29/04/2011

A GREVE CONTINUA, MESMO COM A MAIORIA DOS PROFESSORES EM SALA DE AULA

A reunião entre o Simproesemma e a Seduc não aconteceu, foi remarcada para segunda-feira, dia 2 de maio, segunda-feira, no mesmo local.


Segundo uma fonte que captara informação, a alegação do governo é que precisam de alguns ajustes técnicos da proposta que apresentariam.

Espera-se uma definição para a instabilidade do sistema.

O pau comeu em Araioses

Uma fonte informou agora a pouco que o pau comeu dentro da prefeitura de Araioses. É que um suposto senhor prestador de serviços para a prefeitura foi cobrar fatura de serviços de pintura prestado à prefeitura. Nesse ínterim, teria sido agredido por José de Ribamar (Ramabi). Na hora do quiprocó, o prestador de serviços teria sido seguro por seguranças. O que facilitou a pretensão do agressor. A agressão aconteceu por volta da 9:h e foi presenciado por testemunhas. O Boletim de Ocorrências (BO) foi devidamente lavrado na Delegacia de Polícia do município.

Mais tarde postarei com mais precisão os detalhes desse entreveiro, tendo em vista a importância da verdade no jornalismo. Aguardem mais informações.

Canal aberto para que a verdade prevaleça, portanto, pode ser mantido contatos por e-mail: nilsondearari@ig.com.br, nilsonericeira@gmail.com.
Jornalismo que é jornalismo aceita as duas versões do mesmo fato, com este blog não é diferente.



A ADMINISTRAÇÃO DE SÃO LUÍS PRECISA SAIR DO DISCURSO E PARTIR PARA AÇÕES

TEMOS ANALISADO A ADMINISTRAÇÃO DO PREFEITO JOÃO CASTELO EM SÃO LUÍS, APENAS POR UM ASPECTO: INFREESTRUTURA FÍSCA DAS VIAS DE SÃO LUÍS. ESTAS ESTÃO EM PÉSSIMO ESTADO.

IMAGINEM QUANDO ANALISAMOS OUTROS ASPECTOS DE UMA ADMINITRAÇÃO QUE É CONSIDERADO VIRTUAL, OU SEJA, APENAS O PREFEIO JOÃO CASTELO ENXERGA O QUE DIZ QUE FAZ OU VAI FAZER.

LEMBRO-ME QUE QUANDO ASSUMIU A PREFEITURA DE SÃO LUÍS, EM RESPOSTA AOS REPÓRTERES, DISSE QUE NÃO SE TRATAVAM DE PROMESSAS, MAS DE PROPOSIÇÕES. PROPOSIÇÕES OU PROMESSAS NÃO SAÍRAM DA FALA.

O PREFEITO TERIA QUE TER PARTIDO PARA AS AÇÕES. A PROPAGANDA DO PREFEITO FOI MUITO FORTE NA CAMPANHA E, ATÉ AGORA, NÃO PASSA DE PROPAGANDA ENGANOSA.

PENSO QUE O PREFEITO JOÃO CASTELO ACREDITA QUE, BEM PRÓXIMO DA CAMPANHA DA REELEIÇÃO DELE, VAI SE REDIMIR FAZENDO ALGUMAS OBRAS ELEITOREIRAS. ACHO INCLUSIVE QUE ISSO É INTENCIONAL. JÁ SEI ATÉ O MOTE DA PRÓXIMA CAMPNHA: QUERO SER ELEITO NOVAMENTE PARA CONCLUIR O QUE COMECEI PORQUE PEGUEI A PREFEITURA TOTALMENTE DESORDENADA.

28/04/2011

* Os porquês de inquietudes: as minhas, as nossas fomes, ou sedes talvez!


Por que será que a vida para uns lhes falta tanto?
Falta-lhes, comida, abrigo, compreensão, amor e pão. Por quê?
Porque os “políticos” lhes tiram comida, guarida e pão.
Os porquês são incertos, a corrupção talvez!
Por que ser indiferente ao sofrimento?
Por que não somos o Estado inteiro,
Nem a metade se nos desencontramos na ausência Dele.
São muitos porquês e não sabemos o porquê verdadeiro.
Por que esta inquietação?
Esta inquietude que reside em mim, em nós, por quê?
Porque somos humanos, gregários, talvez!
Uma coisa conheço e reconheço: os porquês deste texto,
Só não conhecemos no todo nem em parte,
Os porquês desta sina: crianças, mulheres, idosos...
Por quê?
E também não sabemos por que sofremos assim:
Uns sem comida, outros sem abrigo.
E muitas pessoas sem pão,
Por quê?

Nilson Ericeira

É poeta, Jornalista e aprendiz de Língua Portuguesa, com humildade suficiente para corrigir, retificar, consertar, os erros dos que já sabém.
* Para ser usado em sala de aula

Seduc e a honra ao mérito


Entendo ser muito boa a ideia do Governo do Maranhão de homenagear personagens da História da Educação do nosso Estado. Refiro-me a Medalha de Hora ao mérito Educacional, cuja inspiração penso ter sido da querida professora Solange Buzar. No mesmo instante em que sei que muitos educadores do Maranhão não receberão tal comenda dada a falta de conhecimento de contexto educacional (de toda a rede de ensino do Estado) para que quem realmente mereça seja homenageado. Sair de um ciclo de amizades e vizinhanças e preencher o requisito do mérito, pelo fazer pedagógico, pela educação no seu contexto macro e finalmente pela contribuição com o Desenvolvimento Humano de nosso Estado. Um prêmio que já tem algumas edições. A primeira delas fui mestre-de-cerimônias a pedido da professora Solange Buzar. Tenho os registros fotográficos e textos.

