30/07/2011

O que nos mata

O que nos consome não é homem
mas a maldade dos homens

O que nos devora não é o egoísmo dele
mas a fúria desse egoísmo...

O que nos prejudica não é o ardor da maldade
mas sua propalação e estética

O que nos entristece não é o desamor
mas o sepulcro dos justos

O que nos fere nem é o ferrão da maldade
mas a flecha do dissimulado

O que nos emudece não é o cinismo do hipócrita
Mas a mesquinhez dos que confiam

O que nos angustia nem é a ingratidão dos sórdidos
mas a ilusão dos fracos

O que nos ofusca não é o deus propagado
mas a ausência do Deus do amor

O que nos aborrece nem é insipiência
mas a cegueira de alguns

O que nos mata não é doença, nem gânglio
mas a injustiça...

Nilson Ericeira


Robrielli

PONTO DE VISTA SOBRE SEGURANÇA PÚBLICA



O CRIME DEVE SER ANALISADO SOBRE DIVERSOS PRISMAS: O POLÍTICO, O SOCIAL, O ECONÔMICO ..., E, SÓ COMO RESULTADO FINAL, ANALISADO SOBRE A VIOLÊNCIA. NÃO É DE HOJE QUE SE ESTUDA OU PELOS MENOS SE QUER ENTENDER AS ORIGENS DO CRIME, SUAS CAUSAS. Com ESSA TAREFA, AUTORES QUEIMARAM PESTANA DURANTE ANOS. NA SE TRATANDO DE UM ASSUNTO QUE SE ESGOTE, POIS A SOCIEDADE É DINÂMICA, E O DIREITO ADVEM DA SOCIEDADE. NO MARANHÃO, UM ESTADO MATERIALMENTE POBRE DO PONTO DE VISTA DE AÇÕES QUE ALAVANQUEM PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, E QUE TEM GRANDE PARTE DE SEU POVO VIVENDO ABIXO DAS EXPECTATIVAS, PORÉM É VIÁVEL E SUTENTÁVEL, POR SE TRATAR DE UM ESTADO ABENÇOADO PELA SUA EXPLENDOSA NATUREZA. ASPECTO QUE TÊM DESLOCADO INVESTIDORES DO RAMO AGRÍCOLA, AGRÁDIO E DE EXPORTAÇÃO, QUE VEM DE OUTROS ESTADOS BRASILEIROS. É BOM QUE SE PENSE QUE DE CERTO MODO A MÍDIA COM SUAS FACETAS TEM PRODUZIDO FALSAS EXPECTAIVAS NA PROPAGANDA GOVERNAMENTAL E, COM ISSO, AUMENTADO MAIS O FOSSO DA VIOLÊNCIA CRESCENTE.

NÃO OBSTANTE A SUA VIABILIDADE, FATORES OUTROS TEM CONTRIBUÍDO PARA DIMINUIR NOSSA GENTE BRAVA. EMPREGO, MORADIA, SANAMENTO BÁSICO, HABITAÇÃO, EDUCAÇÃO, , SEGURANÇA E CIDADANIA. ESTES BENS LHES FALTAM. QUANDO OS TÊM, POSSUEM DE FORMA SABRECADA. ISSO MESMO, DESCOMPOSTOS. PENSO, SICERAMENTE, QUE NEHUMA ANÁLISE SOBRE O AUMENTO ASSUTADOR DA CRIMINALIDADE NESTE ESTADO, PODE SER FEITA SEM QUE SE LEVE EM CONSIDERAÇÃO AS CONDIÇÕES QUE NOS IMPULSERAM. É CERTO QUE NINGUÉM TEM O SEU CRIME JUSTIFICADO POR AÇÃO DELINQUENTE. MAS É PRECISO QUE SE REPENSE UMA OUTRA FORMA DE GOVERNAR NUMA OUTRA PERSPECTIVA DE SEGURANÇA PÚBLICA. DA FORMA QUE ESTÁ É POSSÍVEL QUE NOSSAS GERAÇÕES CRESÇAM CONFIRMANDO O STATUS QUO DE QUE A VIOLÊNCIA EXTREMADA E A AUSÊNCIA DE ESTADO É UMA CONDIÇÃO NORMAL. POIS NÃO O É. É A EXCEÇÃO, UMA VEZ QUE O PAPEL DO ESTADO NA SUA CONSTITUIÇÃO É O PATROCÍNIO DO BEM COMUM.

NÃO AFIRMO QUE CHEGAMOS A BÁRBARIE, POIS NEM PODERÁIMOS RETROCEDER. MAS TENHO CERTEZA QUE A AUTOTELA VEM SE IMPONDO E O QUE TEM VALIDO É A FORÇA DO SUPOSTAMENTE MAIS FORTE EM RELAÇÃO AO SUPOSTAMENTE MAIS FRACO, ANTE A PATENTE AUSÊCIA DO ESTADO NO SEU APODRECIMENTO NOTÓRIO. ESTE TEM QUE SE IMPOR FAZER VALER AÇÃO PÚBLICA COERSITIVA, INTIMIDADORA SOB O ASPECTO DE QUE A PENA É UMA MEDIDA QUE GARANTE QUE A JUSTIÇA SE RESTABELEÇA. CASO AS AUTORIDADE NÃO SE PREOCUPEM COM A VIOLÊNCIA CRESCENTE QUE A TODOS ATEMORIZA, DECRETA-SE SUA FALÊNCIA DIANTE DO CRIME.

MUITOS SÃO OS QUE, EM PRATICANDO UM DELITO, VEEM-SE DIANTE DA AÇÃO DOS SEUS ALGOZES, COMO SE ELES FOSSEM O PRÓPRIO ESTADO. É NECESSÁRIO QUE O ESTADO ASSUMA O SEU PODER, EM QUALQUER ESFERA (COMPARTIMENTO DE PODERES), INCLUSIVE NO DE POLÍCIA, PARA SE NÃO FACULTAR UMA SOCIEDADE MENOS INJUSTA, FAZER VALER O ESTADO DE DIREITO: A ORDEM.

Nilson de Jesus Ericeira Sousa

Poeta, jornalista, professor, psicopedagogo e estudante de Direito

FEIRA DA CIDADE OPERÁRIA PRECISA DE REFORMA URGENTE



AS CONDIÇÕES DA FEIRA DA CIDADE OPERÁRIA ESTÃO, A CADA DIA, MAIS PRECÁRIAS. SEM QUE NENHUMA AUTORIDADE SE PREOCUPE, A FEIRA TEM SE DETERIORADO ANO APÓS ANO.

A PARTE EXTERNA ESTÁ EM PÉSSIMAS CONDIÇÕES. ESTACIONAMENTO PRIVATIZADO POR FLANELINHAS. SEM QUE HAJA NENHUM CONTROLE PÚBLICO, A TODO INSTANTE VEMOS CENAS DE DESGOVERNO TANTO MUNICIPAL QUANTO ESTADUAL. A FAIXADA DO PRÉDIO ESTÁ EM PÉSSIMO ESTADO DE CONSERVAÇÃO, PORÉM NA PARTE INTERNA, ONDE FICAM OS BOX, ESTÁ PIOR AINDA.

