29/09/2011

PALAVRA DO VICE-GOVERNADOR DO ESTADO DO MARANHÃO, HOJE NA RÁDIO CAPITAL:


PALAVRA DO VICE-GOVERNADOR DO ESTADO DO MARANHÃO, HOJE DIA 29 DE SETEMBRO, NA RÁDIO CAPITAL:

“NÃO É PARA GERAR E ESTAMOS TRABALHANDO PARA FAZER UM GRANDE GOVERNO. AS PESSOAS QUE FALAM QUE O PT NÃO ESTÁ SENDO PRESTIGIADO É PORQUE NÃO ACOMPANHAM O GOVERNO. O PT QUER PARTICIPAR MAIS, QUER ESTÁ MAIS PRESENTES COMO QUALQUER PARTIDO. TÊM VÁRIAS LIDERANÇAS, ESTAMOS EM SINTONIA COM A GOVERNADORA.

A CANDIDATURA PRÓPRIA É NORMAL E QUE É O QUE ESTÁ MAIS ENCAMINHADO".

UMA PROVA DE CONFIANÇA – QUANDO PERGUNTADO SE ESTAVA PREPARADO PARA ASSUMIR O GOVERNO, ASSIM DURANTE UNS VINTES DIAS, QUANDO A GOVERNADORA ROSEANA SARNEY TIVER QUE SE AUSENTAR – WASHINGTON OLIVEIRA disse: “NÃO PLANEJO AS COISAS A LONGO PRAZO. A MINHA POSIÇÃO É QUE DENTRO DO PARTIDO É QUE SEMPRE PARTICIPA COM MUITA ÊNFASE. NÃO DISCUTIMOS ISSO PARA 2014. QUEREMOS É CONTRIBUIR COM A GOVERNADORA  ROSEANA SARNEY. TEMOS QUE PENSAR PRIMEIRO NA POPULAÇÃO DO MARANHÃO. QUERO QUE VÁRIOS INVESTIMENTOS QUE TÊM QUE SER FEITO. {VIM} GRANDES INVESTIMENTOS PARA O MARANHÃO COMO JÁ ESTÁ OCORRENDO. QUERO É QUE HAJA MELHOR DISTRIBUIÇÃO DE EMPREGO E RENDA E DE MELHORES SALÁRIOS PARA O MARANHÃO”.

"A TESE DA CANDIDATURA PRÓPRIA DO PT ESTÁ DA PROSPERANDO. EU SE EU ENTENDI DIREITO A PERGUNTA. O PT E O PMDM FARÃO CANDIDATURA ONDE FOR POSSÍVEL. O PT VAI LANÇAR CANDIDATURAS EM VÁRIOS MUNICÍPIOS DO MARANHÃO”.

OPINIÃO - QUANDO O REPÓRTER PERGUNTOU SE PETISTAS ALIADOS ESTÃO INSATISFEITOS COM O TRATAMENTO DISPENSADO PELO GOVERNO - TENHO CERTEZA QUE MUITOS PETISTAS QUE ASSINARAM A ALIANÇA, FORAM PARA A LUTA PELA COMPOSIÇÃO DA VICE-GOVERNADORAIA PARA O PT, ESTÃO SENDO DISCRIMINADOS PELO GOVERNO. MAS É LÓGICO QUE WASHINGTON, QUE CONSIDERO UMA AUTORIDADE INTELIGENTE, NÃO VAI AFIRMAR ISTO. VAI É TENTAR SOLUCIONAR PROBLEMAS, TENDO EM VISTA QUE POSSUI MUITA HABILIDADE.   

OS SEMINÁRIOS REGIONAIS, NÃO HÁ INEDITISMO DO GOVERNO ROSEANA SARNEY

Os seminários realizados pelo Governo do Maranhão não são inéditos, uma vez que no Governo Jackson Lago eu fui a pelo menos dois desses encontros em que os assuntos eram discutidos com a sociedade civil organizada. Postarei informações desses seminários. Os do Governo Jackson. Um deles aconteceu em Santa Luzia do Paruá e outro em Chapadinha.
Tenho críticas aos dois modelos, em relação à forma, ao conteúdo, por exemplo, mas fazer o quê isto não tem menor importância.
Pensar reflexivamente faz bem à saúde, seria bom que analisássemos o contexto em que cada um desses SEMINÁRIOS foram e estão sendo realizados.
Aguardem que postarei mais informações sobre os Seminários tanto lá como cá...

26/09/2011

Luís Fernando fala na Rádio Capital

Luís Fernando, Secretário Chefe da Casa Civil, agora à noite concedeu entrevista na Rádio Capital, no programa Comando da Noite, apresentado por Gilberto Lima.

Tratou de vários assuntos de interesse público, entre eles da sucessão estadual, dos limites da Ilha de São Luís, Paço do Lumiar e São José de Ribamar, dos seus dois mandatos de prefeito de Ribamar, da sua experiência no serviço público, da sua agenda cheia ( isso é verdade porque eu já estive lá), mas um assunto chamou mais atenção dos ouvintes, acredito: eleição para a sucessão da governadora Roseana em que ele aparece como o principal nome para sucedê-la.

Usando de um novo chavão: “quem é meu patrão é povo que nos paga”. O meu patrão é o povo”. “Eu gosto de trabalhar”, sintetizou.

Em relação à sucessão da governadora, doutor Luís Fernando acha que não é hora de campanha e que é hora é de trabalhar. E disse que é natural que o nome dele apareça, mas que não é hora de pensar nisso.

O repórter a entrevista disse que o Luís Fernando fala fácil. Trabalhei na Seduc e acompanhei o seu trabalho. Tenho boas informações da época.

Em relação à eleição, Luís Fernando está certo. Eleição só se disputa no período permitido, pois isso caracteriza crime eleitoral e ele conhece a lei, o Estado e é auditor.

Opinião – doutor Luís Fernando está coberto de razão o governo tem é que trabalhar pelo povo. E que a sociedade paga os salários dos políticos, detentores de cargos e que nada mais são do que representantes do povo por um período. O chefe da Casa Civil do Governo do Maranhão tem uma mente privilegiada e quando alguém o faz alguim pleito, ele nunca esquece. Quando não o faz é porque não quer ou porque não pode. Mas sempre tem boas saídas.

Teria outras opiniões de contexto geral, ou seja, macro da política do Maranhão, mas o tempo tem sido ingrato.

25/09/2011

O PT de Arari realiza discussões de olho em 2012




















O PT de Arari reuniu dia 25 de setembro com membros do Diretório Municipal, com objetivo de discutir sobre assuntos relacionados às próximas eleições municipais, bem como deliberar sobre demandas internas do Partido e, principalmente da acolhida de novas filiações.

Destacamos as presenças de João Brito, presidente do PT de Arari, Lucivaldo Lopes, vice-presidente do PT, professora Marly Queiroz, da Executiva Municipal, de Antônio de Nezoca, presidente do Sindicato dos Taxistas da Regional de Arari, de Silvio Pereira, da Executiva Municipal, Luís Fernando Bogea Pereira, Secretário de Formação Política,do jornalista Nilson Ericeira, do Conselho Fiscal do PT, e de outros militantes.

No contexto das disputas eleitorais, o PT é uma das peças dessa engrenagem que se forma nas discussões democráticas para a disputa. O PT de Arari tem um dos diretórios mais organizados no Maranhão e, com certeza, terá bons nomes para o pleito de 2012.

Na opinião de Nilson Ericeira, a eleição é um processo democrático ideal para a disputa de ideias em que os cidadãos têm para ratificar ou negar o que se estabelece. Se é bom e justo, se as políticas estão corretas, plurais e afirmativas, devem continuar. Ao contrário, caso os mandatos sejam deformados e não representem o povo, diminuam a nossa estima, não temos por que confirmá-las”, ensinou.

23/09/2011

Vida de passarinho

Não quero uma vida fechado em arquivos
uma vida controlada pelos fusos
e muito menos por imperativos,
com sílabas fortes em monossílabos
em simbiose de autoridades
Quero vida livre, aberta, sem prisões,
sem arquivos...
Ser criança, correr pelos bosques do meu ser
colher minhas flores, sentir o perfume de amar...
e nessa imensidão que fiz em mim
voar feito passarinho que nem se importa
com o que não existe...
Só o que existe é a liberdade.
Mas não sou de pergaminho, nem de bytes,
muito menos de plástico.
Eu sou gente de células,
únicas...
De Deus!
Meu núcleo é meu ser.
Minhas emoções não são de gavetas.
estão num cantinho, pedacinho de mim,
mas nunca em arquivos.
e muito menos nos, estéreis, frígidos, obscuros
que querem me controlar.
Sou de célula, sou da terra.
Sou passarinho...
E não me guardo em arquivos
E nem me permito.
Meu coração é pulso e vida,
não cabe em arquivos nenhuns.
Muito menos em letras mortas
que vociferam em cantilenas tolices.
Meu arquivo é de coração
tem alma, essência,
comporta homens que os construo livres
iguais a meus passarinhos mudos,
em mim...
Que, sem gaiolas, com asas, e sem arquivos
me educam,
Edificam-se nessas coisas em mim.
Nilson Ericeira


Robriele

Vida de passarinho












Não quero uma vida fechado em arquivos

uma vida controlada pelos fusos

e muito menos por imperativos,

com sílabas fortes em monossílabos

em simbiose de autoridades

Quero vida livre, aberta, sem prisões,

sem arquivos...

Ser criança, correr pelos bosques do meu ser

colher minhas flores, sentir o perfume de amar...

e nessa imensidão que fiz em mim

voar feito passarinho que nem se importa

com o que não existe...