Não quero com isso, ofender os conselheiros, seus idealizadores e muito menos apontar nomes. Mas eles mesmos sabem que existem pessoas que contribuem com a educação e que, com certeza, passarão ao largo de quaisquer homenagens. Professora Anna Maria Saldanha, Francisco de Assis Ximenes Aragão Filho, neste caso seria honroso se assim o fizessem. Sem nenhuma Falsa modéstia, mas poucos conhecem as personalidades da educação do Maranhão, de 1979 até os dias de hoje da mesma forma que este humilde jornalista conhece. Mas não me preocupa o ostracismo. Depois da morada na Terra há de se ter uma outra sem injustiças e faz-de-conta. Tenho algumas sugestões para quando o Secretário de Educação do PT assumi de fato a Secretaria de Educação (conforme acordo da governadora). Mas sei tenho que opinar logo antes que algum lambe botas fotografe a minha personalidade e tire radiografia do meu caráter e, em fotocópia apresse-se no anseio de me prejudicar. Bom mesmo é quando a mesa do irmão está farta e você não contribuiu para que os outros não tenham nem mesa quanto mais comida. Isso se chama paz de consciência. Mas que não tem consciência, debruce no travesseiro e lembre-se da escrituras: Deitai e sossegai.

O governo do Maranhão sinaliza acordo com os professores


O vice-governador Washington Oliveira recebe os professores e surge 
uma luz... 


(Recebi estas informações de quem está no movimento e que participa ativamente. Por isso disponibilizo, sem cortes, para o bem do jornalismo. Embora tenha opinião formada, não emitirei para não prejudicar o julgamento que cada um deve fazer). Quem tem lido meu texto tem observado que tenho clamado pela sensibilidade das autoridades das quais conheço e até, algumas delas já trabalhei. Penso que o caminho é esse, pois nem todos podem ser governo e nem são obrigados a sê-lo, porém, o governo deve governar para todos e, principalmente, para os professores que são a alma de qualquer gestão, essencialmente quando pretende orientar-se pelas relações humanas. Entendo que governar é cuidar das pessoas e cuidar dos professores faz parte disso. (grifo próprio). O texto que segue não é de minha responsabilidade, porém confio na fonte.

Relato sobre a 2ª reunião, do dia 28/04, com os representantes do governo.

Companheiros, ontem à noite, fomos recebidos mais uma vez pelos representantes do governo. Essa reunião foi iniciada às 20h 22min e contou com a presença dos seguintes representantes do governo: Washington Luis – vice-governador; Sec. Olga Simão - SEDUC; Sec. Rodrigo Comerciário - Relações institucionais; Sec. Adj Fernando Silva - SEDUC e os membros da comissão de negociação (Júlio Pinheiro; Júlio Guterres; Benedita; Mafra; Marcelo Pinto; Antonísio Furtado e Rezo Junior).

O debate foi todo pautado na necessidade da construção de uma proposta de acordo para que se busque a suspensão do movimento paredista. De início, o governo defendeu a instalação de uma mesa permanente de negociação; o restabelecimento da normalidade na rede estadual de ensino e a imediata reformulação do calendário escolar já pré-estabelecido.

Cobramos do governo uma resposta aos 21 itens da pauta de negociação. Foi-nos dito que, a maioria absoluta dos pontos dessa pauta está contemplada na proposta do novo estatuto. Concordamos, entretanto, ressaltamos que a questão relacionada à nomeação dos excedentes do último concurso, dentro do número de vagas ainda em aberto, precisa ser resolvida. Além desse ponto, cobramos um posicionamento no sentido de se dar mais celeridade no processo de concessão das aposentadorias dos educadores.

A secretária Olga Simão ressaltou a prorrogação da validade do concurso e afirmou que só poderá realizar novas nomeações após a conclusão do levantamento do corpo docente da rede estadual, iniciado em jan/2011. Também afirmaram a disposição do governo para cumprir a lei do PISO e aprovar a proposta do novo estatuto.

Nesse momento da reunião, nós dissemos que compreendíamos a necessidade e a importância da instalação da mesa permanente de negociação, na medida em que, existem questões pendentes que só serão resolvidas a médio e longo prazo. Evidenciamos que nesse sentido estamos de acordo, entretanto, afirmamos que a suspensão da greve só se dará com as seguintes garantias:

1- Reajuste salarial emergencial;

2- Restituição dos descontos em folha;

3- Manutenção do professor na sua escola de origem;

4- Retirada da ação que impôs a multa ao sindicato;

5- Nomeação dos excedentes do último concurso, dentro do número de vagas em aberto.

Atenção! Não abrimos mão dos demais itens da pauta, essas reivindicações serão remetidas a discussão na mesa permanente de negociação.

Os representantes do governo sinalizaram positivamente para os itens 2, 3 e 4. O item 5 está condicionado à conclusão do levantamento relatado a cima e em relação ao item 1, não avançamos.

Reconhecemos a existência de certo avanço nas negociações e afirmamos a necessidade da materialização de uma proposta de acordo, para ser levada a apreciação da nossa categoria em assembleia.

Como não houve proposta alguma em relação ao reajuste, ficou acertado que os representantes do governo irão discutir essa questão com os membros do comitê gestor de política salarial e que voltaremos a nos reunir na 6ª feira, para tratarmos, exclusivamente desse ponto de pauta. Finalizamos a reunião às 23h 50min.

Diante do exposto, está explícito que estamos muito próximos do fechamento de um acordo que garanta conquistas para a nossa categoria, entretanto, é fundamental que continuemos na luta. Nesse sentido companheiros, temos que ter a compreensão de que é fundamental fortalecer a nossa resistência, pois somente isso fará o governo materializar uma proposta de acordo.

Vc já visitou hoje o nosso acampamento em frente a SEDUC? COMPAREÇA!