A FEIRA DA CIDADE OPERÁRIA, QUE EM PRINCÍPIO ERA ADMINISTRADA PELA PREFEITURA DE SÃO LUÍS, PASSOU PARA A SSOCIAÇÃO DOS FEIRANTES E POSTERIORMENTE COOPERATIVA. ESTA TEM OPERADO COM EXTREMA DIFICULDADE EM VIRTUDE DE NÃO RECEBER QUALQUER CONTRIBUIÇÃO DO PODER PÚBLICO. PARA JUNTAR-SE AO CAOS, AS RUAS QUE DÃO ACESSO A FEIRA, ESTÃO DESTRUÍDAS, DIFICULTANDO ASSIM AOS CONSUMIDORES DE VÁRIOS BAIRROS DA ILHA DE SÃO LUÍS.


ALGUMA AUTORIDADE HÁ DE SE PREOCUPAR COM A RUAS DENTRO DA FEIRA QUE HA ANOS NÃO RECEBEM QUALQUER BENEFICIAMENTO, OS BOX. ALI TEM PAIS E MÃES DE FAMÍLUIA QUE SUSTENTAM SEUS FILHOS COM O TRABALHO NA FEIRA. É PRECISO ORDEM, É PRECISO AUTORIDADE.

CIDADE OPERÁRIA ABANDONADA



OLHA O TAMANHO DO BURACO QUE FICA EM FRENTE À AGÊNCIA DO BANCO DO BRASIL, NA CIDADE OPERÁRIA.


OS MORADORES DA RUA JÁ COLOCARAM ENTULHO VÁRIAS VEZES NO BURACO DO BANCO DO BRASIL, MAS EM VIRTUDE DE SER UMA AVENIDA BASANTE MOVIMENTADA, TUDO VOLTA LOGO A SEU ESTADO NORMAL, CONFORME A ADMINISTRAÇÃO DE SÃO LUÍS.

UM DETALHE: QUANDO OS CARROS CAEM NO BURACO,TEM UMA CÂMERA DO BANCO QUE DIZ ASSIM: SORRIA, POIS SEU CARRO CAIU NO BURACO!

ENTENDO QUE DEVERIA HAVER AÇÕES URGENTE DE RESTAURAÇÃO DAS RUAS DA CIDADE OPERÁRIA. O POVO QUE MORA AQUI PAGA IMPOSTOS COMO TODO CONSUMIDOR FAZ.

LARÁPIOS ROUBAM A IGREJA DE CRISTO

Ontem à noite (30), a Igreja de Cristo, na Cidade Operária, foi assaltada. Os ladrões não têm respeitado nem a Casa de Deus.

Usando uma das laterais da Igreja que tem um gradeado de ferro, os malacos entraram e destruíram uma porta lateral arrombando-a. Logo após, arrancaram uma tira de alumínio de uma segunda porta e fizeram algum menor de idade entrar por um buraco causado pela ação marginal. Dentro da Igreja, os bandidos levaram a aparelhagem de som que inclui uma mesa de som, um retroprojetor e outros apetrechos. As bandejas da bateria foram encontradas no corredor por onde eles (ladrões) adentraram.

O pastor José de Ribamar Ericeira Sousa registrou a queixa na Delegacia da Cidade Operária. Até o momento em que estivemos lá, por volta das 11h, nenhuma providência havia sido tomada. Entretanto, policiais dessa mesma ordem de segurança perguntaram ao mesmo se havia algum suspeito. De uma coisa temos certeza: de que Deus viu tudo.

O prejuízo foi muito grande e há dificuldades para repor determinados bens materiais, uma vez que a Igreja de Cristo, em sua formação, consta de pessoas bastante humildes.

Pede-se, entretanto, que quem ver ou ouvir alguém negociando apetrechos de som, sem nota fiscal e de origem duvidosa, comunique imediatamente a Delegacia da Cidade Operária, ou na própria Igreja. Com certeza Deus recompensará por tal atitude.

Arrombamentos a igrejas tem sido prática constante no Maranhão. Vários aspectos possibilitem que esses atos fiquem na impunidade. Somam-se da falta de vontade dos agentes a deficiência no quadro de policiais no Maranhão, que conta com um dos menores índices de policiamento por habitante. Em síntese, a Segurança Pública, bem como outras áreas, precisam urgentemente ser melhores trabalhadas.

25/07/2011

EDUCAÇÃO DO MARANHÃO


Hoje é Dia do Motorista

Minha homenagem é aos motoristas da Seduc. Desejo que eles tenham melhores dias e que ações importantes aconteçam na área da educação do Maranhão, inclusive que essas ações cheguem aos 217 municípios do Maranhão.

Desejando isto ao Maranhão, nessa área, com certeza os motoristas terão melhores condições, tendo em vista que com as ações educacionais sendo interiorizadas nos municípios maranhenses, aumenta o número de viagens e, com elas a necessidade de diversos profissionais.

A vocês motoristas da Seduc, que Deus ilumine a cada dia os caminhos, estradas por onde passarão na vida, sempre conduzindo da melhor forma as autoridades para que possam elevar os índices da educação de nosso estado.

Na certeza de que fiz bons amigos durante esses 33 anos de convivência e que sempre lhes desejarei somente o bem, espero que se sintam homenageados não só por mim, mas por todos da Secretaria de Estado da Educação do Maranhão (Seduc) que de fato reconhecem o importante e indispensável trabalho de vocês.

Nilson Ericeira

23/07/2011

ARARI - IMAGEM POEMA

Ponte Itapoã, em Arari, sobre o Rio Mearim, liga Arari a Vitória do Mearim. Aqui encontro paz...

EDUCAÇÃO DO MARANHÃO


Liceu Maranhense 173 anos ensinando e aprendendo na glória de um legado eterno

Nestes dias de julho, o Liceu Maranhense completa mais um ano de existência no cenário educacional do Maranhão. Uma vez que há registros de que o Liceu surgiu para o cenário da educação maranhense em 17 de abril de 1838, a partir da fundação do Seminário Diocesano no Convento de Santo Antônio e que, no mesmo ano, o então presidente da província maranhense, Vicente Tomaz Pires de Figueiredo Camargo, sancionou a lei n. 17, de 24 de julho, criando o Liceu Maranhense. Sendo que em 1890, a escola foi transferida para a sede própria da Rua Formosa e, finalmente, em 1941, para a sua sede definitiva. Com isso, a partir da sua fundação, são 173 anos de existência material e imaterial, ensino, aprendizado e legado eterno. Mesmo sabendo que a sua existência seja eterna é sempre bom lembrar algumas personalidades, sem, no entanto, tender a tornar as enumerações ratificadoras de toda verdade, pois nem sempre são justas plenamente. Mesmo assim enumero personalidades que deram contorno a sua história, protagonistas de um tempo, na dimensão da contribuição disseminada por essa instituição ao ensino do Maranhão. Refiro-me a visão macro de ensino e não somente ao saber formal e muitas vezes compartimentado.

As lembranças me levam ao encontro de Sotero dos Reis (primeiro professor público do Maranhão, admitido por concurso) de igual forma que me lembro de autoridades e renomados professores da envergadura de Antônio Lobo, Mata Roma, Rubem Almeida, professor Antônio Carlos Beckman (meu segundo secretário na Seduc e meu professor na Ufma, no curso de Comunicação, a quem com muito orgulho servir café e água...), professor José Maria de Oliveira Reis, José Raimundo Lindoso Castelo Branco, João Batista Diogo da Paixão, Edvar Santos, professor Ovéssimo de Jesus Pereira, professor José Benedito Pestana e muitos cujos ensinamentos ressoam Maranhão afora, no mesmo ensejo a protagonistas não menos ressonantes, os seus alunos de todas as gerações liceistas. Isto é o Liceu eterno. Uma das escolas memória do Maranhão.