Só o que existe é a liberdade.



Mas não sou de pergaminho, nem de bytes,

muito menos de plástico.

Eu sou gente de células,

únicas...

De Deus!

Meu núcleo é meu ser.

Minhas emoções não são de gavetas.

estão num cantinho, pedacinho de mim,

mas nunca em arquivos.

e muito menos nos, estéreis, frígidos, obscuros

que querem me controlar.

Sou de célula, sou da terra.

Sou passarinho...

E não me guardo em arquivos

E nem me permito.

Meu coração é pulso e vida,

não cabe em arquivos nenhuns.

Muito menos em letras mortas

que vociferam em cantilenas tolices.

Meu arquivo é de coração

tem alma, essência,

comporta homens que os construo livres

iguais a meus passarinhos mudos,

em mim...

Que, sem gaiolas, com asas, e sem arquivos

me educam,

Edificam-se nessas coisas em mim.

Nilson Ericeira


Robriele

22/09/2011

AS IMAGENS POR SI SÓS

AS IMAGENS FALAM POR SI SÓS

Irresponsabilidade e incompetência é sempre igual a descaso

Irresponsabilidade e incompetência é sempre igual a descaso

O que antes apenas um buraco provocado pelo esgoto, agora já é uma cratera. Isso acorre em quase toda Cida de São Luís que outro dia mesmo comemorou 399 anos de existência. Mas esta referência é a avenida oeste interna, na Cidade Operária, que serve de acesso ao residencial Luiz Rocha, ao lado do muro da Uema.

O mais grave é que conversando com moradores. Eles falaram que o caso já foi levado a Caema – que mandou um caminhão, mas o que os trabalhadores chegaram ao local e nada fizeram. Segundo informações desse mesmo morador, um deles teria pedido uma certa quantia para que o serviço fosse executado. (o denunciante pediu para não se identificar e disse que o caminhão era guincho e que não deu tempo de anotar a placa e dos ocupantes). Este morador pediu para ser identificado, mas temos conhecimento de seu domicílio.

As fotos foram feitas hoje e as informações foram passadas por esse morador e no momento que fazia a reportagem fotográfica.

As imagens dizem tudo: o esgoto fica em frente uma pracinha onde as crianças se divertiam antes de serem molhadas com esgoto e sentirem o odor que sai da cratera, provocando doenças e que já toma conta da rua.

21/09/2011

HOJE É DIA DO RADIALISTA.

NUNCA ESCONDI DE NIGUÉM QUE GOSTARIA DE TER UMA OPORTUNIDADE UM DIA DE TRABALHAR NO RÁDIO. PARA UNS, DIA DO RÁDIO, APENAS. SÓ ISSO!

ENTENDO QUE O RÁDIO E OS SERVIÇOS DOS RADIALISTAS SÃO TÃO IMPORTANTES QUE SÃO RADIOJORNALISMO.

QUANDO SURGIR A OPORTUNIDADE, ESPERO PODER ESTAR MAIS PREPARADO PARA ESSE EXERCÍCIO, EMBORA SEJA JORNALISTA, UM DOS QUESITOS QUE JULGO MAIS IMPORTANTE PARA O RADALISTA NÃO É A VOZ, MAS O CONTEXTO. QUANDO OS DOIS SÃO BONS MELHOR AINDA. AINDA NÃO SAIR PARA PROCURAR UM ESTÁGIO NAS RÁDIOS PORQUE NÃO TEM ME SOBRADO TEMPO.

SAUDAÇÕES MUITO ESPECIAIS A TODOS QUE FAZEM JORNALISMO.

NILSON ERICEIRA

JORNALISTA

EDUCAÇÃO DO MARANHÃO: UMA CONTRUBUIÇÃO COM O MEU ESTADO

PROFESSORES INTERAGINDO NA SALA DE PPROFESSORES
EM UMA ESCOLA PÚBLICA

PROPOSTA-EDUCADORES DO MARANHÃO

SITE: SIMPROESEMMA

Governo apresenta proposta de reajuste salarial para os educadores

Data de Publicação: 20 de setembro de 2011 às 20:35

O governo do Estado apresentou à direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (SINPROESEMMA) proposta de tabela salarial, com vigência a partir de outubro, prevendo um reajuste em torno de 39% para a primeira referência da tabela atual. Também propôs aumento de 20% para a terceira e quarta classes (13ª à 25ª referência), sendo 10% pagos em outubro e os outros 10% com data de pagamento a ser definida na próxima reunião entre as partes, agendada para esta quarta-feira, 21, às 14h30, na Secretaria de Estado de Educação (Seduc).

A apresentação da proposta ocorreu em reunião da mesa de negociação entre o Sindicato e representantes do governo, realizada no final da tarde desta terça-feira, 20, na Seduc, da qual participaram o secretário de Educação, Bernardo Bringel, e o presidente do SINPROESEMMA, Júlio Pinheiro, acompanhados por vários diretores do Sindicato e da Seduc.

De acordo com a proposta, os salários dos professores da primeira classe (da 1ª à 6ª referência) seria de R$ 1.187,00, valor atual do Piso Salarial Nacional, e da segunda classe (da 7ª à 12ª referência), no valor de R$ 1.234,56. Aplicando o percentual de diferença entre as referências, a 13ª ficaria com a remuneração final de R$ 1.461,10 e a 19ª referência seria no valor de R$ 1.958,04, sendo que a última (25ª) chegaria a R$ 2.623,93.

Quanto à Gratificação por Atividade de Magistério (GAM), uma conquista dos educadores, houve um recuo na proposta de incorporação apresentada pelo governo, baixando de 80% para 20%, a todas as referências salariais.

O presidente do SINPROESEMMA, Júlio Pinheiro, disse ao governo que irá avaliar a proposta apresentada, em reunião com toda a diretoria do sindicato, na manhã desta quarta-feira, e que voltará a discutir os números na reunião com o governo e depois disso estabelecer uma agenda de assembléia para discutir a proposta com a categoria.

Júlio Pinheiro argumentou com o governo a necessidade de discutir as definições das regras da carreira dos trabalhadores, que devem ser garantidas no Estatuto do Educador. “Para efeito futuro, essas regras devem ser definidas para a descompressão da tabela, que não pode ficar congelada”, explica o presidente.

Pelo acordo firmado entre o governo e a categoria, no final da greve deste ano, o Estatuto do Educador deve ser enviado pelo governo à Assembléia Legislativa, 60 dias após a data de publicação do acórdão do Supremo Tribunal Federal (STF), referente ao julgamento de constitucionalidade do Piso Salarial Nacional. Como o acórdão foi o publicado em 24 de agosto deste ano, o governo tem o prazo até o dia 24 de outubro para enviar o Estatuto do Educador aos parlamentares, para apreciação e votação, com a regras da carreira profissional devidamente discutidas e acertadas com a categoria.

20/09/2011

Momento único: quem me conduziu até aqui foi o Senhor Jesus, não há por que temer.

Apresentação de trabalho com a equipe no Curso de Direito. O trabalho é da disciplina Hermenêutica Constitucional e o tema “A Sociedade Aberta dos Intérpretes da Constituição”, de Peter Haberle.

Nota de repúdio

“O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de São Luís vem a público repudiar, com veemência, a absurda agressão perpetrada pelo Sr. José Pereira Godão contra o companheiro Joel Jacinto, repórter do Jornal Pequeno e da Rádio Educadora do Maranhão, durante a divulgação do resultado final dos vencedores da etapa classificatória maranhense para escolha do samba-enredo da Escola de Samba Beija-Flor de Nilópolis, que tem como tema os 400 anos de São Luís.

Ao se utilizar de um microfone para proferir impropérios e ofensas gratuitas contra um jornalista, o Sr. José Pereira Godão, em primeiro lugar foi covarde, já que o ofendido não dispunha de meio equivalente para se defender. Além disso, desrespeitou o público presente, que estava ali para se divertir e incentivar os autores de sua preferência, e não para ouvir palavrões, alguns impublicáveis.

Joel Jacinto é um jornalista exemplar que, no exercício profissional, tem dado inequívoca contribuição para o engrandecimento dos nossos valores culturais. Ao execrá-lo, o senhor Godão ofende, por extensão, a categoria, a qual Joel Jacinto representa tão dignamente; também a cultura do Maranhão, da qual ele, Godão, se diz porta-voz, mas age como se fosse dono; e em última instância fere de morte o Estado Democrático de Direito, que tem entre seus pilares a liberdade de expressão, assentada na soberana atuação da imprensa”.

18/09/2011

CONVENÇÃO PRESTIGIADA


O vice-governador Washington Oliveira esteve em  Itapecuru

O vice-governador do Estado do Maranhão, Washington Oliveira, também prestigiou a convenção do PMDB em Itapecuru, que ocorreu no mês de agosto. O vice-governador já vinha de Chapadinha e passou em Itapecuru, visitou o prefeito e outras autoridades da cidade e ainda participou da convenção.

O vice-governador participou também de reunião com militantes do PT em Itapecuru, momento em que ouviu o posicionamento de seus militantes e deu sugestões. Após o pronunciamento dos militantes ele falou que ouviu atentamente os companheiros de Partido, mas ponderou em relação às próximas eleições, afirmando que ainda é cedo para tomada de decisões.

Washington ressaltou a importância de Itapecuru para o desenvolvimento do Estado e da região e lembrou do novo momento que em sua na opinião o Maranhão vive.

