos os poderes, ante a um descrédito que no ato da eleição perde força, e então entram em novas cenas os pretensos ocupantes de cargos públicos maquiando-se e sobrevivendo na corrupção, no seu caldo nutritivo, em novos super-heróis. Verdadeiros salvadores da pátria! Às vezes são os mesmos que nos visgam não só por assistencialismos emergentes, mas pelo bolso e barriga, quando não, nos prendem nos dentes e entristecem as nossas almas. São “políticos” travestidos de homens bons que voltam a enganar o povo. E a cidadania? Esta não se enquadra no lixo na frente da escola, na escola sem teto e estrutura, na ausência de planejamento, na falta segurança preventiva, saúde educação e outras políticas... Da mesma maneira que não cabe em um Estado que se queira construir justo diante da corrupção que parece generalizante e tem sido a regra e não a exceção neste solo pátrio.

Mas não estava errada a acepção de nosso documento literário lusitano em solo de Vera Cruz que lhe dissertava que plantando aqui tudo dá. E dá mesmo! “A terra é de bons ares...” E que bons ares! Disso ninguém pode provar o contrário, basta só fazer uma comparação/infográfico do rendimento de um político desonesto e o seu patrimônio em tão pouco tempo de procuração. Isto não precisa de fotografia, as cenas estão nas letras da mídia nacional. Ainda bem.

Nilson de Jesus Ericeira Sousa

Poeta, jornalista, professor, psicopedagogo e estudante de Direito

19/11/2011

Sol nascente
Meu poente distante
Minha vida em maresia
e por você e em você oceano...

Meu Sol poente
De raios nascentes
Que de teu amor
É ocaso em mim...

Minha vida estrela cadente
Meu mar tão revolto
Que me ilha em sol poente
ponho-me no nascedouro de ti...

Meu sol em rio e riso, oceano em lágrimas
Vi teu jeito revivi teu riso
Contemplei teus olhos em pranto
E naquela lágrima sobrevivi amor.

Nilson Ericeira
Robrielli

Sol nascente


















Sol nascente
Meu poente distante
Minha vida em maresia
e por você e em você oceano...


Meu Sol poente
De raios nascentes
Que de teu amor
É ocaso em mim...


Minha vida estrela cadente
Meu mar tão revolto
Que me ilha em sol poente
ponho-me no nascedouro de ti...

Meu sol em rio e riso, oceano em lágrimas
Vi teu jeito revivi teu riso
Contemplei teus olhos em pranto
E naquela lágrima sobrevivi amor.
Nilson Ericeira
Robrielli

18/11/2011

EDUCAÇÃO DE CASTELO DÁ PASSOS DE CÁGADO

A PROFESSORA LINDALVA, EM ENTREVISTA Á RÁDIO CAPITAL, HOJE PELA MANHÃ, DISSE QUE FORA AGREDIDA PELO PREFEITO DE SÃO LUÍS, JOÃO CASTELO.

VEJA SÓ O QUE A PROFESSORA DECLAROU DO PREFEITO: “ ELE DISSERA NÃO QUIRIA CONVERSA COM TRÊS PESSOAS QUE USAM SAIA: UMA SERIA PADRE, JUIZ E MULHER.

E SEGUEM AS PALAVRAS DO PREFEITO JOÃO CASTELO: “EU NÃO QUERO CONVERSA COM ESSA MULHER QUE ELA SÓ VEM AQUI PARA BRIGAR”.

A PROFESSORA DECLAROU QUE SE SENTIA AGREDIDA FÍSICA E MORALMENTE E QUE BUSCARÁ À JUSTIÇA. SEGUNDO A PROFESSORA NÃO É A PRIMEIRA VEZ QUE É AGREDIDA PELO PREFEITO. A AGRESSÃO FÍSICA SE DEU PORQUE OO PREFEITO A PUXOU PELO BLAISER.

ALÉM DISSO, A PROFESSORA LINDALVA DENUNCIOU QUE VÁRIAS ESCOLAS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO ESTÃO SENDO ARROMBADAS E QUE O PREFEITO NÃO TOMA PROVIDÊNCIAS. ENTRE AS ESCOLAS CITADAS PELA PROFESSORA ESTÃO A TANCREDO NEVES, NASCIMENTO DE MORAES E MATA ROMA, TODAS NA CIDADE OPERÁRIA.