Lembrar de uma parte da história quando integrava a equipe dos secretários mestre Altemar Lima e do doutor Edson Nascimento, em uma das reformas do Liceu. Ali presenciei a preocupação e o zelo dessas duas autoridades com quem tive o prazer de aprender e trabalhar. Reuniram com alunos, gestores, professores, assessores e davam satisfação de cada detalhe. Sou testemunha disso. O último entregou juntamente com o governador da época numa festa da qual não participei fisicamente, pois já havia sido exonerado. Hoje percebo, salvo engano, que intervenções físicas urgentes precisam ser feitas. Mas quem sabe meus olhos tenham visão diferenciada dos que “conhecem” educação e poderei estar equivocado nesse sentido.

Não deixarei de lembrar grandes mestres que se nominam nas autoridades das professoras Maria do Socorro Amaral, Maria de Jesus Padilha e outros, muitas vezes aparentemente anônimos, mas cujo legado é edificado pela eternidade de seus saberes, repassados e disseminados em forma de ensinamentos.

Eu sei que a festa é da escola, porém uma instituição de ensino não é construída com argamassa, pedras e muito menos com discursos vazios, desencontrados, perdidos e sim pela convivência harmoniosa e salutar de seus principais protagonistas. No ir e no vir. Estar! Todos os dias na missão de ensinar, repassar o que se aprende, apreende e ensina, numa relação interativa de retroalimentação. Isso é saber. Saber pedagógico e principalmente humano. As mãos e os pés dessas pessoas foram tão importantes nessa construção quanto seus corpos, cérebros e almas. Almas benevolentes. Agentes do bem recebam esta homenagem de um simples jornalista do interior discriminado na Seduc não sei os porquês, mas que trabalha as letras na mesma dimensão como quem se permite juntar e explicar cada partícula de uma célula, ou mesmo cada parte de um todo em que o todo sem a parte não é todo. E em alusão à célula também me refiro a uma célula bem mais complexa: à educação. Embora que para o obscurantismo de alguns seja fácil ir “levando” a vida entre os ecos ensurdecedores do ócio e maldades. Mas isto não cabe nesta homenagem. É um assunto para depois. Cabem os poemas, as letras, a histórias e ensinamentos de grandes mestres do Liceu Maranhense em todos os tempos.

Aos protagonistas dos saberes, que, neste caso, não se classificam em sete ou em outro algarismo qualquer, mas no sacerdócio do ensino encaminhado o homem para o bem comum, para o preparo para a vida e para o exercício pleno da cidadania. Alunos, professores, diretores, colaboradores, funcionários e a sociedade aplaudem o Liceu de ontem, de hoje e de sempre. Referencia-se da mesma maneira e com igual ressonância todos os maranhenses que têm o desejo de conquistar na luta democrática e civilizada um estado igualmente justo para todos. Nesta tarefa é indispensável lutar por educação universal e de qualidade.

Igualmente aos ginásios de Atenas que preparavam os jovens para a cidadania em discussão com seus mestres, o Liceu do Maranhão, há mais de um século, prepara maranhenses para a convivência social embasado na educação, um valor inquestionável para o desenvolvimento humano.

Neste texto público que tenho consciência que foi construído por muitas mãos. Mãos que me conduzem e sem as quais não desbancaria meu analfabetismo funcional e minha notável insipiência. Com a mesma destreza da bandeja de café quente e água que servir orgulhosamente aos doutores da Seduc, eu afirmo que tão importante é a ajuda valiosa dos ensinamentos que foram transmitidos pela minha querida professora Tânia Cantanhede Vidigal (com quem interagir durante anos), Georgina, Zefinha Bentivi, Francisco Ximenes, José Benedito de Almeida Brito, Ary, professor Arnoud, professora Ester Amorim, professora Nadja, professor Raimundo Medeiros Lobato, Marcelo, Tereza Cristina Pinheiro e Alvim, doutor Mário, Nilson Amorim, professora Anna Maria Patello Saldanha, Carmem Cassas, Nonato Cassas, Gracinha Melo, Ildete Dias, seu França, Marina Diniz, Pedro de Alcântara, Ivanilde, professor Bento Vieira, minha madrinha Sabina Maria Machado de Carvalho, minha tia Benedita Ericeira (Dudu), minha eterna professora Elza Cantanhede e outros que de alguma forma me ajudaram a chegar ao patamar de dá tecido a esta homenagem. Parabéns protagonistas do saber. Parabéns Liceu Maranhense!

Nilson de Jesus Ericeira Sousa

Poeta, jornalista, professor, psicopedagogo e estudante de Direito

Blog: http//:jornalistanilsonericeira.blog.spot.com

E-mail: nilsondearari@ig.com.br

18/07/2011

DESTAQUE DE ARARI

Presença marcante no jornalismo do Maranhão, José Luiz Batalha, além de ser um bom filho é uma criatura humana humilde e de fino trato.
Tem se destacado na Assessoria da Secretaria de Articulação Política do Governo do Estado do Maranhão.
Arariense, o jornalista José Luiz tem um excelente texto e fácil articulação com os colegas de profissão, fatores indispensáveis para um bom assessoramento. Quem tem ganho com isso é o secretário de Articulação Política Hido Rocha que tem não somente uma pessoa de extrema confiança e fidelidade, mas sobretudo, um profissional dos melhores e uma criatura humana que dispensa quaisquer comentários.
É muito bom ver Arari servir o Maranhão de forma tão nobre e de peculiar inteligência.

16/07/2011

Homens que amam

Homens que amam


São homens acuados

Homens que choram

São homens medrosos fracos

Homens sensíveis não são homens

Simplesmente não são

Homens que mentem são ovacionados

Homens que matam recém homenagens

Homens que fingem e ostentam seu bem estar

Alyson Ericeira

Meu canteiro de amor


Meu canteiro de amor
Vou regar essa flor
Que cedeu aroma à mulher
essência e forma
A mulher ao homem
seu cheiro, sua parte, encaixe
A mulher deu-se ao homem
entregou-se.
Não é apenas costela
e parte
mas seu todo e arte
Deu seu dengo e prazer
de um jeito ameno e
delírios, prazer!
A flor a anunciou no seu
desabrochar
com encanto
Enquanto o sol se vinha
se fez...
A flor coroou a vida
Os beijos das flores e das abelhas
e reflexos
Que em turmas se alimentam
delas e nectas
e no topo das árvores:
as flores
e nos canteiros da vida
mulheres e homens nesse
infinito desabrochar.

Nilson Ericeira
Robrielli

15/07/2011

FRASE DO DIA


ESTAMOS VIVENDO NUM PERÍODO ESPECIALMENTE MARCANTE EM QUE O PROGRESSO SE ALIOU À BÁRBARIE”.

ESTA FRASE É DE SEGMUND FREUD, DITA HÁ MAIS DE UM SÉCULO, PERCEB-SE A ATUALIDADE DA MESMA.