Fonte: M.R.P








27/04/2011

Professores acampam em frente à Seduc na Rua Conde D’eu

(D’oeu no bolso do professor)

Os professores estão em greve há 55 dias. É bem verdade que a maioria já voltou. Os professores voltaram pressionados pelos descontos das faltas, fato que se verificou com a emissão dos contracheques do mês de abril. Muitos estão nas salas pela presença física, apenas. A revolta tende a aumentar, com isso perde-se na qualidade de ensino. Vale apena lembrar que a maioria dos diretores, que puniu os professores, atingindo-os em seus fígados, não terão de agora em diante, bom relacionamento. Isso já é notável.

A partir de hoje, dia 27, os professores acamparam em frente ao prédio sede da Secretaria de Educação (Seduc). Falta alguém com lucidez no governo e que seja capaz de negociar com os representantes dos professores. Se bem que em outros momentos algumas dessas autoridades saíram-se muito bem e não deixaram correr tempo como agora. Na greve de 2007, eu falei a esposa do governador que a negociação da greve estava sendo mal conduzida no que ela, em gestos, devolveu-me a confirmação da minha opinião. É que tem gente que quer construir a vida puxando saco dos superiores e acabam mentindo, faltando com a verdade e levando-o cada vez mais ao abismo. Ainda há tempo para uma reflexão mais sólida.

Do lado de dentro, no pátio da Seduc: duas viaturas da Polícia Militar do Maranhão, duas ou três motos da PM e cerca de 20 policiais fazem vigília. Do lado de fora mais um camburão dá contorno ao acampamento dos grevistas e policiais também estão de prontidão.

Os professores levaram mantimentos em caixas de isopor. Os funcionários da Seduc estão entrando pelo portão grande que fica aos fundos do prédio.

Opinião de um aliado – Está passando da hora de que alguma providência seja tomada para amenizar a revolta que toma conta dos professores e de boa parcela da população. Sei que têm pessoas no governo de Roseana Sarney, sensíveis e capazes de negociar com mais inteligência e habilidade. Não os citarei para não tender meu texto e praticar ruídos.

Postarei imagens inéditas da greve no nosso blog assim que chegar a casa, pois no momento estou na universidade.

Professores acampam em frente à Seduc


Professores em vigília nas escadarias da Seduc.





Professores acampados em frente à Seduc.

Poucos metros da escada da Seduc: dois carros da Polícia,
um deles descaracterizado
Dentro do pátio da Seduc tinham dois camburões e policiais
 fortemente armados e em motocicletas.


Professores levam mantimentos: alimentação e água.


EDUCAÇÃO DO MARANHÃO
























Informação sobre a greve dos professores

Com a permissão do Professor João de Deus, disponibilizo descontos de faltas em seu contracheque,   referente aos dias parados na greve que já se prolonga por 55 dias.

Antes de postar, porém procurei a autorização do professor João, que prontamente reponde com o seguinte texto: “Meu amigo pode colocar do jeito que ta...”

Esclarecendo pelo conhecimento – todos os professores têm por direito repor todas as aulas, tendo em vista o cumprimento do ano letivo. Então automaticamente esses descontos serão reposto pelo Poder Executivo ou por força da Lei. Isto é fato. Lembre-se que às vezes entre a Justiça e o Direito há hiatos. Não deveria, mas tem.

Podem ler as informações do meu blog à vontade, não tenho rabo preso com ninguém, apenas considero as pessoas e exerço o jornalismo com respeito a todos. O farei sempre...



EDUCAÇÃO DO MARANHÃO

Memória do Curso de Direito, 4º período, abril de 2011. Bons acadêmicos,
sinal de que  a Justiça será fortalecida.

23/04/2011

Imagem-poema - para São Luís - 02

A mãe de todas as coisas...



















A supremacia da natureza sobre as coisas e sobre as atitudes dos
 homnes é a certeza da presença de Deus em tudo.
Este é um belo poema cujas palavras, semânticas e abstração
 cada pessoa faz a seu modo.  O mundo sem Desus é um mundo
 sem paz... A natureza nos ensina a nos aproximar de Deus.
Em outras cenas, Deus faz-se a imagem do que nos presentiou de
 mais sublime: a natureza. Que o homem não se esqueça de si prórpio
e destrua o presente de inspiração divina...
NIlson Ericeira

21/04/2011

O EX-GOVERNADOR JACKSON LAGO EM REUNIÃO NO PALÁCIO DOS LEÕES


O EX-GOVERNADOR JACKSON LAGO EM REUNIÃO

A INTENÇÃO DESTA DIVULGAÇÃO É QUE A FAMÍLIA E A IMPRENSA TENHA ACESSO A IMAGENS INÉDITAS, EXCLUSIVAS DO ARQUIVO DESTE HUMILDE JORNALÍSTA. UMA VEZ QUE VIAJEI A SEVIÇO DA SEDUC POR QUASE TODO O MARANHÃO NA GESTÃO DE VÁRIOS SECRETÁRIOS E DE ALGUNS GOVERNADORES.

SÉRIE DE HOMENAGENS AO EX-GOVERNADOR JACKSON LAGO


QUANDO DA INAUGURAÇÃO DE UMA ESCOLA PÚBLICA ESTADUAL,
NO INTERIOR DO MARANHÃO. JACKSON SEMPRE ENTRAVA E
CUMPRIMENTAVA ALUNOS, PROFESSORES E PAIS DE ALUNOS.


*Nilson de Jesus Ericeira Sousa

A educação, a escola, a vida...
Tenho pensado reflexivamente que uma das maneiras de trabalhar a educação como célula formacional da humanidade é reconhecendo todas as nuances e possibilidades em que ela se apresenta. Não obstante, sabe-se que são inúmeros os fatores que fazem com que as pessoas não tenham acesso à educação ou quando têm, não incorporam insumos significantes para transformá-lo em ser socialmente próspero e capaz de assimilar valores imprescindíveis para a vida.

A universalidade do ensino faz parte da tarefa quantitativa, muito necessária, porém, por si só, não garante a qualidade no ensino e muito menos agregação de valores que transforme os aprendentes em seres capazes de decodificar signos, construtores da sua própria autonomia e, a partir daí, possam traçar seus destinos.