SEGUNDO AINDA A PROFESSORA, AS ESCOLAS COEDUCMA, PASSO A PASSO E DA IGREJA ESTÃO SEM SEGURANÇA E A MAIORIA DAS ESCOLAS DA REDE MUNICIPAL ESTÁ EM ESTADO PRECÁRIO.

EM RELAÇÃO A GARANTIAS, A PROFESSORA LINDALVA DISSERA QUE CASTELO TEM NEGADO DIREITOS ADQUIRIDOS, LÍQUIDOS E CERTOS. ENTRE ESSES DIREITOS NEGADOS PELO PREFEITO, CONTAM DA TITULAÇÃO, PROMOÇÃO E REAJUSTE SALARIAL.

OUTRA INFOMAÇÃO RELEVANTE É SOBRE OS PRÉDIOS ONDE FUNCINAM OS ANEXOS, EM ALGUNS DELES AS AULAS ESTÃO APRADAS POR FALTA DE PAGAMENTO DOS ALUGUÉIS, QUE DE ACORDO COM A LEI, DEVEM SER REGIDOS POR CONTRATOS.

OPINIÃO – NADA DE PESSOAL CONTRA O PREFEITO E NUTRO ADMIRAÇÃO PELO ATUAL SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO, MAS A INSTITUIÇÃO POLÍTICA CHAMADA EDUCAÇÃO, E NESTE CASO A EDUCAÇÃO MUNICIPAL, PRECISA DE URGENTES PROVIDÊNCIAS.

17/11/2011

APROVADO O REAJUSTE DOS PROFESSORES

APROVADOS PELA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO MARANHÃO O PISO SALARIAL E REAJUSTE PARA OS PROFESSORES

A Assembleia Legislativa do Maranhão aprovou, nesta quinta-feira (17), o projeto de lei que assegura o reajuste salarial e a aplicação do piso nacional para os professores da rede pública estadual de ensino. De acordo com informações a diferença salarial deve sair até o dia 25, sexta-feira, EM FOLHA SUPLEMENTAR.

OS EXCENDENTES - Agora a pauta é aprovação do Novo Estatuto da Educação, bem como reivindicar que o Estado chame os excedentes do concurso. Os excedentes do concurso estão sendo substituídos por professores contratados pelo Estado e recebem bem abaixo do valor normal de uma nomeação no nível inicial.

Acredita-se que em pouco tempo, não só se elimine de vez com esses contratos precários, mas que os excedentes sejam convocados e que novos concursos sejam realizados, tendo em vista a grande demanda na área do magistério.

12/11/2011

EDUCAÇÃO – SITE DO SIMPROESEMMA

Sindicato solicita audiência com governo para discutir nomeação de excedentes

Data de Publicação: 12 de novembro de 2011 às 22:25

O direção do Sinproesemma solicitou audiência, em caráter de urgência, com o secretário de Estado de Educação, João Bernardo Bringel, para tratar sobre a nomeação dos professores aprovados no último concurso, realizado pelo Estado em 2009, e que estão na lista de excedentes, à espera de nomeação.

O presidente do sindicato, Júlio Pinheiro, que protocolou o pedido pessoalmente na Secretaria de Estado de Educação (Seduc), considera que o governo do Estado deve priorizar, com urgência, a nomeação dos professores para reduzir a carência de profissionais efetivos na rede, atualmente, em torno de 10 mil vagas, sendo grande parte ocupada por contratos precários. “É preciso acabar definitivamente com a prática dos contratos temporários, que configuram precariedade no trabalho, haja vista que os contratados realizam as mesmas atividades dos efetivos, cumprem a mesma carga horária, mas recebem remunerações bem abaixo dos salários dos nomeados e não têm direitos trabalhistas, como férias, décimo terceiro salário, entre outros benefícios”, explica o sindicalista.

Da lista com cerca de seis mil concursados excedentes, só foram nomeados cerca de 800 profissionais. “O déficit de professores na rede estadual de educação é muito alto. O governo deve cumprir as determinações legais que condenam a permanência de contratos temporários e respeitar a classe trabalhadora, assim como qualificar a educação, que ganha com a atuação de profissionais valorizados na rede”, explica o presidente, que espera ter uma resposta breve do secretário João Bernardo Bringel para a realização da audiência

11/11/2011

Vida sem senti-do

Que gentinha é essa
que não se mexe e não se bole
E nem se toca
Que povinho é esse que não se toca
e não reage
Que vidinha é essa
Mesquinha e sem Graça
Que amizade é essa
Tão dissimulada e falseada
Que amor é esse tão sem cor
e sem tom
Que querer é esse
Se me esquece logo que o segundo passa
que caminho é esse
Se só me dou voltas
e me vou...
Devaneiando assim.