14/07/2011

Entrevista de Bira do Pindaré

Em entrevista concedida ao jornalista Sandro Moraes, na Rádio São Luís, o deputado estadual Bira do Pindaré (PT-MA), falou de seu primeiro mandado, da postura da AL, da importância do conhecimento da pauta da AL por antecedência, TV Assembleia, interagiu com ouvintes e seguem principais trechos da entrevista.
Sobre a reviravolta na Assembleia Legislativa (AL) ele acha que uma coisa positiva foi a eleição que ninguém esperava.
É calouro. É de primeiro mandato. Que Bira considera importante é ampliar a atuação das matérias de atribuição da matéria na Assembléia Legislativa. Disse que é importante que isso seja modificado. Disse que 80 a 90% das matérias são decididas na instância federal. Mais de 80 sessões ordinárias.
Não conseguem fazer quase nada de fiscalização na Assembleia Legislativa. Disse que não sabe qual é o receio das autoridades locais de fazer esse diálogo. Precisa melhorar muito é o exercício das prerrogativas parlamentares. Nesse aspecto a AL deixou muito a desejar.
O nível dos debates – Em alguns pontos sim e outros não. Precisamos melhorar muito a nossa produção legislativa. Você recebe uma pauta no momento da decisão. Não há uma leitura das proposições. Você recebe no momento que vai se posicionar e isso prejudica muito a produção do debate.
Bira perguntou por que não se publica de maneira breve tudo que vai ser discutido na Assembleia e para isso poderia ser usada a Internet. Em frações de minutos ele mesmo tem que olhar o Diário Oficial para se inteirar.
A TV Assembleia foi uma grande conquista apesar da limitação de ser canal fechado e que partir do momento que se tornar aberta será uma grande contribuição para a sociedade. Mas segundo ele, já um avanço. Já há uma preocupação da presença na Assembleia. Isso também ele acha que é efeito da TV Assembleia. Com isso tem se mantido o corum que em 90% das sessões têm mantido corum. O parlamentar sabe que está sendo registrada a presença dele e então isto tem um impacto.
Relação ao crak (droga ilícita) – O combate as drogas de um modo geral é muito importante e, sobretudo, por entendes que as políticas públicas devem atingir, sobretudo, a juventude. Embora o projeto que tramita na AL seja em relação ao crak, ele acredita que não ficar só nisso. Referiu-se ao álcool, refutando a propaganda. Exemplificou a propaganda do cigarro que hoje é negativa. Isso provocou uma mudança de postura de comportamento da sociedade. A postura deveria ser a mesma. Segundo ele não deveria mais deveria ser proibida a propaganda de bebida alcoólica não só no horário nobre, mais em todos os horários. Banir mesmo.
A questão da avenida litorânea que enfatizou ser de atribuição da Prefeitura e que ele concorda que tenha que haver um disciplinamento. Em São Luís, não há disciplinamento das vias públicas. “Você fica às vezes impotentes porque as autoridades que deviam cuidar não cuidam”. Em relação a esgoto não há tratamento e que agora no início da legislatura ele vai levantar um problema em relação à água que, segundo ele, o Rio Itapecuru e os mananciais não vão suportar. Segundo Bira, ele vai chamar especialistas para tratar dessa questão.
Em relação à Lei da Ficha Limpa - movimento de combate à corrupção eleitoral - é plenamente favorável e que não somente assinou e que na campanha ele teve a felicidade de ser eleito de não comprar nenhum voto. Lembrou que o Governador Jackson Lago que foi afastado do poder, mas que foi contaminado por interesses políticos. Lamenta de o Legislativo abdicar da prerrogativa de fiscalizar. Disse que é dele o requerimento de convidar o Secretário a mostrar a construção dos 72 hospitais prometidos.
Em relação à água – Carlos, ouvinte – disse que o Maranhão não tem planejamento em relação ao uso da água para que evite um colapso, na capital principalmente e em todo Estado do Maranhão.
Em relação à CPI para apurar negociata de emendas ou agiotagens – já foi submetida à proposição, que é do deputado Cutrim, disse que votou a favor, mas que a proposta já foi reprovada pela maioria dos deputados, portanto, não existe nenhuma apuração nesse sentido. Não há um caso concreto, mesmo assim mereceria investigação. Bira disse que, talvez, dos Poderes, o Poder Legislativo é o que tem mais visibilidade, de maneira que uma denúncia como esta deveria ter investigação.
Falou ainda da sua postura no PT e que da militância de muitos anos de caminhada.
Em relação a São Luís – disse que nasceu em Pindaré, disse que seu nome é Ubirajara do Pindaré, morou no João Paulo, bairro de Fátima, Caratatiua, mas que é do Pindaré – disse que sabe o que é a dificuldade de quem mora em São Luís. Disse que tem uma proposição crítica em relação ao prefeito João Castelo – Não sabe por que o hospital vai ser construído numa região nobre. Sabe que há uma discussão de que não há terreno. “Não sou parte da gestão do prefeito João Castelo”. Espera que tenha responsabilidade de conduzir tenha um posicionamento para explicar para todo povo de São Luís.
Concurso público – Bira falou que vai investigar a situação da URV. Que é a primeira vez que é cobrado sobre isso. Disse que faz isso com muita alegria e que foi presidente de Sindicato por muito tempo. Candidato eu não posso dizer que sou pré-candidato a prefeito de São Luís. È que não depende só de mim. Falou que já colocou para nosso Partido e apresentar uma alternativa para São Luís. “No final das contas que ganha é o povo de São Luís”. Acrescentou sobre o projeto de gratuidade para tirar a Careteira de Identidade. Trata-se de seu primeiro projeto apresentado na AL.
Falou com muita ênfase do caso Flaviano, que esse problema chama muito atenção e apóia a luta das comunidades quilombolas. Falou da greve dos professores e que estão esperando a publicação do acórdão. E disse que se a governadora não cumprir ele disse que desconfia que o movimento vai voltar com muito mais força. As especulações que fazem a respeito dele não vão desvirtuar o rumo da sua atuação.

13/07/2011

Auto-psicografia


Auto-psicografia
Um moço loiro
Olhos azuis
vermelhos de chorar
Cabelo liso
Corpo franzino
Estradeiro
É certo.
Estradeiro
Caminheiro
Anônimo poeta
Sentimentalóide
Em físico que já definha
Em rugas que denunciam
e denunciam.
Em uma senilidade precoce
Que a tornou-lhe frágil
São rusgas que a vida fez...
Calmamente autobiografa-se
Indiretamente para não ser mais ridículo
E ainda num resto
Uma sobra de esperança em outros canteiros
regar.
Mas de peito amargo
E alma turva
contrapõe-se a si mesmo.
Curvando-se ao seu próprio desequilíbrio
reconhece-se em seu caos...
Num outro dia ainda aparenta boêmia
E charme
Que bobagem é só farsa.

Nilson Ericeira
Robrielli
(Poema produzido em 15-11-1988)

Pobre povo brasileiro

Cego eternamente em berço esplêndido
Salve, salve
O brasileiro desempregado
Mal amado, infeliz, Brasil!
Pobre povo heróico
Que em tombo retumbante
És tu Brasil!
Que vai além da América e
Não foges a luta
E aloja-se numa favela
Num cortiço
E entre outras mil
És tu Brasil.
Salve pátria
Pátria amada
És tu Brasil.
Nilson Ericeira
Robrielli

Pátria pária

Pátria pária


Pátria amada

Amarga.

Mãe

Madrasta

Mata virgem

Estuprada.

Matança coletiva

De seres

De homens

De filhos

De restos.

Desgraça de fome

De dor

De desamor

De quem conta

De quem canta e encanta

Suas próprias histórias.

Vida descabida

Sem sorte

Sem rumo

No rumo da morte

Pátria pária.