Não imagino educação sem que haja sintonia entre os atores do processo. E acredito que são muitos. Uns com grau hierárquico de que dependem e se interpõem uns aos outros. Para tanto, é fundamental que seja estabelecida essa sintonia e que todos assimilem as responsabilidades estabelecidas na sociedade num contexto de macro-gestão. Eu disse macro, portanto, que envolve todos os subsistemas que compõem a teia evolutiva da sociedade.

O problema é que ainda se pensa que a construção educativa é apenas instrucional e passam despercebidos alguns insumos vitais para que as relações humanas se desenvolvam. Ou se não, assumo esta insipiência de público. Onde se estabelece comunicação, inegavelmente há a construção do processo educativo entre os racionais. Penso que a escola é uma das instituições, instâncias em que se constrói educação, porém não podemos depositar apenas nela supostos fracassos e tampouco atribuir-lhes supostas vitórias. Nela se faz educação, mas não é de forma solitária. Com isso não se deve negar o essencial valor dessa instituição.

Na minha impressão há pelo menos duas escolas bem definidas num só aparato concreto. A que abriga literalmente seus atores e aquela que se constrói em cada um de nós, igual aqueles sonhos que acordamos lembrando de detalhes que nos fazem muito felizes. A escola da nossa projeção. A mesma que os cidadãos supostamente iguais almejam para todos. A mesma que forma o homem para ser justo, honesto, temente ao hediondo e, sobretudo, que se sinta irmão. A primeira existe por si só. É estruturada na sua base material. A outra é a incorporada ao mundo axiológico, que não se constrói de massa de cimento, de pedra, mas de amor e é concretada na alma dos cidadãos que se pretendem livres.

Alguns dos elementos que conceitualmente se mentalizam na forma de insumos já estão presentes no próprio devir cultural. Outros, porém, é preciso que sejam postos para despertar o potencial dos seres humanos. Quantos de nós não conhecemos verdadeiros gênios que o tempo se encarregou de omiti-los. Agora mesmo nos lamentamos do fracasso evolutivo de algumas pessoas que por um motivo ou outro sucumbiu diante da falta de oportunidades. De quem é a culpa?

O tempo omisso do Estado no seu sentido amplo, que envolve todos os poderes sempre com preceito da igualdade de oportunidades, mas o que garantem até hoje é manutenção do status quo. Quando na realidade, ao longo dos tempos a igualdade precípua somente existe como figura de retórica e discursos de enlatados. Um jargão, talvez.

Há um discurso em voga, porém na minha concepção trivial, que é preciso investir no professor. Ora, mas se não formamos um dos elementos significativos do processo, como poderemos participar dessa pretensa colheita? Contexto em que a escola significa um espaço necessário, cabível, milenar, porém insuficiente se a ela sozinha pretendermos uma das instâncias responsáveis pela formação humana.

Humanizar não é um ato que aceita conceitos estanques, muito pelo contrário, na escola também há o reflexo da teia social e, por conseqüência, todas as instâncias sociais fabricadas no devir social. Negar a educação é pretendê-la solitária, educação de forma, de receitas. Do mesmo tipo individualista dos ventríloquos e da arrogância e do ter êxitos sozinhos. Quem pensa assim, arbitra a educação desconectando-a o que não de pode desconectar pela própria essência, no caso, a educação do seu o contexto social.

Nilson de Jesus Ericeira Sousa

Poeta, jornalista, professor, psicopedagogo e estudante de Direito

A educação, a escola, a vida



Tenho pensado reflexivamente que uma das maneiras de trabalhar a educação como célula formacional da humanidade é reconhecendo todas as nuances e possibilidades em que ela se apresenta. Não obstante, sabe-se que são inúmeros os fatores que fazem com que as pessoas não tenham acesso à educação ou quando têm, não incorporam insumos significantes para transformá-lo em ser socialmente próspero e capaz de assimilar valores imprescindíveis para a vida.
A universalidade do ensino faz parte da tarefa quantitativa, muito necessária, porém, por si só, não garante a qualidade no ensino e muito menos agregação de valores que transforme os aprendentes em seres capazes de decodificar signos, construtores da sua própria autonomia e, a partir daí, possam traçar seus destinos.
Não imagino educação sem que haja sintonia entre os atores do processo. E acredito que são muitos. Uns com grau hierárquico de que dependem e se interpõem uns aos outros. Para tanto, é fundamental que seja estabelecida essa sintonia e que todos assimilem as responsabilidades estabelecidas na sociedade num contexto de macro-gestão. Eu disse macro, portanto, que envolve todos os subsistemas que compõem a teia evolutiva da sociedade.
O problema é que ainda se pensa que a construção educativa é apenas instrucional e passam despercebidos alguns insumos vitais para que as relações humanas se desenvolvam. Ou se não, assumo esta insipiência de público. Onde se estabelece comunicação, inegavelmente há a construção do processo educativo entre os racionais. Penso que a escola é uma das instituições, instâncias em que se constrói educação, porém não podemos depositar apenas nela supostos fracassos e tampouco atribuir-lhes supostas vitórias. Nela se faz educação, mas não é de forma solitária. Com isso não se deve negar o essencial valor dessa instituição.
Na minha impressão há pelo menos duas escolas bem definidas num só aparato concreto. A que abriga literalmente seus atores e aquela que se constrói em cada um de nós, igual aqueles sonhos que acordamos lembrando de detalhes que nos fazem muito felizes. A escola da nossa projeção. A mesma que os cidadãos supostamente iguais almejam para todos. A mesma que forma o homem para ser justo, honesto, temente ao hediondo e, sobretudo, que se sinta irmão. A primeira existe por si só. É estruturada na sua base material. A outra é a incorporada ao mundo axiológico, que não se constrói de massa de cimento, de pedra, mas de amor e é concretada na alma dos cidadãos que se pretendem livres.
Alguns dos elementos que conceitualmente se mentalizam na forma de insumos já estão presentes no próprio devir cultural. Outros, porém, é preciso que sejam postos para despertar o potencial dos seres humanos. Quantos de nós não conhecemos verdadeiros gênios que o tempo se encarregou de omiti-los. Agora mesmo nos lamentamos do fracasso evolutivo de algumas pessoas que por um motivo ou outro sucumbiu diante da falta de oportunidades. De quem é a culpa?
O tempo omisso do Estado no seu sentido amplo, que envolve todos os poderes sempre com preceito da igualdade de oportunidades, mas o que garantem até hoje é manutenção do status quo. Quando na realidade, ao longo dos tempos a igualdade precípua somente existe como figura de retórica e discursos de enlatados. Um jargão, talvez.
Há um discurso em voga, porém na minha concepção trivial, que é preciso investir no professor. Ora, mas se não formamos um dos elementos significativos do processo, como poderemos participar dessa pretensa colheita? Contexto em que a escola significa um espaço necessário, cabível, milenar, porém insuficiente se a ela sozinha pretendermos uma das instâncias responsáveis pela formação humana.
Humanizar não é um ato que aceita conceitos estanques, muito pelo contrário, na escola também há o reflexo da teia social e, por conseqüência, todas as instâncias sociais fabricadas no devir social. Negar a educação é pretendê-la solitária, educação de forma, de receitas. Do mesmo tipo individualista dos ventríloquos e da arrogância e do ter êxitos sozinhos. Quem pensa assim, arbitra a educação desconectando-a o que não de pode desconectar pela própria essência, no caso, a educação do seu o contexto social.