17/09/2011

Bibliotecas ou estribarias


Farol da Educação: a menina dos olhos da governadora Roseana Sarney
e do ministro Gastão Vieira

 
Ouvinte de São Bento ligou hoje, para o Programa Educação é Notícia, do Simproesemma, apresentado pelo jornalista Marden Ramalho, na Rádio Educadora, dizendo que a biblioteca Farol da Educação, do citado município, está servindo de abrigo para burros, jumentos e outros animais e, que, também serve como ponto de moto-táxi.

Seria bom que o atual Secretário de Educação desse uma olhada nas planilhas. Seria bom que verificasse o teor da informação. Logo essas bibliotecas que foram concebidas no primeiro governo de Roseana Sarney, quando era Secretário de Educação o atual Ministro do Turismo, Gastão Vieira) depois ampliadas consideravelmente no governo José Reinaldo e seguida no mesmo tom no governo Jackson Lago.

Convém lembrar que no governo Jackson Lago, por inspiração de seu secretário de Educação, já estava sendo planejado um novo modelo de biblioteca. Este humilde jornalista dera uma opinião à época. Não sei se foi levada em consideração, até por que não deu tempo do novo modelo ser implantado.

Logo essas bibliotecas que a governadora Roseana Sarney tem tanto carinho e que concebida em seu governo das bibliotecas Farol do Saber. (produzirei texto sobre a origem e concepção). Com certeza a secretária adjunta de ensino da Secretaria de Educação, professora Maria da Graça Magalhães Tajra, ainda não tomou conhecimento.

UMA HOMENAGEM AO ESCRITOR BATISTA SOARES


Batista Soares – a quem chamo carinhosamente de Batista, é um intelectual, ativista do jornalismo, escritor, pai de família e notável pelo conhecimento de mundo e pela forma que trabalha as palavras. Refiro-me a uma das pessoas que eu gostaria que tivesse tempo para me ensinar.

Quando Batista morava na Cidade Operária eu trabalhava na feira, sempre interagíamos num box de que eu proprietário. Os porquês de admiração, respeito e reconhecimento são muitos, mas prezo o ser humano, amigo e companheiro de profissão a quem sempre espero aplaudi.

Escuto neste momento palmas: elas são para você que nos premia com a sua imaginação fértil, diferenciada e educadora.
Eu sei que comngam deste mesmo sentimento, meu filho João Victor, minha companheira Concita, meus sobrnhos Lucas e Lael e, princpalmente: o partor Ribamar e sua esposa Lucilene. Pessoas que nutrem amor por você. Pessoas que se alegram pelo seu sucesso. Expressando isso de forma simples da mesma maneira que fazem do envangelho de Jesus Cristo a razão de suas vidas.
Uma das atitudes boas do ser humano é reconhecer os valores das pessoas. Temos que separar muito bem algumas coisas que acontecem na vida. Eu tenho o privilégio de ter conhecido muita gente boa na minha trajetória. Neste caso em particular, só não conquistei mais conhecimento por meio da nossa interação porque nós dois sempre fomos muito ocupados. Sempre que agendávamos para nos encontrar e produzir textos, acabávamos nos desencontrando e não dava certo. Eu perdi muito com isso, pois Batista desenvolve uma técnica de texto que a mim me orgulha de me considerar seu amigo e admirador. Um torcedor que da platéia enxerga o brilho do seu talento.

Nilson de Jesus Ericeira Sousa
Poeta, professor, jornalista, psicopedagogo e estudante de Direito

Battista Soarez participa da 2ª Feira do Livro no Shopping Rio Anil


O jornalista maranhense, psicopedagogo e teólogo, Battista Soarez, participa de uma concorrida sessão de autógrafos de seu novo livro “Por Uma Pedagogia Existencial”, neste domingo, às 16h, no estande da Livraria Vozes na 2ª Feira do Livro no Shopping Rio Anil. Promovida pela Associação dos Livreiros do Estado do Maranhão, a 2ª Feira do Livro no Shopping Rio Anil termina neste domingo.

São mais de 20 mil livros de 54 editoras em 15 estandes. Os livros de Battista Soarez e todos os demais autores estão sendo vendidos com descontos especiais. Em “Por Uma Pedagogia Existencial”, Battista Soarez questiona o leitor se é possível a escola trabalhar uma educação integral e flexível com indivíduos aprendizes? A pedagogia existencial é uma proposta educacional diferenciada.

O autor cita ainda que a educação brasileira ainda não encontrou um caminho que contemple a formação - e não somente a informação - do homem. Fundada, pois, na crueldade da pedagogia tradicional, a educação ainda preserva uma identidade neurótica cuja prática em sala de aula forma indivíduos pouco reflexíveis, que não conseguem lidar com as ferramentas transferidas pelo modelo em questão.

Escrita numa linguagem simples, leve e atraente, esta obra leva o leitor a uma reflexão a respeito do sistema social, da prática educativa e da avaliação. De maneira geral, a prática educacional centrada na pessoa é uma educação saudável, producente e relacional. Perpassa, assim, pelo individual, pelo social, pelo espiritual e pela sensibilidade poético-intelectual. Soarez também é autor de “A Igreja Cidadã”.

Para onde caminho

(poucos são os meus poemas que têm valor literário, muitos deles foram produzidos durante 33 anos que exerci com dignidade minhas funções de funcionário público na Seduc, os postarei na medida do possível). Esse é um deles em cujas originais estão amareladas pelo tempo.



Para onde caminho,

Não sei.

Para onde vou,

Nem vou, não percebo...

E se vou não me encontro.

Devaneios em mim,

Feitos barco de papel,

Levado ao léu,

Mas se que viagem é esta?

Se não há mais propósitos.

Matreiro encostado em escombros,

Mesmo com desejo de ir.

Há um barco a deriva

E que sangra meu peito,

No meio.

Estou de casco e coração inundados

Ferido,

Tiraram meu chão.

Navego em meu mar

Sem mais amar,

Em mar de desencantos

E num oceano de desilusões.

Nilson Ericeira

Robrieele

Rapariga

Rapariga de um só homem

De Pedro.

A flor da pedra,

Flor de Pedro.

A moça do coronel

De uma velha fazenda que da memória não sai

Flor matreira, companheira, amiga, fiel...

És a alma dos poetas nascente e descendente

Herdeiros de indescritível inteligência.



Rapariga que abraça e acolhe.

Acalanta filhos seus e doutras crias.

A sina do que faz Sinhar,

De levar o amor em evidência,

Igual grandeza de ser.



É um milagre de Deus em nós,

pra nós...

Combustível de amor,

Luta e essência do bem,

De quem sofre e sorri no mesmo tom

E gosto.

Nosso espírito,

Voz d’alma,

Que nos acalma,

De magna mãe.

Nilson Ericeira

Robrielle

15/09/2011

Um outro Maranhão é possível

Não que queiramos acirradamente uma divisão territorial do Maranhão, porém é urgente que se pense em mudanças na forma de aplicar os recursos públicos em todos os níveis. Ainda reclamamos da escassez de recursos em áreas essenciais como a educação, saúde e segurança.

O Maranhão amarga indicadores assombrosos em muitas áreas, em quase todas. Isso é fato, mesmo assim volumosas somas de recursos têm sido investidas. Das duas uma: ou os recursos estão sendo ma aplicados ou estão sendo desviados. A contar com os resultados, tudo que se aplica aqui é em vão.

Meu pessimismo causa mal-grado nos políticos detentores de poder, agora imaginem nas crianças desnutridas, vítimas de um Estado sem Estado? Causa-nos esse desconforto e baixa nossa estima conviver com um estado de necessidades a olhos vistos. Os discursos dos políticos têm soado muito mal em nossos ouvidos, ferindo na alma um povo que, mesmo votando nas mesmas pessoas, merecíamos ter um pouquinho de dignidade.

Assim como a outra prostituição, a política é bem mais séria, pois afeta comunidades inteiras, ceifam vidas e destroem perspectivas de gerações. Eu sofro pelo povo do nosso estado órfão que tem tornado-se a cada dia mais imoral. Contexto em que a violência simbólica, a pior delas, tem dizimado vidas e alienado a todo instante.

Este é um assunto que não se esgota, porém haveremos de em outro momento pontuarmos a falta de resultados em várias políticas. Os recursos são poucos, mas têm inegavelmente sido muito mal aplicados. O caos faz muito bem aqueles que fazem do Estado uma extensão de suas salas de bate-papo ou cousa que o valha.

O que é bom a gente publica


O novo ministro do Turismo, Gastão Vieira (PMDB), tem focado sua vida política nos últimos anos na área de educação. Como deputado, era presidente da Comissão de Educação na Câmara e, no ano passado, os veículos de imprensa do Maranhão, ligados ao presidente do Senado, José Sarney, listaram seu nome entre os possíveis sucessores de Fernando Haddad no Ministério da Educação. Além disso, dos políticos ligados à família Sarney, ele é o único que sofreu redução de seu patrimônio nas duas últimas eleições.

O deputado Gastão Vieira, novo ministro do Turismo

No quinto mandato como deputado federal, Vieira já foi secretário de Planejamento do Governo Edison Lobão (1991/1994) e de Educação de Roseana Sarney (1995/1998). Ele voltou a assumir a secretaria de planejamento de Roseana (PMDB) em 2009, logo após a cassação do mandato de Jackson Lago (PDT) em abril daquele ano.

Leia também: 'Não sou aquilo que serve para qualquer doença', diz novo ministro

Em sua atuação como presidente da Comissão de Educação, ele especializou e em realizar seminários e eventos que discutiram políticas públicas tanto para o ensino fundamental quanto para o ensino médio. Além disso, sempre defendeu maior remuneração aos professores e cursos de de qualificação docente constante. Além disso, é obcecado pelo uso formal da língua portuguesa. Ele costuma distribuiu panfletos a jornalistas maranhenses com dicas sobre regras da língua portuguesa.