Nilson Ericeira

Robrielli

12/07/2011

ABRIR O OLHOS ANTES QUE SEJA TARDE


O crime no interior do Estado cresce assustadoramente. No meu município, Arari, dois homicídios aconteceram de ontem para hoje.

As cidades crescem e o policiamento é muito pequeno em relação à população. É necessário que o Governo do Estado realize concurso urgentemente nessa área. Aliás, a governadora anunciou uma série de concursos antes da eleição que abrangia quase todas as secretarias. Inclusive na educação há um déficit muito grande de professores e de pessoal administrativo. Sentido em que é urgente que se chamem os excendentes e que se planege ações, evitando assim o advento dos contratos que além de ser um paleativo é uma forma de desajuste do sistema, bem como desobediência a Carta Magna. E isto não é culpa do governod de hoje, mas já se arrasta há anos. 

Só para que se tenha uma idéia, é comum ver-se supervisores e administradores escolares nos corredores da escola colocando alunos para as salas de aula. Eu que entendo que não entendo muito dessa área, sempre tive a impressão que incumbia a esses profissionais tarefas bem mais importantes.

É urgente que o Governo do Estado realize concurso para administrativos e aí envolvem os Auxiliares Operacionais (que alguns burroides) insistem em chamá-los de merendeiras administrativos e-ou auxiliares administrativos, digitadores, agentes de portaria e vigilância e outros. Há uma carência enorme. Nada justo foi o recente procedimento da Seduc, por exemplo, de “mandar” para a sala de aula alguns profissionais, técnicos que exerciam funções importantes nos prédios (órgãos da Seduc) para sala de aula. Contexto em que priorizaram quem tinha padrinhos (eu provo) ou alguns que puxam saco, alisam, fazem de contam e aceitam submissão. Tudo isso em nome de um decreto da Governadora Roseana Sarney (que nunca ninguém teve acesso tanto materialmente quanto formalmente).

Algumas perguntas se fazem necessárias:

a) GOVERNADORA ROSEANA SARNEY TROCARIA FUNCIONÁRIOS EXPERIENTES POR CONTRATADOS, UMA VEZ QUE SER ESSE UM EXPEDIENTE ILEGAL!

b) TERIAM OS FUNCIONÁRIOS CONTRADOS MAIOR PODER TÉCNICO QUE OS NOMEADOS QUE JÁ TINHA 20 E 30 ANOS NA INSTITUIÇÃO!

c) ESTARIAM ALGUNS DOS DIRIGENTES DA SEDUC FALANDO EM NOME DA GOVERNADORA, DESGASTANDO A SUA IMAGEM, SEM A AUTORIAZAÇÃO DELA!

d) OU ESTARIAM RETALIANDO ALGUNS SERVIDORES E, PARA JUSTIFICAR INVENTARAM TAL DECRETO EM FORMA DE PRETEXTO! UMA VEZ QUE MUITOS, EM PELO MENOS 15 SETORES DA SEDUC, INCLUSIVE NO RECURSOS HUMANOS OS FUNCIONÁRIOS, PROFESSORES OU NÃO, FICARAM NOS SEUS MESMOS LUGARES. PARADOXO! PROFESSOR LOTANDO PROFESSOR. UMA PERGUNTA SURGIA QUANDO DA REMOÇÃO DOS RENEGADOS: QUAL O SEU CARGO: PROFESSOR. AH, OBRIGADO! OU TERIAM ALGUNS SE ANTECIPADO E CONTADO MENTIRAS A RESPEITO DE PESSOAS HONESTAS! TÁI UMA COISA QUE EU GOSTARIA DE VER A SEDUC E O GOVERNO APURANDO.

e) ESTARIA A SEDUC CAMINHANDO, POR MEIO DE VÍCIO E DE UMA VITALICIEDADE A OLHOS VISTOS, CONFUNDINDO O PÚBLICO COM O PRIVADO!

f) A ÚLTIMA COISA INEXPLICÁVEL: PORQUE NÃO SE ABRE PROCEDIMENTO EM TODOS OS NIVEIS DA ADMINISTRAÇÃO PARA APURAR ALGUMAS DENÚNCIAS QUE A MÍDIA DENUCIOU!

SERÁ QUE ALGUMAS PESSOAS TÊM QUE SEGUIR RELIGIOSAMENTE A MAQUIAVEL, SEM MESMO NUNCA TER COMPREENDIDO ALGUMA COISA DO QUE LEU. OU ATÉ QUANDO PESSOAS HONESTAS TÊM QUE PAGAR POR SEREM HONESTAS. OU POR QUE SERÁ QUE ALGUNS GESTORES NÃO OLHAM PRIMEIRO PARA SUA PRÓPRIA CARA E SÓ DEPOIS DE ABDICAREM DOS CARGOS DOS QUAIS NÃO SÃO DIGNOS, POSSAM FAZER ALGUM JUÍZO DE VALOR A PESSOAS HONESTAS NA ESSÊNCIA DA PALAVRA. DESCULPE-ME, MAS NÃO COLOQUEI CARAPUÇA NA CABEÇA DE NINGUÉM. SE O FIZ, FAZER O QUE.

10/07/2011

Canta socó

Dói no pé uruá
Tiririca arde em risco
E frieza insuportável
Canta da passarada
Rompe aurora
Num silêncio sombrio
Tarrafa velha no côfo
Já quer se molhar
E no lago azul
Abrir-se e tarrafear
Em piabas em piracema.
Tranqueira da vida
Confunde-me
Num lago
Lago que me torna
Ilha
Oceano de amor.
Pés no chão
Rompem bulões
Em terra seca e dói
No pé, racha uruá.
E os mesmos pés de volta
Volta a ser eu mesmo
E caminhar
E conversar
Cantarolando...

Nilson Ericeira
Robrielli

Homem x homem

Sagaz
Imoral
Inumano
Sanguinário

Homem monstruoso
Danoso
Cruel.

Falso
Contumaz
Irascível.
Sábio, perfeito, criador
Sincero
Contudente e gênese
E vidas intermináveis.

Nilson Ericeira

Robrielli

Maria

Mulher sem pré-conceito
Que vocabulário desconhece
Flor Maria,
Flor mulher!

Fritadeira
Azeiteira
Mãe de nós
Que bibi da rua
Do teu peixe
Teu suor
Amor
Compartilhamos.

Mãe Maria
Eterna flor
Às vezes ríspida
Maria que a vida
Calafetou.

Usufruir e bebi
Na tua companhia
Teu ranço
Azeite
e comida.

Dorme Maria
E descansa
Imagina viver sem-tir
Não graça
E o mundo é pequeno
A nossa alma chora.

Nilson Ericeira

Robrielli

08/07/2011

Laredas em mim



Cabelos encarolados

Olhos de pitanga
Focos que iluminam
Sabor de poema
Doce e mística mulher
Meiguice de uma musa
Trejeitos e sedução
Formosura e sutileza
Da filo
E de Sofia nasces em mim
Olhos ativos
Laredas em mim
Que em cinzas de esperança
De um homem iludido
Em ter amor
Molha-me de desejos
E seca-me em ânsia e em
Angústia por ti

Nilson Ericeira
(Robrielli)

06/07/2011

Sinproesemma e governo fecham acordo sobre calendário escolar


O PT no Governo do Maranhão: da esquerda para a direita,
o Secretário Adjunto de Articulação Institucional da Seduc, Luís Fernando Silva (PT),
o Vice-Governador do Maranhão,
 Washington Oliveira (PT) e o Secretário de Assuntos Estratégicos,
Rodrigo Comerciário (PT) e diretores do Simproesemma...