Nilson de Jesus Ericeira Sousa
(32 anos de serviços prestados à educação do Maranhão)
Poeta, jornalista, professor, psicopedagogo e estudante de Direito

EDUCAÇÃO

Na  turma de Direito com a minha colega Tereza.
No momento em que realizávamos uma atividade Direito Civil.

MEMÓRIA SEDUC - EDUCAÇÃO DO MARANHÃO - REMINISCÊNCIAS E HISTÓRIA

OS EX-SECRETÁRIOS DE EDUCAÇÃO DO MARANHÃO,
 ALTEMAR LIMA E O DEPUTADO GASTÃO VIEIRA.
NA PAUTA: EDUCAÇÃO COM CERTEZA.

20/04/2011

Perdoar e amar são dois valores fundamentais da vida humana

(Só se aceita desculpas de alguém que realmente cometei erros na relação, perdão é ato essencialmente sublime de alguém que é grande em si mesma.) Só os que amam são capazes disso.

Hoje cheguei à seguinte conclusão: todos sabem mais que eu, inclusive os que não sabem. Por isso, continuarei minha busca no sentido de compreender o outro, porém sem (não por egoísmo) me envolver em relações de forma apressadas. Prefiro o silencia e a meditação sobre o que está sendo dito e sobre o que acontece. Da forma de analisar mais o cenário, os espectadores e os protagonistas. Pedindo a Deus que ajude as pessoas se construírem sem usar os ombros dos outros e o pior sem cavar nenhuma sepultura ou abrir cárcere, principalmente aos que insistem em intitular de amigos. Tenho absoluta dificuldade de deixar de ser amigo, uma vez que sempre dou-me com a razão e emoção e, muitas vezes não dou vazão a primeira, sucumbindo-me ao próprio erro. Mas ninguém pode ser amigo premeditando as relações ou muito menos antecipando-se às coisas. Apenas Jesus Cristo sabia quem era o seu algoz e nem por isso disseminou ódio, discórdia ou coisa que o valha. Uma coisa é certa, existem pessoas que têm o limite do certo e do errado apenas quando se relaciona as coisas suas e de seus seguidores (seu próprio umbigo). Os homens bons não agem assim. Fica até difícil estabelecer um parâmetro para o ponto certo delas.

Enganam-se aqueles que têm um Deus só dele: que aprova maldades e disfarces. Deus não deve nem ser colocado nessas situações, uma vez que sendo onipresente, onipotente, conhece o coração, a alma, a matéria e o ser. As pessoas não encontrão respostas (que se iludem que têm) nas pessoas do mesmo grupo, nas reuniões, para a cura de suas feridas. Feridas da alma, doenças sociais, invejas, rabugices, falsidades, mentiras, hipocrisias... são inerentes a plantação almejada por cada ser. É fraqueza pensar que a dissimulação engana o tempo todo. Deus age e mostra aos homens, no tempo de Deus, a verdade e a justiça prevalece, mesmo que leve algum tempo encoberta para estética facista e de ilusão. Ah! Tenho sim uma proposta para empregar as pessoas que usam os E-mails fictícios das Secretarias e órgãos públicos para difamar e agredir as pessoas: descobre-se ou aprende-se do Código do Processo Penal e no Código Penal, para isso precisa ter alguma habilidade, mas elefante não pensa. Tinha me esquecido de lembrar que isso prescinde de lei especial, mas enquanto no ordenamento brasileiro não tem. “Não há crime sem lei anterior que o defina.”

Hoje conversei com meus alunos sobre o valor da amizade e pedi que eles escrevessem sobre São Luís: 440 anos. Estabeleci que fizessem uma pesquisa bem ampla. Não vale nota, pedagógico, mas muito mais histórico-cultural, social e político. Eram poucos porque a maioria dos professores ainda não retornou. Eu fiz isso (o retorno) por absoluto dever de sustentar minha família, pois nunca, em 32 anos de carreira, tive descontada uma falta. Talvez quem ganhe muito e fácil não saiba, mas os professores vivem dos salários que recebem por meio do contrato de trabalho, que se origina de um acordo de vontades. Acho que a Comunicação e o Direito estão revolvendo minhas reflexões. Daria tudo para não fazer a mesma coisa errada duas vezes, então vou levando a vida...