Ele não tem em seu currículo envolvimento com grandes polêmicas ou escândalos. No máximo, alfinetadas. Em março deste ano, por exemplo. Vieira fez algumas críticas públicas à implantação do sistema de ensino à distância no Maranhão, durante o segundo mandato de Roseana Sarney em sua página no Facebook. “O Tele Ensino tinha como objetivo “corrigir” o fluxo escolar. Quando o levaram para o ensino regular, para o jovem na idade correta, cometeram um grande erro. Agora, que ele tinha grandes virtudes na correção de fluxo é inegável”, declarou na época. Até hoje, a implantação do telensino (substituição de professores do ensino médio por aulas em vídeo) é alvo de críticas às gestões anteriores de Roseana Sarney à frente do Estado.

Do clã Sarney, Vieira foi o único que entre as duas últimas eleições, teve redução de seu patrimônio. Nas eleições de 2008, o novo ministro do Turismo declarou patrimônio de R$ 441.599,48. Em 2010, declarou à Justiça Eleitoral que os seus bens equivaliam a R$ 421.180,19. Uma redução de aproximadamente 5%.

14/09/2011

Poucas e boas



Poucas e boas

É uma página criada por este jornalista no intuito de informar e formar opnião dos leitores ao mesmo tempo que contribuir para que nem todos sejam enganados muitas vezes até com coisas óbvias Nesse sentido será ao mesmo tempo uma forma rápida de interagir com os leitores dada a escassez de tempo deste jornalísta.


O mago
O mago tem visitado Arari com muita freqüência. Qual seria a intenção do mago? Meter-se, digo, intrometer-se na política local. Quais seriam suas intenções. Intenções, pois o mago nunca vaga a algum lugar sem que tenha muitas intenções.

Inteligentíssimo, de fino trato, já ocupou e/ou exerceu funções relevantes em São Luís e no governo do Estado, agora tem feito visitas periódicas a sua cidade. logo ele que sempre considerou Arari uma cidade provinciana e com pouco espaço para seu intelecto? Aí tem. Informam algumas fontes que poderá esta de olho na manutenção da família no poder por algum tempinho mais. Articulador, isso ele é.


Campanhas fora do tempo
Nada contra algumas autoridades já fazerem suas campanhas agora. Mas o MP Eleitoral e a Justiça têm a ver com essa história? Alguns já anteciparam a suas campanhas. Aqui, no Maranhão, já temos “candidatos a prefeito e a governador”. Pensou-se em dado momento em que as eleições seriam casadas. Nada disso é que os pleitos foram antecipados mesmos. Se isto não for verdade eu me considero um louco.

Exemplos claros disso são o atual prefeito de São Luís, João Castelo, o deputado estadual Max Barros e o secretário chefe da Casa Civil, doutor Luís Fernando. A quem eu tenho respeito e admiração.

O pano de fundo é um pretexto. Ou então estou louco mesmo. Mas como a história é cíclica e no Maranhão tudo pode, desde que estejamos do lado, ao lado, próximo dos governos. Então vamos assistindo a tudo e fazendo de conta que são ações desde e daquele poder. Meu Deus!

Andornha falante ou fábula

Uma andorinha me contou que os professores do estado vão fazer greve e que estão se ao organizando de maneira diferente. Como será heim?

Canteiro de obras
A Cidade Operária está abandonada. Aguardem que bem perto das eleições municipais muitas ações do governo estadual e municipal vão chegar. Tomara que não seja tarde. E vire um canteiro de obras, mas não das que pisamos agora nas ruas do bairro.

Água só de chuva
Água no Jardim América só quando chove. Algumas residência que já tinham banidos suas cisternas voltaram a abrir outra. A boa assessoria da Caema faz, nesse sentido, as reclamações diminuírem, mas água que é essencial, essa só na casa de alguns. Fique quieto que isso também se resolve no período eleitoral.

Liberdade antes que seja tarde

Liberdade – tem gente no bairro da Liberdade uma tiririca com o prefeito João Castelo, a primeira dama Gardênia e com o doutor Gutembergue. Segundo uma fonte é porque eles foram lá na campanha passada de vereador e prefeito e prometeram um monte de coisas e até hoje. Vai que é tua Castelo!


Bira bibica candidatura do PT

Bem que o PT deveria lançar Bira do Pindaré a prefeito de São Luís. O PT tomaria essa atitude independente de aliança com o governo e com certeza a militância abraçaria a campanha. Eu tenho certeza disso. Vamos esperar.

Prédios públicos: dinheiro do povo, pelo povo e para o povo

Perguntar nem sempre não ofende: por que será que algumas escolas da rede estadual os alunos não tem Alimentação Escolar. O gato comeu?

Perguntar nem sempre ofende: por que é que muitos prédios do Governo do Estado que antes funcionava os ditos Jardins de Infância estão jogados às traças? Acho que perguntar ofende sim.


Liberdade II
Eu estava precisando mesmo dessa liberdade. Depois eu conto. Aguardem! Quem não pode com o pote não pega na rodilha, já dizia minha avó...

12/09/2011

NOTÍCIAS DA EDUCAÇÃO DO MARANHÃO

Antenado no programa Educação é Notícia

Agora à noite: (as falas são dos diretores Júlio Guterres e Júlio Pinheiro)

O secretário de Educação em reunião com o sindicato, disse que faria uma outra proposta e o Sindicato (Simproesemma) se negou a aceitar e disse que o Sindicato rechaçou a proposta de 26% do Governo do Maranhão para pagar em quatro anos, proposta pelo governo. O número que ficou acertado com o governo foi de quase 39%.

Os primeiros 15 níveis ganham menos que o Piso nacional que é de R$ 1. 187,00. Não cabe ao Sindicato encontrar caminhos para que o Governo pague o Piso. O governo deixou acumular isso. Que isso fique muito claro. A gente quer que se resolva de forma tranqüila. Não dar para ficar a cada semana uma nova reunião. Amanhã terá uma outra reunião e possivelmente terá uma outra reunião na quarta feira.

Segundo o diretor de Comunicação do Sindicato, Júlio Guterres, a governadora Roseana Sarney vai ter que descer dos saltos e negociar. Os secretários não decidem nada e ficam protelando. “Nós esperamos que o Secretário de Educação tenha autoridade para decidir, para que o que o secretário diga na mesa de negociação seja o que decide no governo. O secretário adiantou a decisão de continuar discutindo. Após quarta-feira, não dar mais para esperar, pois dia 16 de setembro já vamos concentrar e fazer uma grande passeata até o Palácio dos Leões. “A gente não quer que aconteça uma outra greve , mais se for necessário usar as outras armas usaremos, nós sabemos usar muito bem”, disse o presidente do Sindicato Júlio Pinheiro.

EDUCAÇÃO AGORA VAI!

DE GRIFO PRÓPRIO: O PARAÍSO É AQUI!


A MATÉRIA É DO SITE DA SEDUC, TIRE SUAS CONCLUSÕES PORQUE EU JÁ TIREI AS MINHAS, ALIÁS JÁ SABIA MUITO BEM ANTES DE SER DIVULGADA.

Notícias

Governo apresenta proposta salarial ao sindicato

O Governo do Estado, por intermédio da Secretaria de Educação (Seduc), apresentou, nesta terça-feira (6), ao Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública (Sinproesemma) proposta salarial para os servidores efetivos da rede pública estadual de ensino do Maranhão. O documento, entre outros itens, propõe reajuste na remuneração salarial e incorporação da gratificação atual em até 80%.

A reunião que aconteceu no palácio Henrique de La Roque, contou com a presença do secretário da Educação, João Bernardo Bringel, dos secretários adjuntos da Seduc, do presidente do Sinproesemma, Júlio Pinheiro e de membros da diretoria do Sindicato.

A proposta consiste no reajuste salarial da categoria em 26% em quatro anos. A regra para aposentadoria de 20 anos de serviço ou 50 anos de idade passa a vigorar apenas para os atuais funcionários. Além disso, o Governo propôs ao sindicato a incorporação da Gratificação de Atividade do Magistério (GAM) em até 80% do seu valor relativo.

Outro item apresentado diz respeito à vinculação da GAM em 25% do vencimento para os professores em exercício no sistema educacional estadual.

"Apresentamos uma proposta para o Sindicato que ira analisar e na próxima semana temos um novo encontro. Esperamos chegar o mais breve possível ao consenso," disse o secretário João Bernardo Bringel.

O presidente do sindicato, Júlio Pinheiro, falou que a proposta será analisada e apresentada para a categoria. "Vamos dialogar com a diretoria do sindicato e, posteriormente, divulgaremos para a categoria a proposta anunciada”, disse.

Bônus

A proposta da Seduc contempla o pagamento de bonificação anual no valor de R$ 6 milhões para as escolas, a partir do cumprimento de metas estabelecidas pela Secretaria. A escola precisa alcançar ou superar a meta de desempenho para receber o bônus, que será divido entre os funcionários lotados no centro de ensino.

Uma nova reunião foi agendada para a próxima semana, onde o sindicato deverá apresentar a sua analise a respeito da proposta recebida.

Reunião de representantes do Governo do Estado e Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública

Data: 12/09/2011

Fonte: Ascom/Seduc

É AMOR

A SAUDADE DE TI ME FAZ SOFRER

É AMOR

QUE ENCHE OS MEUS OLHOS

ALAGA MEU CORAÇÃO DE AMOR INCOMUM

EU ME DERRAMO,

ME ACALMO E ME AFLIJO POR VOCÊ

É A FONTE E MEU ESTADO ESSE AMOR

MEU DESALENTO

MEU RELENTO E ABRIGO

ESSE AMOR...