Home » Mídia » Notícias » Outros » 2011 » Julho

Data de Publicação: 6 de julho de 2011

Índice Texto Anterior
Próximo Texto

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (SINPROESEMMA) e o governo do Estado chegam a um acordo com relação ao ajustamento do calendário escolar de 2011, garantindo o cumprimento dos 200 dias letivos e os 45 dias de férias dos trabalhadores da educação, sendo quinze dias no mês de julho e mais 30 após o término do calendário escolar, de acordo com a realidade de cada escola.

Pelo termo de compromisso acertado entre as partes, terá direito a 30 dias de férias, em julho, o profissional em educação que não aderiu à greve. Já os trabalhadores que participaram do movimento grevista ficam de férias no período de 16 a 31 de julho e os outros 15 dias de férias serão transferidos para após o encerramento do ano letivo.

Inicialmente, logo após o fim da greve, a proposta da Seduc era deixar os trabalhadores que aderiram ao movimento sem as férias de julho. O sindicato protestou. Em seguida, propôs conceder apenas uma semana. Mais uma vez o sindicato não concordou. Com a proximidade do mês de julho e a necessidade urgente de uma definição, o sindicato flexibilizou na defesa de férias integrais em julho e propôs pelo menos os 15 dias de férias, previstos no termo de compromisso.

A data de 23 de dezembro, prevista pelo governo como término do ano letivo, segundo diretores do sindicato, tornou-se apenas uma referência, sem necessariamente ter que ser cumprida. De acordo com o presidente do SINPROESEMMA, Júlio Pinheiro, a Seduc vai dialogar com cada escola e avaliar, especificamente, caso a caso, para ajustar o calendário, individualmente, de acordo com a realidade de cada uma.

Júlio Pinheiro explica ainda que a medida estabelece um ajuste no calendário escolar 2011, tendo em vista a necessidade de adequação em razão da greve de 78 dias, ocorrida em todo o estado. Segundo ele, a demora na definição causou muitos transtornos, haja vista que algumas escolas, com a chegada do mês de julho, decidiram entrar de férias, mesmo sem o fechamento do acordo. “Com toda a razão”, diz Pinheiro, “já que o governo protelou mais uma vez a discussão, deixando os trabalhadores ansiosos”, completa.

“Para o sindicato, o calendário é um dos aspectos que depois de toda a greve se discute”, destacou Pinheiro. O presidente chama a atenção para outras questões fundamentais que precisam ser discutidas imediatamente que é o cumprimento do Piso Salarial Nacional e a aprovação do Estatuto do Educador, as principais razões, segundo ele, da paralisação dos trabalhadores.

“Essa é a questão mais urgente para o sindicato. Por conta desse tema, iremos buscar, muito em breve, audiência com o Supremo Tribunal Federal (STF), cujo intuito é cobrar o acórdão. Enquanto isso, buscaremos, regionalmente, junto ao governo, uma forma de aplicá-lo”, ressaltou Pinheiro referindo-se ao Piso Nacional, já garantido pelo STF.

O SINPROESEMMA também vai solicitar a intermediação da Assembléia Legislativa para um entendimento com o governo. Nesta quarta-feira (6), às 9h, a direção do sindicato vai reunir com a Comissão de Educação da AL para tratar sobre formas de negociação com o governo.

Devolução de Descontos

A devolução dos valores descontados nos salários dos funcionários de escolas dos municípios de Estreito, Bacabal, Bom Jardim, São Luis, entre outros, também foi ponto de discussão na reunião do sindicato com o governo. A situação mais grave é no município de Tuntum, onde nenhum dos trabalhadores prejudicados recebeu o dinheiro descontado e ainda foram perseguidos pelo gestor de educação daquela regional, que chegou a demitir, sumariamente, os trabalhadores em greve.

Os diretores do SINPROESEMMA cobraram incisivamente a restituição dos descontos e protestaram contra a atitude do gestor de educação de Tuntum. “O gestor não enviou relatório para o setor de Recursos Humanos da Seduc e não tratou nada com ninguém, o que configura um ato de perseguição aos trabalhadores que aderiram ao movimento”, avaliou o presidente Júlio Pinheiro. Diante dos protestos, a Seduc se comprometeu em devolver, ainda este mês, os vencimentos descontados dos trabalhadores de Tutum.

Links Patrocinados

Fonte: site do Simproesemma

Educação do Maranhão



Professor Othon Bastos é um nome bom sim



Dr. Othon Bastos é um nome muito bom para gerir a Educação do município. Escuto alguns preconceitos a respeito da questão da idade. Nada a ver! Esses não são os valores que se pode mesurar competência, gestão e trabalho. Vejo uma pitada de preconceito. Na minha opinião, o professor Othon Bastos é umas das pessoas mais preparadas do Maranhão, principalmente quando o item é ciência, tecnologia e educação na sua amplitude.

Mas esta opinião é de uma pessoa que passou 32 anos na Seduc convivendo com quem conhece e com não conhece coisa nenhuma, a de educação, muitas vezes ocupando cargos importantes que parecem vitalícios. (coisa parecida com o Império Romano). Isso sim aterroriza a educação. Os dados estão aí para provarem. Conheço por dentro a educação do Maranhão. Uma das primeiras coisas que mensuro em um e outro gestor da educação, em primeiro lugar, é a observação se ele conhece o contexto, depois vem as colocações e depois... Tem secretário que recomendei a seus assessores um estudo de Gramática da Língua Portuguesa.
Agora há pouco, o prefeito João Castelo, quando perguntado pelo reporter da Rádio Capital, sobre a indicação do professor Othon Bastos teria sido uma indicação política. A resposta de João Castelo foi: " eu unir o últil ao agradável, coloquei uma pessoa de nível para prestigiar o PSB, que está desde o começo da minha administração. O dr. Othon Bastos tem uma vasta experiência, só para se ter uma ideia, só reitor da Ufma ele foi durante oito anos".  Também elogou a Suely Tonial como de profissional de nível que agora vai ajudá-lo na assessoria da Prefeitura...

Nossa luta I


Nossa luta não é contra as pessoas, mas a favor delas. Nossa luta não é por bens materiais, estes terão que ser conseqüência do nosso trabalho. Nossa luta é pela paz no mundo, mas que alcancemos esta paz temos que pelo menos amenizar sofrimentos e conquistar justiça. Nossa luta é pelo pão, mas pela compreensão.
Nossa luta não cessa por [maquinagens], traíragens, maldades, pequenez, mas se respalda no sendo de justiça, vontade fazer pelo outro que pode enquanto cidadão e enquanto agente público pago pela sociedade. Nossa luta não é do faz de conta e muito menos da hipocrisia, mas é um sentimento sólido de quem já sofreu por falta de comida, inclusive. Diante disso, não recuaremos porque não é uma luta de um desejo apenas, mas faz parte da existência de um ser justo, amigo, verdadeiro, que tem aversão a hipocrisia e atitudes inominadas de pessoas que só pensam em si próprias e só enxergam os seus próprios umbigos, se é que enxergam.
Nossa luta é pelo salário justo, pelo 'envelhecimento' digno, pela educação de qualidade, que passa muito longe de alguns discursos semânticos, enfim, nossa luta é pelo progresso do homem e que somente o ser humano seja o foco de qualquer política.
Ainda somos, segundo dados oficiais, 16 milhões de pobres no Brasil. Diz ainda propaganda, já pensou quando acabarmos de vez com a miséria. País rico é país sem pobreza. Ainda assim segundo a persuasão publicitária, 36 milhões nos últimos anos deixaram o estágio de pobreza.
Não continuamos estudando, com 32 anos de serviços públicos, tendo passado por vários estágios funcionais na Seduc, para parar na vontade e no ego de vândalos do mal. Não recuaremos, pois a nossa luta é por justiça e paz social.
As outras partes deste artigo artigo será publicada em sequência.