*Geralmente não cometo erros do ponto de vista da Gramática normativa, mas o tempo tem me tirado o tempo para um texto depurado. Desculpem-me.

Nilson Ericeira

Nina

Nina


Niná, Bela morena,

Cheiro de flor

Vem me ninar

Que te dou o meu amor

Bela morena

Pele de jambo

Cheiro de flor

Niná de tão belo esplendor

Nilson Ericeira

Robrielli

Vertigem



Vertigem
Num mundo pequeno
Distante de mim
Subir escadas e as limpei
Rompi obstáculos
Fomes, cânceres, dores...
Frios e desalentos,
Mas não fui capaz de romper
Maldades calculadas...

Friamente à beira de escrivaninhas
Em abutres terreiros
Encostei-me em muros
Desmaiei
Naquela vertigem quase mórbida
Lavei escadas
Hoje sujas pela corrupção,
Hipocrisia, indignidades
Continuo o Passeio
Mas apresam-me a hora
Enquanto boi na frigideira velha
Em um mundo do Apicuns
Passeios, nas Liras, Bela-lira
No Codós pequenos e Cremes
Santos e Pantaleons indo de Kruger a um Paulo
Se dá com Cabral e tantas Madres
Deus!

Nesse manto de imaginação
Não me veio à memória imaginar
Que iria tropeçar em “gentes”, cogentes
Que até se divertem, riem, me apresentam e,
Retra-em-se ao seu próprio umbigo.

Nilson Ericeira

Robrielli

16/04/2011

DOUTORA CLAY LAGO É SIM UM GRANDE REFERENCIAL NA POLÍTICA DO MARANHÃO


ENTENDO QUE PELO MENOS NUM PONTO DE VISTA CLODOMIR PAZ ESTÁ COMPLETAMENTE CERTO, A DE QUE DOUTORA CLAY LAGO PODE COMANDAR O PDT NO MARANHÃO. NA MINHA OPINIÃO, CLAY LAGO É UMA PESSOA PREPARADA, EDUCADA E DE MUTO TRÂNSITO NO MEIO POLÍTICO. FATO QUE GANHOU MAIOR EVIDÊNCIA QUANDO DA PASSAGEM DO DOUTOR JAKSON LAGO PELO GOVERNO DO MARANHÃO. SOMA-SE A ISSO, O FATO DELA TER IDO (TENHO IMAGENS), COM O DOUTOR JAKSON NO GOVERNO, A QUASE TODAS AS CIDADES MARANHENSES, INCLUSIVE NOS DITRITOS RURAIS [REDUNDÃNCIA PROPOSITAL] SEMPRE TRATANDO A TODOS COM RESPEITO E CONSIDERAÇÃO. E OLHA QUE NESTA ELEIÇÃO ÚLTIMA EU NÃO VOTEI EM JAKSON LAGO, POR ISSO NÃO TEM AQUI O ASPECTO BAJULATÓRIO QUE MUITOS USAM PARA SE PROMOVER. LONGE DE MIM ESSE TIPO DE COMPORTAMENTO. A DIGNIDADE É A PRINCIPAL E REAL IMAGEM DE UM HOMEM, SÓ QUE ÀS VEZES PARECE OFUSCADA PELA MENTIRA E HIPOCRISIA.

A MINHA OPINIÃO SE RESPALDA EM FATOS, TENDO EM VISTA QUE EU TAMBÉM TRABALHEI PELA SEDUC (ALIÁS LÁ EU PASSEI 32 ANOS DE MINHA VIDA), EM QUASE TODOS OS MUNICÍPIOS MARANHESES, INCLUSIVE QUANDO NÃO TINHA MESTRE DE CERIMÔNIAS, ATÉ COM A PRESENÇA DO GOVERNADOR, COMO NOS CASOS DE CAXIAS E IMPERATRIZ, EU EXERCIA. LOGO APÓS DESAPRENDIR, TENDO EM VISTA QUE EU NÃO TENHO ALTURA, MAS TENHO ESTATURA, NÃO TENHO A VOZ DE LOCUTOR DE FM, MAS NÃO MIO DA FORMA QUE GATO MIA E, COM DESAFIOS: ESTUDO LÍNGUA PORTUGUESA E SOU JORNALISTA POR FORMAÇÃO, PREOCUPAÇÃO QUEOS GRANDÍOLOS E SÁBIOS QUE CUIDAM DA EDUCAÇÃO DEVERIAM TER. E SE NÃO FAZEM, NÃO ESTÁ PREVISTO NO CÓDIGO PENAL QUE GRAMATÍCIO É CRIME, APENAS ASSÉDIO MORAL, POR EXEMPLO. E, PRECISO SABER A DATA DA PRESCRIÇÃO DISTO.

LIBERDADE É O SOL QUE NOS DÁ VIDA - LEMBRO-ME DE UMA PASSAGEM SOBRE A GREVE DE PROFESSORES, EM 2007, QUANDO EU E MARLENE MENDES PEREIRA, LÍDER DO CERIMONIAL DA SEDUC, FOMOS À PALÁCIO APRESENTAR O PROJETO DO DESFILE ESTUDANTIL, EM QUE EMITIMOS À NOSSA OPINIÃO SOBRE A GREVE DOS PROFESSORES DE 2007. NESSA OCASIÃO, A DOUTORA CLAY ESTAVA ACOMPANHADA DA PROFESSORA TEREZA PFLUEGER, DA PROFESSORA MARIA DE JESUS CAPAR E OUTRAS ASSESSORAS DO GOVERNO. NA MINHA FALA, EU CRITIQUEI A POSTURA DO GOVERNO EM RELAÇÃO AOS PROFESSORES E ELA, PELO MENOS NOS QUE ABSTRAIR, CONCORDOU COMIGO. SÓ PARA UM MELHOR ENTENDIMENTO, FIZ REFRÊNCIA INCLUSIVE A LINGUAGEM UTILIZADA NA NEGOCIAÇÃO E, PRINCIPALMENTE SOBRE OS ATORES DA NEGOCIAÇÃO COM O MOVIMENTO... COBREI A PRESENÇA DO GOVERNADOR PARA DIALOGAR COM OS PROFESSORES, UMA VEZ QUE ELE HAVIA NASCIDO DAS BASES POPULARES – RECORDO-ME QUANDO IA VÊ-LOS EM COMÍCIO EM CIMA DA CARROCERIA DE UM CAMINHÃO, NA PRAÇA JOÃO EVANGELISTA – MACAÚBA. ISSO É HISTÓRIA, APENAS.