Nilson Ericeira


Robrielli

10/11/2011

ALUNAS DO CE PAULO VI COMEMORAM TÍTULO EXIBEM A TAÇA

UMA DEMONSTRAÇÃO DE QUE O ESPORTE É UM DOS FORTES AGREGADOS DA  EDUCAÇÃO. QUANDO NA ESCOLA, SEJA PÚBLICA OU PARTICULAR, HÁ A PRÁTICA ESPORTIVA, OS RESULTADOS, NÃO SÓ NO ESPORTE, MAS TAMBÉM NA EDUCAÇÃO, REFLETEM.
AS ALUNAS DO TIME DE HANDEBOL DA ESCOLA PAULO VI, INSTITUIÇÃO DE ENSINO DA REDE PÚBLICA ESTADUAL, ESTÃO DE PARABÉNS. O RESULTADO DESSA CONQUISTA FAZ TRANSBORDAR DE ORGULHO TODO O CORPO DA ESCOLA.
AS ALUNAS DO PAULO VI, PROTAGONISTAS DESSA CONQUISTA, TEM O RECONHECIMENTO  DA DIREÇÃO DA ESCOLA, DOS TÉCNICOS, DOS SEUS PROFESSORES E, EM PARTICULAR E PRINCPALMENTE, DESSE ABNEGADO PROFESSOR AMARAL, QUE SE SE DIVIDE E SE MULTIPLICA PARA CONTEMPLAR SOMANDO ASPIRAÇÕES, AJUDANDO A REALIZAR SONHOS E CONQUISTAS QUE APONTAM CAMINHOS COM OS PÉS NO FUTURO. É ESSE UM GOL DE PLACA!

ALUNAS DO CE PAULO VI CONQUISTAM A OLIMPÍADA MASTER DE HANDEBOL

O protagonismo esportivo é um forte elo entre a educação e a transformação das pessoas. A escola está de parabéns! Os alunos regozijam-se do triunfo! E acenam para novas conquistas.

EM PARTIDA DISPUTADA ENTRE AS ALUNAS DO CE PAULO VI E AS ALUNAS DA EQUIPE DO COLÉGIO MASTER, O PAULO VI SAGROU-SE CAMPEÃO E VENCEU A EQUIPE DO MASTER PELO PLACAR DE 19 A 10.

A EQUIPE DE HANDEBOL DO PAULO VI É TREINADA PELO PROFESSOR AMARAL.

PROFESSOR AMARAL ENTREGA A TAÇA PARA A GESTORA DA ESCOLA, PROFESSORA CONCEIÇÃO CARNEIRO.

NO OUTRO DETALHE, AS ALUNAS DO PAULO VI, ATLETAS CAMPEÃS.


04/11/2011

Qual a cor da paz

ela se pinta igual um pássaro
E após a muda regozija-se de ser bela
ela é o tom de todas as cores
a forma do arco Iris
a tarde que promete ser a outra
que é passo do seu passo
o compasso do coração aflito
o dizer dos justos mais nobres
é flor em essência
a vida brotando a cada nascer
a forma, a fórmula ela é
menina, mulher linda!
de quês extasiante em mim
devora-me amor
transpira-me
é flor!

Nilson Ericeira

Robrielli

02/11/2011

Espírito incauto

Minha paz de espírito
Minha consciência consciente
Meu ser físico sem putrefações
E podridões
Meu eu menino
Minha voz introspectiva
Quer subliminar amor
Minha paz de sono
E sem as tempestades dos falsos
Que de desumanos,
Mentem meticulosamente
Pois são frios.
E sigo na minha paz comigo e com os outros
Com um e outro me encontro
Com o Ser
Com a voz do mesmo coração que resigna
Mesmo que inverdades proliferem
Minha alma sem o câncer da maldade
E nem com os trovões da prostituição de espírito
Da alma de do ser pequeno
Apequenado, agachado, rasteiro, réptil...
Minha luz de consciência é minha própria consciência
Que me meu ser incauto parece sucumbir a monstros
Em saciar seus insaciáveis cânceres, gânglios...
Mas tenha piedade Senhor
Da fome dos falsos e da ilusão dos hipócritas.

Nilson Ericeira
Robrielli