05/07/2011

EDUCAÇÃO DO MARANHÃO

Washington Oliveira – vice-governador do Maranhão tem demonstrado ser muito forte no governo Roseana Sarney. Com particular habilidade política, Washington tem sido fundamental para que questões relacionadas à educação sejam resolvidas. Espera-se que esse prestígio, confiança da governadora e, principalmente conhecimento, o vice-governador possa continuar contribuindo de forma coletiva. Graças a sua habilidade e competência, encerrou a greve dos professores, avançou-se na pauta e pelo que se ler, a área da educação do Maranhão sempre o terá como conselheiro e determinante.
Em conversa com Washington Oliveira, registrado por este jornalista, demonstrou preocupação com os indicadores sociais, principalmente os indicadores educacionais. O que me deixou muito animado, encontrar alguém neste Estado preocupado com uma situação que reduz, tira a dignidade humana que é o analfabetismo e os baixos indicadores educacionais que há décadas nos atormentam.
LEIA MATÉRIA DA SEDUC:
Para cumprimento do calendário letivo Para garantir o cumprimento do calendário do ano letivo, com encerramento no dia 23 de dezembro, o Governo do Estado, por meio da secretaria de Educação (Seduc), e o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (Sinproesemma) firmaram um acordo, nesta segunda-feira (4), de compromissos recíprocos. Pelo acordo, os professores que aderiram à greve de 78 dias deflagrada pelo sindicato terão 15 dias de férias neste mês de julho.
O termo de compromisso foi assinado pelo vice-governador Washington Luiz Oliveira, os secretários adjuntos da Seduc, Luís Fernando Silva e Graça Tajra, pelo presidente do Sinproesemma, Júlio Pinheiro, e o secretário de Articulação Institucional, Rodrigo Comerciário. A assinatura marcou a terceira reunião mensal da mesa permanente de negociação entre sindicato e o governo.
Para o vice-governador, a assinatura do termo de compromisso foi mais um passo importante dado pelo Governo do Estado para criar todas as condições necessárias para o funcionamento das escolas da rede estadual de ensino.
“O acordo é de fundamental importância para manutenção do bom relacionamento entre professores e governo, em cumprimento aos acordos firmados no final da greve”, disse. Washington Luiz Oliveira ressaltou ainda que durante a reunião foram estabelecidas datas para a reformulação do Estatuto do Magistério e a implantação do piso salarial nacional.
Na opinião do presidente do Sinproesemma, a reunião da mesa permanente de negociação firmou um acordo resultante do diálogo entre a Seduc e o sindicato para o cumprimento dos 200 dias do ano letivo e as férias de 45 dias dos trabalhadores na educação.
O secretário adjunto de Gestão Institucional da Seduc, Fernando Silva, ressaltou a importância do acordo para definir o cumprimento dos pontos acordados no final da greve dos professores. Ele destacou o cumprimento do calendário do ano letivo e de 15 dias de férias para os docentes este mês. “Os professores se comprometeram em repor as aulas dentro do ano letivo, que será encerrado no dia 23 de dezembro, como estava previsto”, declarou.
Ano letivo
Pelo acordo, ficou mantido o dia 23 de dezembro como data de referência para o término do ano letivo de 2011 e assegurado aos professores, em efetivo exercício nas unidades de ensino e que aderiram ou não ao movimento, o direito de 45 dias de férias.
As escolas que tiveram funcionamento regular no curso do movimento paredista manterão, por completo, a programação anterior prevista no calendário escolar. Os professores que não aderiram ao movimento e cumprirem a carga horária nos meses letivos ordinários desfrutarão regularmente 30 dias de férias este mês.
Os professores que participaram da greve de 78 dias e que não adequarem sua carga horária aos meses letivos ordinários terão suas férias parcialmente reprogramadas, assegurando-lhes férias no período de 16 a 31 de julho e o restante imediatamente após o término do ano letivo de 2011, conforme definido no calendário de cada unidade de ensino.
Os professores, os especialistas e os gestores das escolas que paralisaram suas atividades comprometeram-se a cumprir, respectivamente, a carga horária e os 200 dias letivos, com base no calendário previsto para cada unidade de ensino, respeitando suas especificidades.

UM BOM NOME PARA EDUCAÇÃO DE SÃO LUÍS

A PARTIR DE HOJE A EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE SÃO LUÍS SERÁ CONDUZIDA PELO COMPETENTE PROFESSOR OTHON BASTOS. PROFESSOR OTHON SUBSTITUI A SUELY TONIAL QUE HÁ ALGUNS DIAS JÁ HAVIA COLOCADO O CARGO À SISPOSIÇÃO DO PREFEITO JOÃO CASTELO.
A SOLENIDADE DE POSSE SERÁ ÀS 15h:30, NO AUDIOTÓRIO REIS PERDIGÃO, DA PREFEITURA DE SÃO LUÍS.
COM UM VASTO CURRÍCULUM NA ÁREA EDUCACIONAL EM QUE CARGOS DE SECRETÁRIO DE ESTADO E REITOR DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO, PROFESSOR OTHON BASTOS É UMA PESSOA DE BOM TRÂNSITO NO MEIO POLÍTICO, HABILIDADE E, SOBRETUDO, CONHECE A ÁREA EDUCACIONAL.
UM DOS SEUS GRANDES FEITOS ENQUANTO ADMINISTRADOR PÚBLICO FOI A IMPLANTAÇÃO E PROJEÇÃO DA UNIVIMA.
PROFESSOR OTHON BASTOS TEM A MINHA ADMIRAÇÃO, RESULTADO DE MINHA OBSERVAÇÃO QUANDO ASSESSOR DE COMUNICAÇÃO DA SEDUC, E O DIGNÍSSIMO PROFESSOR SEMPRE SE COLOCAVA COM PARTICULAR INTELEIGÊNCIA E CONHECIMENTO DE CAUSA SOBRES ASSUNTOS PERTINENTES À EDUCAÇÃO DO MARANHÃO.
DESEJO A SÃO LUÍS QUE, A POLÍTICA NÃO ATRAPALHE A SUA GESTÃO E QUE ELE POSSA POR EM PRÁTICA IMPORTANTES PROJETOS PARA O NOSSO POVO, PRINCIPALMENTE DOS QUE MAIS PRECISAM DE POLÍTICA PÚBLICA NESTA ÁREA. AO PROFESSOR BASTOS QUE ELE CONTINUE SERVNDO BEM AO POVO DO MARANHÃO, UMA VEZ QUE TEM CONHECIMENTO, É PEPARADO E TRATA GENTE COMO GENTE.