EM RELAÇÃO AO PDT, QUE CLODOMIR ENTENDE QUE DEVE SER CONDUZIDO POR DOUTORA CLAY, EU CONCORDO, ASSIM COMO CONCORDO QUE O PT DO MARANHÃO TEM QUE SE AFASTAR URGENTEMENE DO GOVERNO ROSEANA. ALIÁS, UM GOVERNO DE QUE O PT NÃO ESTÁ.

LEVA O PDT PARA COMPOR COM O ATUAL PREFEITO DE SÃO LUÍS É ABANDONAR A HITÓRIA DE JAKSON LAGO QUE COM CERTEZA NADA TEM A VER COM O QUE ACONTECE ATUALMENTE EM NOSSO MUNICÍPIO.

NÃO SOU DONO DA VERDADE, MAS EM RELAÇÃO A SÃO LUÍS, É O QUE VEJO E SINTO, POIS MORO AQUI EM BAIRRO DE PERIFERIA E NUNCA FOI DESSA FORMA, APESAR DOS OUTROS NÃO TEREM SIDO TÃO MELHORES.

LEMBRANDO DE QUE A INFORMAÇÃO A RESPEITO DA LIDERANÇA DE DOUTORA CLAY NO PDT FOI ABSTRAÍDA POR MIM, DO JORNAL A TRIBUNA DO NORDESTE, DO DIA 12 DE ABRIL DE 2011.

15/04/2011

O amor que caiu, rolou, renasceu


Meu amor pra você se perdeu
Caiu, rolou...
Feito folha ao tempo
Meu amor por você se feriu
Me feriu e rolou
Feito o tempo que leva a brisa
E abrasou te querer
Meu amor por você se feriu
E sangrou no meu peito
Feito água de fonte corrente
E meu ar me faltou
Suprimiu,
Me faltou,
Reprimiu, respirou...
Encontrei sobre vida
No ocaso de mim...
Bem distante da vida,
tempestade sem-tir
E o vento e tempo arrastaram
As falhas e folhas do tempo
Outra vez,
vidas, canteiros, sementes, flores e frutos,
Estações...
E brotou esperança desse sonho de amar
E Sentir que é Sol,
é poente e nascente
É a sede de amar...
E, novamente meu sou sucumbiu,
Ofuscou
O meu certo é morto
Distante e amante
Do teu riso, olhar!
Pois es brilhante,
Peras preciosas
A procura de mim
Vagas pedras oculares
Meninas que omitem,
Apenas traduzem o brilho
De eterno querer ...

Nilson ericeira

Poeta, jornalista professor, psicopedagogo e estudante de Direito

13/04/2011

SÃO LUÍS ENTRE A CRUZ E A ESPADA

Na era da Internet só nos faltava um prefeito virtual e uma realidade real persuadidos por uma mídia fantasgórica...
É irônico pensar que João Castelo é oposição no Maranhão, como ele quer se fazer passar e. com isso, seduzir lentes pouco visíveis e desprovidas de interpretação mais sistematizadas. Talvez não precise nem disso, basta que acompanhe a política do Maranhão desde a DITADURA MILITAR. É lógico que o prefeito de São Luís representa uma alternativa de “oposição” ao grupo Sarney, do qual ele veio e foi governador. A Deputada Gardênia Castelo disse que as oposições deveriam se unir. Pra quê? Para que o prefeito de São Luís, João Castelo continue com essa administração pífia? Achando que palavras e conchavos políticos convencem ainda a população de São Luís?

Na visão do prefeito quanto mais cargos oferecer aos partidos que ele pretende ter na sua composição mais estará assegurado o seu retorno de onde ainda não saiu. Quem mora em São Luís não precisa que alguém o fale sobre a administração. Considero João Castelo um prefeito virtual, ou talvez reminiscente, daqueles que vivem do passado. Eu fiz quando era governador. Ora pílulas! Mas um ano antes das elições sempre faz bem para qualquer político que consegue ludibriar o povo. A "política" essa que vigora é igual a propaganda publicitária, tem tanto efeito persuasivo que, em certos momentos, esquecemos até de quem nos humilha, nos mata e nos tira o que é nosso por direito. A propaganda, às vezes, nos induz a consumir produtos que nos fazem muito mal. Ou não?

10/04/2011

MEMÓRIA SEDUC


O governo José Reinaldo teve cinco secretários de Educação. O primeiro foi Danilo Furtado, o segundo foi Doutor Luiz Fernando Silva, o terceiro foi Altemar Lima, o quarto foi o professor Edson nascimento e o quinto, Doutor Lourenço Vieira da Silva.

Os primeiros começaram com a antiga estrutura, herança das Gerências da então ex-governadora Roseana Sarney, de quem o governador José Reinaldo era o vice-governador, dessa forma a Secretaria de Educação levava o nome de Gerência de Desenvolvimento Humano.