A BASE DE TUDO É O AMOR

E ESSA SAUDADE SE ME TRAZ DE VOLTA A TI

REVOLVE-ME AO TEMPO DE OUTRORA

QUANDO ME VIA NO BRILHO DE TEUS OLHOS

E NO PROCURAR MATREIRO DE UM PELO OUTRO

E OUTRA LÁGRIMA QUE ROLA SILENCIOSA ASSIM

É SAUDADE VIVA ME LEVA A TI

ME AFASTA E TE ENCONTRA ONDE ESTIVERES

É AMOR

ESSE SENTIMENTO VIVO EM LEMBRAÇAS

QUE O CORAÇÃO ALCANÇA

É AMOR...

Nilson Ericeira (Robrielli

11/09/2011

Perizes: ausência de autoridade, imprudência, acidentes, irracionalidade e morte





Realizamos uma viagem a trabalho, nestes dias de feriadão da pátria. Passamos pela Br. 135, registramos alguns acidentes principalmente no trecho de Campo de Perizes. De Estiva a Perizes de Baixo e no sentido contrário, Perizes São Luís, a imprudência dos condutores aumenta a cada dia. A cada novo feriado prolongado é um verdadeiro deus-nos-acuda. O que antes era prazeroso, agora virou tormenta. Alguma autoridade no reino desse Estado precisa tomar alguma providência que não seja propagandista, de ilusão. Boa parte dos acidentes a causa principal é a imprudência, além do inaceitável em pleno século XXI, uma das principais vias de acesso a uma das principais capitais brasileira, que acaba de fazer festas em 399 anos, num estado selvagem, ridículo. Que esta Br. vai ser refeita isso vai, mas quando? Registramos em nossas lentes uma colisão entre uma carreta e uma camioneta, mais a frente uma motos foi esmagada por uma carreta, logo em seguida um caminhão carregado de batatas sai da pista e foi parar no trilho. A Br. 135, não é ainda dupla, é em faixa única, ou seja, quando um veículo vem o outro não pode ultrapassar: esta a lei da física, ou seja, dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço. Mas infelizmente não isso que acontece... Em Perizes há o predomínio da irracionalidade. Só isso: e muita morte.

Fora disso, inúmeras são as ultrapassagens feitas sem a menor segurança, velocidade muito além do permitido, aproximação demasiada de veículo do outro, não respeitando a distância estabelecida, ultrapassagem em vias não permitidas, em e por aí vai. Mas um fato novo está se juntando a essa balbúrdia: estão assaltando os motoristas no congestionamento no trecho de Perizes ou quando por alguma necessidade tem que parar.

Alguns casos aconteceram sexta, sábado e domingo.

De tudo isso o que mais impressiona é a robustez da imprudência. Fato que tem causado inúmeras vítimas, inclusive aquelas que dirigem com responsabilidade e respeito ao outro acabam sendo vítimas da imprudência de alguns.

Um alerta se faz necessário: seria bom que autoridades federais e estaduais começassem a aplicar a lei nesses desordeiros. Quem sabe isto poderia amenizar a dor e o sofrimento dos que não tem nada a ver com a imprudência, mas acabam sendo vítimas delas. Os homens vezes se desigualam aos animais.

ARTIGO EM HOMENAGEM A BIL DE JESUS


Os agora nossos bonecos ...

• Nilson de Jesus Ericeira Sousa

Assim como as borboletas...

Em Arari temos por hábito cultuar valores e reconhecer as pessoas, sejam as mais simples nos seus afazeres, sejam os que chegam à nossa Terra para contribuir. No caso específico de Benedito Ferreira de Jesus (Bil de Jesus), um estradeiro, matreiro, moleque, de bom papo e de uma sinceridade percebida e denunciada nos seus olhos vermelhos e grandes de discordância, certamente ironizaria ao ver-se em meus textos, logo eu que ele declarava com toda sua sinceridade peculiar não nutrir admiração por este autor, mas sei não falava com o coração. Certamente o fazemos por justiça, carinho e reconhecimento de uma gente que, igual a mim, reconhecem o seu trabalho, a sua história e seu legado que mesmo não sendo filho desse município, seu povo e a cultura desse mesmo povo o reconhecerá sempre.

De repente me percebo na minha própria incontinência e redundância que me são peculiares e egoísmo, mas retifico em orações a sua textura que não é mais minha, aliás, nunca foi, mas do povo e para o povo, do mundo, da mesma forma que emana das praças, dos tablados, dos picadeiros e da cultura... é uma homenagem justa e merecida, mas bem menos da dimensão desse nosso ator.

Bil, nós te reconhecemos em cada esquina desta cidade, em parte de nós, em cada célula que nos forma, em cada molécula e em toda matéria, e, principalmente no nosso amor. De nossa parte, de nossas entranhas, do íntimo de nós, já decidimos: edificamos um amor cultural que perpassará por nossos filhos e netos e ganhará a dimensão na galeria dos filhos ilustres de Arari que Deus quis imortais. E pra esse apogeu nem sempre necessariamente tenham sido paridos aqui. Você é de Buriti e Buriti é forte tão forte quanto à rima externa de Arari, tão forte quanto ser maranhense reconhecido pelo trabalho e legado. Legado é incomensurável, não se mede, mas se reconhece. E isso todos expressamos quando conseguiste nos emudecer e não entender a repentina partida em abre alas de muitas emoções. Lembraremos de você só com alegria, com entusiasmo de quem tem certeza que a Cultura de um povo é a sua voz, seu jeito, seus traços e semblante, sua recepção e suas diferenças. O amor se encontra aqui..., amor se constrói assim.


Bil logo uniu nossa vocação pela oratória ao teatro, ensaiou-nos as primeiras peças e deu vida a quem aparentemente não tinha. Fez enredo com Magá e o Lago da Morte. Falou do nosso começo. Proporcionou que socós e juritis voassem e ganhassem asas na imaginação em plena avenida Dr. João da Silva Lima. Abasteceu-nos de emoção quando cantou no hino da Associação Mirim num dos carnavais de Arari. Bil de Jesus é assim: homem integralmente cultural, meio palhaço, feito do biológico, mas repleto de alegorias, ator, um professor que semeou um fazer cultural que outras gerações escreverão de agora em diante enfatizando esse período fértil em Arari que coincide com a inspiração desse enigmático ator-palhaço e palhaço-boneco que, em profusão de cores, prenunciaria que levitaria e viraria borboletas e visitaria as pessoas quando Deus o tirasse das praças e o levasse para outras platéias. E que palco e horizonte! Eu sei que assim como as borboletas vagando sobre as flores de algodão de Arari, ou no mururu, vaga em nós uma incontinente saudade desse ser maravilhoso que se foi e que Bruriti nos presenteou por um período áureo de nossa cultura. Agora De Jesus, essas mesmas borboletas, frutos de uma imaginação fértil, posam simbolicamente em nossas casas em sinal de agradecimento e, sem nenhuma cerimônia, flutuam sobre o imaginário Casino Arariense e se encontram com os nossos bonecos-melancias que deixaste para todos nós.

Bil, nossas lágrimas enxugam-se no rosto de nossos bonecos andarilhos, passistas e todos teus feitos. Foste tão coreógrafo e ator que nós e nossos bonecos parecíamo-nos todos quando naquele dia nos despedindo de um sentimento tão forte que se uniu pela cultura. Não diferente de quando você chegou a Arari, da mesma forma você partir, pintando piso das ruas, cobrindo-te de forma diferente, sendo amigos de todos, discordando com muitos, e enfrentado e reconhecendo quantos os que te abraçaram, e logo nos demos conta que a latência de um tempo evaporava-se no pulsar de um povo que mapeia seu município pelo que encanta na cultura que é aproximação e identificação de seu povo.

Que eu e nossos conterrâneos guardemos esta mensagem em nossas bibliotecas e, principalmente em nossas memórias, pois precisamos fazer chegar a outras gerações o legado de um grande homem, de uma grande ser. Que não seja somente nas festas religiosas, mas nelas também, você estará sempre na Praça do Folclore, na Graça, na Matriz, na Barragem, no Mirim, no Teso, na Rampa, na Itapoã, no Lago da Morte, na Ilhota, na Mata, em Moitas com Bom Jesus, enfim: Bil de Jesus. Mas em todo rufar de esperanças de que temos o fomento essencial da cultura como um agregado que transforma vidas e oportuniza que seres humanos se reconheçam e que sejam admirados pelo que são capazes de produzir. De palhaço para palhaço ou de boneco para boneco eu vou escrevendo verdades que nem sempre são só minhas. Mas de Jesus.


Nilson de Jesus Ericeira

Poeta, jornalista, professor, psicopedagogo, estudante de Direito

09/09/2011

IMPORTANTE DECISÃO DO VICE-GOVERNADOR DO MARANHÃO

O QUE A POPULAÇÃO DE SÃO LUÍS TEM A VER COM VELHAS PRÁTICAS? TALVEZ APENAS POR CONFIRMAR QUE SEUS ALICERCES CONTINUE DE PÉ.