No prelo:

Jornal do PT de Arari será lançado com a presença do vice-governador Washington Oliveira
Nos próximos dias Arari terá um novo Jornal. Pauta 13, será lançado, graças ao empenho dos companheiros do PT de Arari. O Pauta 13, jornal de divulgação do PT de Arari, mas que tem em seu formato editorial, tratar de questões municipalistas no Maranhão, dando ênfase a assuntos relacionadas ao município de Arari, conjuntura estadual e nacional.
Para o resultado dos trabalhos o PT tem contado também com o indispensável apoio do companheiro Washington Oliveira, vice-governador do Maranhão.
Informaremos local, data e horário do lançamento do Pauta 13. Aguardem!

deus nu

deus nu
é conspiração
é a mentira, enquanto a verdade não chega
faz estragos
destrói vidas
inibi, adoece e mata...
sua mentira tem pernas
é a propalação do portador
veste-se de bom, gentil, afável, amável,
e é mal...
sua voz é treva
de respiração quente,
olhar turvo
mas fala em nome de deus
ora e reza para um deus nu
sem nada, de espécie,
alegórico
e age igual demônio,
cão raivoso
que ri de si próprio
e ainda assim regozija-se de um suposto mal
alcançado
proliferar maldades é o seu troféu
pois falsear verdades é sua nutrição
nutre-se de angústias
e, então, mente igual cão raivoso late
é besta, infeliz, completa-se no sofrimento
do outro...
tá sempre proto para mentir
desde que sirva de escadas
desde que ainda haja sangue na sua presa.
Nilson Eric eira (Robrielli)

02/07/2011

NÃO TEMAS!

SÓ SE DEVE TEMER ALGUMA COISA QUANDO SE É DESONESTO CÚMPLICE, ALIADO. ENTÃO PONHA A SUA BARBA DE MOLHO. NÃO TEMO OS CARROS QUE ME SEGUEM, OS VIGIAS QUE ME ESCUTAM, O DISCURSO DOS FRACOS E ENVEJOSOS, A MENTIRA DOS HIPÓCRITAS, A DOENÇA CÂNCERÍGENA DO FALSO, A MENTE DOENTIA DOS CORRUPTOS, A CALADA DA NOITE DOS DELATORES, A DIFAMAÇÃO, A INJÚRIA... EU TEMO PELA TRAIÇÃO SORRATEIRA DOS QUE JÁ AGONIZAM ANTES AS SUAS MENTIRAS, POIS SEUS MÉTODOS ESTÃO SENDO DESCOBERTOS. EU TEMO PELA MINHA VIDA!
MESMO ASSIM , AINDA ACREDITO NA RACIONALIDADE DAS AUTORIDADES, MESMO QUE, ALGUMAS, COMBALIDAS EM TOTAL DESCRÉDITO. ISTOÉ, SEM AUTORIDADE!
TEM MOMENTO NA MINHA VIDA QUE EU NÃO SEI SE ERA MELHOR NÃO TER ESTUDADO.

Arari 147 anos



ARARI E O RIO MEARIM, A CHUVA QUE MOLHA E O SOL QUE AQUECE

Arari, 147 anos de acolhimento, hospitalidade, bem-querer e bem-amar e muitos desafios impostos pela natureza ou pela rudeza dos homens que a governam e de boa parte dos que não se interessam pelo que atinge a todos nós.

Assim é seu povo que o forma em seu quadrante territorial. Arari, município da Baixada Maranhense que tem muitos problemas que ainda nos envergonham, tais como trânsito caótico e desordenado, ausência de sinalização (horizontal, vertical, verbal, não verbal, mista), falta de lombadas adequadas nas ruas e cruzamentos, motoristas inabilitados e muitos menores ao volante de um automóvel ou exibem-se em motocicletas com duas, três e de até quadro pessoas, como se fora num faroeste exibindo seu cavalo tonto (ausência de segurança pública ou política pública). E não são poucos os acidentes e em alguns deles vitimas fatais tombaram diante da irresponsabilidade recíproca, uma vez que parece que é melhor fechar os olhos a sentir a dor dos outros. Nem tampouco tem servido de para que outros assombrosos casos aconteçam. Isso é o que parece ser. O faroeste é aqui! Os artistas não usam espadas, nem andam a cavalo, muito menos têm um final feliz, como nos balões, mas troteiam em motos e carros. Correm à busca da morte de maneira paradoxal à preservação e continuidade do que Deus nos concebeu de mais sublime. As lágrimas de muitos pais apenas misturam a uma saudade incessante, vazante e, que de nada vale diante de uma impunidade crescente.

Por outro lado e, nas vias que as motos rosnam a qualquer hora, ao longo desses anos, algumas ruas e avenidas, pelo menos as mais antigas já receberam algum beneficiamento, mas ainda a necessidade de urgentes intervenções, tendo em vista que algumas estão quase intrafegáveis. Pasmem: neste 147 anos de vida e glória, contada e encantada pelos poetas e letristas, ainda se joga fezes e lixo no Rio Mearim. Não! Não retrocedemos à pré-história e não poderíamos está, primeiro porque nossos ancestrais sabiam da importância da preservação da natureza para sua felicidade em comunhão com os outros, de forma nômade ou sedentária, eram mais civilizados do que nós. Inclusive trotavam somente em cavalos. As máquinas eles não conheciam. É um paradoxo, pois é o Rio que nos consagra e que não somente alimenta a maioria de seus filhos com peixes nativos, mas que bebemos e nos embebedamos de felicidade com sua água. O que antes não nos gerava problemas, agora nos apavora. Temos, todos nós, o poder público, aí entra o Estado no seu sentido amplo e único, e o povo, a obrigação de salvarmos nosso rio, a dádiva de muitas cidades que ele banha. O Rimo Mearim é o muito mais que o Nilo, é nosso limbo.

Faz tempo que essa água que vai se contaminando objeto da ignorância do bicho homem e por omissão das autoridades, afinal, o que não vemos nos incomoda menos do que o que sentimos. Eis a razão latente da existência de inúmeras fossas e sentinas que jogam dejetos no Rio Mearim. Nas suas margens e em todo seu curso é comum ver-se garrafas pets e sacolas plásticas flutuando em meio a sua vegetação aquática que serve de abrigo aos camarões e outros seres vivos responsáveis pelo equilíbrio natural e, também, por numa troca simbiótica revitalizar oxigênio e embelezar vegetação. Mas se esses seres não apenas camuflassem, mas caso falassem certamente diriam deixem-me viver, pediriam socorro em relação a hedionda falta sensibilidade da população e das autoridades. Socoro! Não matem o Rio Mearim. Que a sua água não seja água suja, lama apenas. É que esses objetos lançados pela ignorância e que levam décadas ou até mesmo séculos para se decomporem. Disso todos sabem mas parecem não quererem compreender.

E se os peixes também falassem, ainda bem apenas sentem, mas no seu mundo mudo multam-se e se extinguem. Eles flutuam com boca aberta não para suas acrobacias de felicitações e encanto, mas pedem socorro!

E qual a espécie de bichos pertencemos, se nos debatemos no nosso leito sagrado, lugar do amor, da vida e vida em abundância.

Que nestes 147 anos tenhamos tempo para festas e bolos, mas é preciso nos desligar das indiferenças mórbidas com que aceitamos o entulho que nos faz mal. Que Deus nunca nos deixe faltar a chuva que nos molha e muito menos o sol que nos aquece.



Nilson de Jesus Ericeira Sousa

Poeta, jornalista, professor, psicopedagogo, estudante de Direito

Blog: jornalistanilsonericeira.blogspot.com

E-mail: nilsondearari@ig.com.br,nilsonericeira@hotmail.com