REALMENTE O GESTO DE WASHINGTON OLIVEIRA, VICE-GIVERNADOR DO MARANHÃO É DIGNO DE ELOGIOS. TER IDO AO ENCONTRO DO PREFEITO JOÃO CASTELO NA FESTA DE 399 ANOS DE SÃO LUÍS. SÓ NÃO CONSEGUIMOS VISUALIZAR QUAL O VERDADEIRO MOTIVO DA FESTA. NUMA SOCIEDADE EM QUE SE PREIORIZASSEM OS INTERESSES PÚBLICOS, COM CERTEZA NÃO REPERCUTIRIA TANTO UMA ATITUDE QUE, APESAR DE SER CORRETA, DEVERIA SER NORMAL. AQUI HÁ MUITA CONFUSÃO ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO.

QUEM CONHECE WASHINGTOM SABE QUE ELE É UM CONCILIADOR E SABE ESTABELECER AS DIFERENÇAS ENTRE O PÚBLICO E O PRIVADO. O VICE-GOVERNADOR TEM EXERCIDO COM MUITA ALTIVEZ, EQUILÍBRIO, COM ELEVADO SENSO DE JUSTIÇA E, SOBRETUDO, TEM SABIDO RECONHECER AS PESSOAS QUE ACREDITAM NO POSICIONAMENTO POLÍTICO DELE. EXEMPLOS COMO O DE MONTEIRO, KLEBER GOMES, VIRNA TEIXEIRA, FERNANDO SILVA, ANSELMO RAPOSO, PAULO ROMÃO, KARINA LINDOSO E OUTROS, PROVAM QUE O VICE-GOVERNADOR VALORIZA QUEM LHES VALORIZA. NA POLÍTICA ISSO TAMBÉM É NORMAL. CONTEXTO EM QUE POLÍTICA, NO SEU PROCESSO SUCESSÓRIO, PASSA POR DECISÕES COLEGIADAS E ESSE PESSOAL TEM MUITA INFLUÊNCIA ENTRE OS MILITANTES. MAIS UMA PROVA QUE TEMOS UM VICE-GOVERNADOR MUITO INTELIGENTE. É TÃO INTELIGENTE QUE NUMA OCASIÃO, QUANDO CANDATO A DEPUTADO FEDERAL, AQUI NA PRAÇA DO FOLCLORE EU E ALGUMA COMPANHEIROS ATIVISTAS DO PT, REALIÁVAMOS UM COMÍCIO E NAQUELE OCASIÃO EU FIZ UMA DENÚNCIA ORAL CONTRA TODOS OS VEREADORES DE ARARI, DAQUELA LEGISLATURA, NO QUE FUI SURPREENDIDO COM UM BILHETE DE UM DOS VEREADORES, UMA AMIGO DE INFÂNCIA QUE EU PREZO MUITO, SOLICITANDO QUE EU DESDIZESSE O QUE HAVIA DITO. NAQUELE MOMENTO MESMO NÃO FAZENDO ISSO POR CONVICÇÃO, FUI INSTRUÍDO PARA RETROCEDER DA JUSTIÇA. E NOVAMENTE BRADEI EM ALTO SOM. NÃO ME ARREPENDI E NÃO ME ARREPENDO.

A ÚTIMA VEZ QUE ESTIVE COM ELE, JÁ FAZ ALGUNS MESES, DISSE A ELE QUE DEVERIA TER UMA BOA ASSESSORIA PARA SE PREPARAR PARA OUTROS DESAFIOS. VEJO QUE FIZ EM VÃO, POIS O MESMO JÁ ESTÁ PRONTO (E TAMBÉM JÁ TINHA COMPOSTO A SUA ASSESSORIA). ALÉM DO MAIS, NAQUELE PERÍODO JÁ MONTAVA SUA ASSESSORIA COM BONS NOMES QUE DEVEM TER A RADIOGRAFIA DOS INDICADORES SOCIAIS DO MARANHÃO. PREOCUPAÇÃO EXTREMA EXTERNADA PELO GOVERNADOR A ESTE JORNALISTA.

QUANTO AO GESTO, EU ENTENDO QUE SÓ REPERCUTIU PORQUE NO MARANHÃO A “POLÍTICA” SE CONSTROI PELO ÓDIO, RESSENTIMENTO E PERSEGUIÇÃO. TÊM INÚMERAS PESSOAS QUE ACREDITAM NESTA ARMA PARA SUBIR SEUS DEGRAUS. OS DEGRAUS SÃO PODERES, MAS SOBEM.

Uivo

Ouço os lobos


Mas só vejo cachorros

Estou no mato sem nenhum cachorro

Estou no mato com cachorros

Estou no mato

Os cachorros ladram

Mas a caravana não passa

Estou só no mato

Só, no mato eu não me encontro

Nem o latido escuto

Ouço uivo

Não são cachorros são homens

homens, cachorros, lobos...

Nilson Ericeira


Robrielli

08/09/2011

Meu clarear

Meu clarear

É ser flor

Ser essência

Ser de Luz

Luz de ser,

Você!



Ser lindo!

Lida!

Ser simples

Em simples trejeitos

Nesse teu jeito de ser.

Ser,

Ser mulher em parte

Ser meu todo, inspiração, poema, luz...

Ser bela e clarear,

resplandecer!

Ser que nasceste menina

tornou-se ser mulher,

Ser sereia que maresias corações...



É flor de ser bela e clarear

Ser que nasce com a luz

Ser nascente da fonte do dia

Ser da tarde, da noite e da luz

Esse ser também é o luar...

Ser de vida,

Ser meu toque e meu cérebro

Meus raios de luz

Audição e todos sentidos

É o meu clarear...

Nilson Ericeira


Robrielli

Tenho Medo



Tenho Medo

Dessa ganância desmedida.

Do amor obscuro.

De mentiras...

De uma amizade plástica,

Conveniente, cessante.

De um beijo gelado,

falseado,
por que programado.
.

De uma aliança oportunista,

Falseada.

De um só-riso falso,

Hipócrita.

Tenho medo do medo que tenho

Tenho medo desse abraço

resíduo, resisto.

Tenho medo da tua chegada

Da tua saída, e silêncio...

Tenho medo desses status,

Sou baixo.

Tenho medo da minha visão

não consigo me enxergar em meio

a tanto egoísmo...

Nilson Ericeira

Robrielle

ALMA TERNA



ALMA TERNA


EU BEM QUE TI QUIS

MESMO COM O AMOR DE MENDIGO

POR UM INSTANTE ME FIZESTE FELIZ.



ALMA TERNA

EU SEM TI NÃO SOU FELIZ

MESMO NA TUA FALTA

EU SEM ALMA NUNCA SEREI FELIZ



MINHA ALMA TERNA

ETERNA ÉS MIM

FEITO CRIANÇA DE QUEM SEMPRE TE QUIS

SEM JAMAIS SEREI FELIZ



SEI QUE A ALMA AGORA VAGUEIA

EM LUGARES INFINITOS

TER TEU AMOR É MAIOR QUE TUDO

NA MINHA VIDA FELIZ...



ALMA QUE POETIZA-ME

ENEGIZA-ME, REVIGORA-ME AMOR

PORTO DE QUEM TE QUIS

PARA MINHA ALMA SER FELIZ.

Nilson Ericeira

Robrielli


Ópera da feira

Me enfiei na feira
Na fileira da feira me enfiei.
Me entreguei ao fedor da feira
Me trumbiquei e comuniquei
Nas fileiras daquela feira
Vi o dia sem sol e a noite sem luz
me em enfiei na fedentina
Escarrei, mijei em litros
Suspirei, superei...
Me afligi na feira
sobrevivi.


Na Franca eu também me enfiei
Originei
E numas segundas e domingos
Voltei a me enfiar na feira.
Ma me encantei com a feira fedida
Com os que aprendi
Na fileira da feira


E me sucumbi
à margem na fileira da feira
Estudei nos tabuleiros da feira
E aprendi linguagens de feira
E segui na ópera da vida
E operei na feira
E estacionei meu coração enfiado
Na feira.

Nilson Ericeira


Robrielli

*Este poema reflete um pouco do meu dia a dia na feira da Cidade Operária em que estudava nos tabuleiros e produzia assim. Se têm conteúdo literário ou não é uma a questão. Mesmo período em que fiz uma especialização em Língua Portuguesa.

07/09/2011

EDUCAÇÃO

Professora Graça Tajra, num evento no Cintra,
 ladeada por professores. Ela que pe Adjunta de Educação
tem um  papel fundamental para que não haja nova greve.
Tem enorme prestígio com a governadora Roseana Sarney,
já ocupou cargos importantges na educação nos
governos de Roseana e poderia, inclusive já ser Secretária de
Educação.




A luta pela educação: marcha e aula sobre Piso marcam a programação do dia 16

Data de Publicação: 5 de setembro de 2011 às 15:03

DO SITE DO SIMPROESEMMA

No dia 16 de setembro, profissionais de educação de todos os estados devem estar mobilizados em duas ações importantes para a qualidade da educação pública brasileira: Uma aula sobre Piso e carreira para os estudantes da rede pública brasileira e uma marcha pelos 10% do PIB para investimento na educação. Foram os encaminhamentos aprovados na reunião do Conselho Nacional de Entidades (CNE), realizada na semana passada, em Brasília.

A proposta é que no dia 16 de setembro, nos dois últimos horários das aulas de todas as escolas públicas seja ministrada uma aula sobre o piso e carreira, para que os estudantes entendam a importância da valorização do profissional de educação e quais as mudanças que o Piso Salarial Profissional Nacional (PSPN) traz para os educadores. Neste dia também será lançado um concurso nacional de desenho. “A intenção é coletarmos o maior número de desenhos possível sobre o tema Piso e Carreira para que possamos estendê-los em um varal que será colocado em frente ao Congresso Nacional no dia 26 de outubro”, explicou o presidente da CNTE, Roberto Leão.

Marcha pelos 10% do PIB

A manifestação de outubro terá como pauta principal é a aplicação de 10% do PIB para a Educação. Com o tema “10 mil pelos 10% do PIB para a educação”, a marcha pretende pressionar os parlamentares sobre o financiamento da educação e chamar a atenção de toda a sociedade para os problemas da educação pública. “Todos estão convidados a participar. Entidades, movimentos sociais, sociedade. Todos que lutam pela educação pública de qualidade devem estar presentes para a marcha em outubro”, ressaltou Leão.

Ele também informou que um abaixo-assinado será disponibilizado no site da CNTE, para coletar assinaturas a favor do investimento dos 10% do PIB para a educação. “Além deste abaixo-assinado no site, todas as entidades ficarão responsáveis por coletar assinaturas em cartões que serão distribuídos pela CNTE. Queremos ter, pelo menos, dez assinaturas em cada cartão, totalizando dez mil no final. Este cartão será entregue aos parlamentares no dia 26 de outubro”.

A marcha pretende reunir mais de 10 mil pessoas. Os participantes se concentrarão em frente ao Estádio Mané Garrincha (que está sendo reformado para a Copa) e seguirão em marcha até a frente do Congresso Nacional, onde estarão expostos os mais de dez mil desenhos sobre a importância do investimento de 10% do PIB na educação. Leão explica que a escolha da marcha para o mês de outubro não é sem motivos. “Acreditamos que outubro é uma época crucial para aumentar a pressão em cima dos parlamentares para a aprovação do PNE e que ele seja aprovado com as reivindicações oriundas da CONAE e de acordo com os interesses da educação pública”.

A próxima reunião do CNE deve acontecer em dezembro para avaliar os resultados das lutas e definir um novo calendário de mobilização para o próximo ano.

Fonte: CNTE

Li texto oficial sobre esta matéria, mas estranhamente o texto sumiu do site.

06/09/2011


Fotografia: dos alunos do Paulo VI




Instantes de São Luís

És nosso sol nascente

Que em excitantes poentes


De nasceres e amadureceres

Rejovelhescida em encantos e magias,

Maresias em nós...



São Luís onde o Sol brilha

Na sombra de casas, mirantes e casarões

Que se renova ao brilho de raios

E no frio dos telhados

Ilhada de rios e de gotas de amar

É esse nosso amar!


De moços pardos, brancos e continentais

Filhos de plebe e de França

Brasileiros daqui

Da nossa Ilha do Amor

De encanto e desencantos

De magia sem cartolas e mágicos


Mas mesmo assim és magistral

Mesmo em beleza tão maltratada

De nudez política.

Percebo que já desnudas,

Mesmo que em teu vestido de chita rasgado

em azulejos escuros pelo pós

de corrupção e maus tratos

E teu semblante triste,

Mirantes destelhados,

De ombros-muros caídos,

Calçadas obradas

Mesmo assim resiste esse lugar!


São Luís,

De fontes agora fétidas, sujas, poluídas e possuídas...

Teus palhaços tão sem graça

Nosso amor ferido e rebeldia ofuscada

É de doer no peito e ofuscar nosso brio

Ainda bem que se sabe que o Odilo

É nosso Filho

E o Ferreiro

Acolá,

O Josué é Montello

A ponte é Tribuzi...


São Luís

De ti

nos inspira um amar eterno

Igual o luar de boca da noite

que finge morrer e desmaia

A conversa fiada, a prosa, o vizinho

A pamonha,

A saudade!


Eu sei que teu futuro é discurso

É percurso por onde tens que passar,

Mas em aniversários eternos

Sei que uns filhinhos de tuas entranhas

Já matraqueiam, alumiam, rufam

E brincam na Ponta-D’areia

E já apeiam suas tropas:

Boeiros, artesãos, apeiam na Maioba

o seu batalhão

Só para te homenagear...


E a Cidade louvada

Tem num novo cenário

Têm novas atrizes, políticos passistas...

Noutra cena estamos atores, doutores das letras

de bumba-meu-boi,

E de toa-dores que fazem o retumbá

És São Luís encantada e tão festejada em versos

Baleiros, pregoeiros...

Todos deste lugar.


São Luís teu Sol é tão forte

Já disse és do Norte

Ah, aaêêê derressol!

E que morenas juçaras

É bacaba,

Maracaneiam nesse luar!


Oh minha Ilha encantada

Eu sempre corro ao encontro de ti

Em teus becos

E sob as bicas desses becos e ruas

que agora,

Reproduzo em versos para ti homenagear.

Nilson Ericeira


Robrielli



02/09/2011

DESEDUCAÇÃO

• Nilson de Jesus Ericeira Sousa



A “gestão” da “professora” Olga Simão na Seduc

Conforme havia anunciado, a “gestão” da “professora” Olga Simão na Seduc teria sido pífia, desculpe-me, mas me expressando dessa forma, poderá até parecer elogio, tendo em vista que não é só fruto da minha convicção enquanto cidadão que entende muito pouco de educação e de assuntos de forma geral, mas da maioria das pessoas que realmente entendem desse assunto. São dados e fatos que comprovam. Olga no período que ocupou o cargo de Secretária de Educação não fez nada. Aliás, fez sim: perseguiu funcionários de boa índole e de história e se permitiu ser levada por quem tem o ódio, a frustração, a desagregação e a maldade com únicos alimentos. Expresso-me, professora Olga, a respeito de pessoas más, gente já sem da moral, muito menos de relativa convivência com seus iguais. Falo de pessoas extremamente mal educadas. Geralmente de fino trato na presença de seus superiores. Não iguais a você, pois você não sabia onde estava e se aconselhou com quem menos deveria. Quando você chegou ao prédio da Seduc na Rua Conde D’eu o fez pelos fundos. Da mesma maneira que atribuo a você todo ócio na matéria de educação estadual por não conhecer a educação e nem precisa se esforçar, pois que tem um QI desses não precisa mais de nada. De volta ao poema: “eu sou amigo do rei.” Mas que sua indiferença com os que fazem educação remete a ponderação inútil e inválida, uma vez que você não precisa das pessoas, e não se invalida o que não existe. Lembra quando você pegou todos os funcionários de um setor e colocou todos amontoados como se fossem arquivos. Isso mesmo: amontoados feitos coisas, objetos... E as bandas marciais ou fanfarras, muitas delas premiadas em nível nacional, mas se vocês não respeitaram nem a que levava o nome da governadora, vão respeitar o que? Abanda estadual Roseana Sarney vocês destruíram e com ela levaram o trabalho e a empolgação de pessoas que deram sua vida por essa harmonia. É assim que funciona ainda nuns prédios da educação. Mas isso é correto? Ainda que esse tempo se foi: de tempestades e vendavais.

Haja redundância neste texto, pois ações efetivas não aconteceram de fato. O que aconteceu na educação do nosso estado é que planilhas estéreis voltaram a ganhar força e perseguições pessoais tomaram ênfase de servidores que como eu, que passamos nossas vidas servindo à educação. Isso de fato aconteceu. Essas mesmas pessoas cúmplices dessas maldades são as mesmas que declaram seu amor a Deus e ao Diabo ao mesmo tempo. São organismos virais habilidosos na artimanha de puxar saco de secretários atuais, cujo passado lhes serve de dejetos para esquecer o que se passou. Saiba professora Olga Simão você já não é para eles a mesma excelência e nem tem a mesma qualidade total que tinha antes na concepção deles. Ah, você ainda tem, pois revolucionará a Secretaria de Ciência e Tecnologia, certamente. Ainda bem que certamente você levará seus bons “acessores” (grifo próprio: acessórios).

Todas as “ações” divulgadas na mídia, ou já estavam sendo tocadas na Seduc, ou foram copiadas de governos anteriores, ou foram lincadas do governo federal, ou foram “ensinadas” pelo nosso vizinho Estado de Alagoas, vizinho não só pela posição geográfica, mas por amargar junto com o Maranhão, indicadores assombrosos. Mas as professora Olga não tem culpa de nada. Transfere-se essa responsabilidade aos que quiseram tirar água de pedra. Impossível!Mas logo na educação alguém pode abrir seu armário num dia nublado e de extrema falta de inspiração, porém estratégias de manutenção e com olho no futuro político, “escolher” entre seus objetos de uso pessoal, um de seus amigos para gestar coisa pública, quando com certeza, há pessoas em nosso estado, preparada para essa função. No próprio PT do Maranhão há. Logicamente não me coloco nesse contexto. Mas de uma coisa eu tenho certeza, não me enganam, não me deixo enganar, não me iludo e melhor, tenho percepção do politicamente correto. Nada passou sem que eu não tivesse prestado a devida atenção. Nesse período, muito bem orientada, por assessores não menos ditadores e insensíveis, a ex-secretária de educação, mas já na tecnologia, ajudou a entornar as relações da Secretaria Estadual de Educação com seus públicos e consequentemente com à sociedade. São professores, funcionários da educação, de maneira geral, extremamente descrentes de que algo no reino dessa ilusão possa acontecer. Alguns de seus assessores, com a devida permissão da titular e com o aval da governadora (pelo menos essa parte da orientação elas não omitiram, pois parecem que fazem questão de desgastar a imagem de Roseana) perseguiram funcionários (legislo em causa própria inclusive com um presente de aniversário que me deixou profundas feridas, decretaram a minha sentença de morte) por meio de um decreto virtual da Governadora Roseana Sarney, do qual, até que se prove o contrário, é fruto de uma imaginação maquiavélica, mesquinha e perseguidora de personas não gratas cujo passado em currículum pregresso e peripércias tem sido premiados pela governadora a cada novo ciclo de governo (que amizade digna de ser elogiada, no mesmo tom da sua repugnância e náuseas causadas à sociedade), há registros que facultam contra suas probidades. Poderíamos citar exemplos, não os faremos, mas quem se informa sabe que, a cada gestão de governo descontínuo, mas continuísta, essas pessoas no afã de uma amizade, perseguem servidores a toda prova: são humilhações de todas as formas que vão de assédio moral à propalações de mentiras. E isso sim cabe processo. Mas eu deva saber muito menos disso do que os que praticam. Acontecem que eles sabem que podem ir além de suas intenções homofóbicas. Mas não Algum crápula deve acreditar que a mentira é a própria verdade, desde que a mentira o beneficie, satisfaça seus egos e escondam a toda prova a justiça. E Deus? Deus tem um tempo diferenciado dos mortais e já não os preocupam, pois acreditam nos seus umbigos e satisfação de suas sanhas como ações justas. É justo humilhar funcionários? É justo ceifar sonhos? É justo ser má e ocupar cargos de tamanha importância num estado em que a maioria das pessoas não tem acesso à educação de qualidade? Parece então que um Estado em Passargada é constituído dos amigos de quem governa. Disso podem se vangloriar: pelo menos disso!

Não conheço a “professora” Olga pessoalmente. Falei com ela uma única vez, quando no governo José Reinaldo, sem saber dirigir direito fiz um favor para uma amiga em comum, e entreguei um documento para a ex-secretária de educação. Não a odeio e nem tenho nada contra, mas colocar pessoas maldosas e monossilábicas para posições que transformam vidas é querer realmente tirar água de pedra, malhar em ferro frio, restando apenas a mentira como alento...

E as ações? Estas não existem. Nos anais da Seduc não deixarei de contar essa história, mesmo que fisicamente distante esteja. Infelizmente a administração de Olga Simão na Seduc não será lembrada. Assim seguem na Seduc alguns assessores que recheiam seus textos orais de inverdades e tentam persuadir-nos como se fossem o supra-sumo. Esquecem-se esses insipientes que a mentira transparece no rosto de seu maquiador, ou melhor, maquinador.

Nilson de Jesus Ericeira Sousa

Poeta, jornalista, professor, psicopedagogo, estudante de Direito

DESEDUCAÇÃO




• Nilson de Jesus Ericeira Sousa



A “gestão” da “professora” Olga Simão na Seduc

Conforme havia anunciado, a “gestão” da “professora” Olga Simão na Seduc teria sido pífia, desculpe-me, mas me expressando dessa forma, poderá até parecer elogio, tendo em vista que não é só fruto da minha convicção enquanto cidadão que entende muito pouco de educação e de assuntos de forma geral, mas da maioria das pessoas que realmente entendem desse assunto. São dados e fatos que comprovam. Olga no período que ocupou o cargo de Secretária de Educação não fez nada. Aliás, fez sim: perseguiu funcionários de boa índole e de história e se permitiu ser levada por quem tem o ódio, a frustração, a desagregação e a maldade com únicos alimentos. Expresso-me, professora Olga, a respeito de pessoas más, gente já sem da moral, muito menos de relativa convivência com seus iguais. Falo de pessoas extremamente mal educadas. Geralmente de fino trato na presença de seus superiores. Não iguais a você, pois você não sabia onde estava e se aconselhou com quem menos deveria. Quando você chegou ao prédio da Seduc na Rua Conde D’eu o fez pelos fundos. Da mesma maneira que atribuo a você todo ócio na matéria de educação estadual por não conhecer a educação e nem precisa se esforçar, pois que tem um QI desses não precisa mais de nada. De volta ao poema: “eu sou amigo do rei.” Mas que sua indiferença com os que fazem educação remete a ponderação inútil e inválida, uma vez que você não precisa das pessoas, e não se invalida o que não existe. Lembra quando você pegou todos os funcionários de um setor e colocou todos amontoados como se fossem arquivos. Isso mesmo: amontoados feitos coisas, objetos... E as bandas marciais ou fanfarras, muitas delas premiadas em nível nacional, mas se vocês não respeitaram nem a que levava o nome da governadora, vão respeitar o que? Abanda estadual Roseana Sarney vocês destruíram e com ela levaram o trabalho e a empolgação de pessoas que deram sua vida por essa harmonia. É assim que funciona ainda nuns prédios da educação. Mas isso é correto? Ainda que esse tempo se foi: de tempestades e vendavais.

Haja redundância neste texto, pois ações efetivas não aconteceram de fato. O que aconteceu na educação do nosso estado é que planilhas estéreis voltaram a ganhar força e perseguições pessoais tomaram ênfase de servidores que como eu, que passamos nossas vidas servindo à educação. Isso de fato aconteceu. Essas mesmas pessoas cúmplices dessas maldades são as mesmas que declaram seu amor a Deus e ao Diabo ao mesmo tempo. São organismos virais habilidosos na artimanha de puxar saco de secretários atuais, cujo passado lhes serve de dejetos para esquecer o que se passou. Saiba professora Olga Simão você já não é para eles a mesma excelência e nem tem a mesma qualidade total que tinha antes na concepção deles. Ah, você ainda tem, pois revolucionará a Secretaria de Ciência e Tecnologia, certamente. Ainda bem que certamente você levará seus bons “acessores” (grifo próprio: acessórios).

Todas as “ações” divulgadas na mídia, ou já estavam sendo tocadas na Seduc, ou foram copiadas de governos anteriores, ou foram lincadas do governo federal, ou foram “ensinadas” pelo nosso vizinho Estado de Alagoas, vizinho não só pela posição geográfica, mas por amargar junto com o Maranhão, indicadores assombrosos. Mas as professora Olga não tem culpa de nada. Transfere-se essa responsabilidade aos que quiseram tirar água de pedra. Impossível!Mas logo na educação alguém pode abrir seu armário num dia nublado e de extrema falta de inspiração, porém estratégias de manutenção e com olho no futuro político, “escolher” entre seus objetos de uso pessoal, um de seus amigos para gestar coisa pública, quando com certeza, há pessoas em nosso estado, preparada para essa função. No próprio PT do Maranhão há. Logicamente não me coloco nesse contexto. Mas de uma coisa eu tenho certeza, não me enganam, não me deixo enganar, não me iludo e melhor, tenho percepção do politicamente correto. Nada passou sem que eu não tivesse prestado a devida atenção. Nesse período, muito bem orientada, por assessores não menos ditadores e insensíveis, a ex-secretária de educação, mas já na tecnologia, ajudou a entornar as relações da Secretaria Estadual de Educação com seus públicos e consequentemente com à sociedade. São professores, funcionários da educação, de maneira geral, extremamente descrentes de que algo no reino dessa ilusão possa acontecer. Alguns de seus assessores, com a devida permissão da titular e com o aval da governadora (pelo menos essa parte da orientação elas não omitiram, pois parecem que fazem questão de desgastar a imagem de Roseana) perseguiram funcionários (legislo em causa própria inclusive com um presente de aniversário que me deixou profundas feridas, decretaram a minha sentença de morte) por meio de um decreto virtual da Governadora Roseana Sarney, do qual, até que se prove o contrário, é fruto de uma imaginação maquiavélica, mesquinha e perseguidora de personas não gratas cujo passado em currículum pregresso e peripércias tem sido premiados pela governadora a cada novo ciclo de governo (que amizade digna de ser elogiada, no mesmo tom da sua repugnância e náuseas causadas à sociedade), há registros que facultam contra suas probidades. Poderíamos citar exemplos, não os faremos, mas quem se informa sabe que, a cada gestão de governo descontínuo, mas continuísta, essas pessoas no afã de uma amizade, perseguem servidores a toda prova: são humilhações de todas as formas que vão de assédio moral à propalações de mentiras. E isso sim cabe processo. Mas eu deva saber muito menos disso do que os que praticam. Acontecem que eles sabem que podem ir além de suas intenções homofóbicas. Mas não Algum crápula deve acreditar que a mentira é a própria verdade, desde que a mentira o beneficie, satisfaça seus egos e escondam a toda prova a justiça. E Deus? Deus tem um tempo diferenciado dos mortais e já não os preocupam, pois acreditam nos seus umbigos e satisfação de suas sanhas como ações justas. É justo humilhar funcionários? É justo ceifar sonhos? É justo ser má e ocupar cargos de tamanha importância num estado em que a maioria das pessoas não tem acesso à educação de qualidade? Parece então que um Estado em Passargada é constituído dos amigos de quem governa. Disso podem se vangloriar: pelo menos disso!

Não conheço a “professora” Olga pessoalmente. Falei com ela uma única vez, quando no governo José Reinaldo, sem saber dirigir direito fiz um favor para uma amiga em comum, e entreguei um documento para a ex-secretária de educação. Não a odeio e nem tenho nada contra, mas colocar pessoas maldosas e monossilábicas para posições que transformam vidas é querer realmente tirar água de pedra, malhar em ferro frio, restando apenas a mentira como alento...

E as ações? Estas não existem. Nos anais da Seduc não deixarei de contar essa história, mesmo que fisicamente distante esteja. Infelizmente a administração de Olga Simão na Seduc não será lembrada. Assim seguem na Seduc alguns assessores que recheiam seus textos orais de inverdades e tentam persuadir-nos como se fossem o supra-sumo. Esquecem-se esses insipientes que a mentira transparece no rosto de seu maquiador, ou melhor, maquinador.

Nilson de Jesus Ericeira Sousa

Poeta, jornalista, professor, psicopedagogo, estudante de Direito