Trabalhei com todos e de todos levo ensinamentos para a vida inteira. Fui assessor e coordenador de Comunicação no período de Altemar Lima, cuja vaga até hoje entendo que me tenha sido colocada por gratidão, carinho amizade (coisa de que sou muito grato, mas me inquietou o tempo inteiro, por lhe considerar como verdadeiro irmão); com Edson Nascimento, apesar de ter sido exonerado por ele, mas nutro respeito, amizade consideração e profunda admiração, com ele eu pude muitas vezes ser mais chato do que geralmente sou e torcia muito pela administração dele (mas os fuxicos e maldades venceram); por Danilo, o fato de por meio de professor Nilson Amorim ter me enxergado como jornalista e me valorizado com tal; com Lourenço Vieira da Silva, a luta para provar de que não era o que os fuxiqueiros queriam que ele acreditasse que eu fosse e muito trabalho, (viajando o Maranhão quase todo, muitas vezes com as presenças dos governadores José Reinaldo e Jackson); com Luís Fernando Silva, atual Secretário Chefe da Casa Civil do atual governo de Roseana e Washington Luiz, este último me fez acreditar que seria um bom governo, herdei o sentido de que devemos conquistar as coisas trabalhando com responsabilidade, inteligência e persistência, coisas de que pratica. Neste período desenvolvi minha capacidade de escrever inúmeros textos, a maioria guardada em meus arquivos.



No momento atual - Agora estou sendo vítima da maior linchamento que já pude ter, mesmo tendo sido candidato a deputado estadual, “ter votado em Roseana e Washington”. Veio a desembocar com Anselmo Raposo quando fui devolvido sem que nenhuma autoridade da Seduc tenha me informado o real motivo; num primeiro momento resolvemos a suposto equívoco (já que eram inverdades e especulações) e nunca ninguém me perguntou; Disse Anselmo para Raimundo Monteiro (Presidente do PT) que se tratara de um equívoco. E agora? Será que é porque continuo acessando a quase todas as mídias de quem tenho direitos? Lendo e escrevendo igual à necessidade de ter a veias da minha memória (consciência) e coração limpas. Matem-me, mas ninguém conseguirá fazer com que eu não leia e explique quando alguém me solicitar. Sou jornalista e vivo isto com a responsabilidade de me manter íntegro igual a minha própria existência. Os que me difamam e caluniam, com certeza, são os mesmos que se propõe a limpar os pés dos secretários e assessores. Às mingalhas a quem delas precisa, os restos, aos ratos!


Nilson de Jesus Ericeira Sousa

09/04/2011

Serena morena

Passeia nas avenidas de mim
Corre nas veias
E dilata ser
Quando balança teu corpo
Pois sou teu escultor
Morena serena
De trejeitos e curvas
De riso soberbo
Matreira, ligeira, faceira desliza em mim
Indiferente caminha na rua
E nem nota moribundo poeta
Sob o olhar e jeito inquieto abrasa corações
Sei dessa forma tua forma
Quando vai deixa o aroma
Teu cheiro esse jeito de querer ser mulher
Fica tua sombra nos caminhos
No sentido de espera,
E dessa lua nascer outra vez
Ainda que minguando um pouquinho de sol
Um pedacinho do quarto
Desse sol que irra-dia
Essa estrela que se reflete mais uma vez
Do amor que dirá,
Filosofias, amor, poema e querer...
Teu corpo, tua vida, teu ser
É vigiado pelo imanente desejo
De despir e comungar desse encanto
Imaginar nessa fonte e te amar uma única vez...

Nilson Ericiera

08/04/2011

As relações entre a essência da vida, a sociedade, o Direito, o Estado e a Justiça...

Nilson de Jesus Ericeira Sousa



Quando perdemos a noção de que somos irmãos e que devemos nos permitir amar igual nos ensina nosso Deus, chegamos à irracionalidade em ações que deixam seqüelas a pessoas da própria família e a outras vítimas que, diretamente são agredidas, sujeitos passivos dessa relação, e ainda por agirem feito monstros, sucumbem à condição de indignos. Dessa forma, acredita-se que é preciso amar os nossos irmãos como a nós mesmos, sempre na convicção de que somos filhos de um Deus verdadeiro e que não se permite confundir com o deus da mentira, da beneficie fácil de uns poucos hipócritas. Isso é fator gerador de violências.

Hoje, apesar de há muito tempo não fazê-lo, encontrei-me sem nenhuma possibilidade de retrair-me, fechar-me ante as lágrimas rolarem no meu rosto quando imergiram de coração dilacerado pela fúria e sangria advinda de monstros que eliminam vidas indefesas, inocentes e, sem razão mínima para justificar brutalidades, monstruosidades se é que alguém em algum lugar selvagem possa justificar atitudes animalescas.

Não que o crime seja a regra, mas há previsão nos códigos para a reparação jurídica mesmo quando o bem maior atingido é a própria vida. O estado é responsável pelo sujeito tutelado e presume-se que em algum momento, volte ao convívio social. Na prática, afora desconhecimento de estatísticas, este sinal não funciona por diversos fatores e um deles é que, em regra, o cárcere não regenera ninguém, uma vez que o sistema precisa ser repensado e posto em práticas atitudes em diversas áreas que conduzam a sociedade de forma equlibrada. Refiro-me a políticas públicas que, em regra saem pelo ralo nefasto da corrupção e do crime da impunidade. Confesso, resigno constantemente, mas sou muito passional em relação a meus sentimentos. Prefiro senti-los a externá-los e, muitas vezes, sou muito mal interpretado pela racionalidade que empreendo a fatos e atitudes dos seres humanos. Torno-me, dessa maneira, muito mais um expectador privilegiado, que não somente enxerga a cena, percebe os fatos, sente as ações dos “humanos”, mas vai a raiz da questão. Confesso que nossos dias têm sido hediondos e de catástrofes, porém, Deus nos ensina e nos mostra outro caminho. Porém não são poucos em que podendo unir, desagregam, mentem prostituem-se em palavras ações, atitudes e, até matam, depois mandam flores, fazem-consternadas aparentando um sentimento que os comuns não têm e nem poderiam tê-lo, pois é uma faça. Que cena malfazeja!

Porém, é bom sabermos que no nosso ecossistema não existem somente bichos irracionais pela própria natureza, ma há os que hibernam e renascem de um gênero maligno. Por outro lado, a vida em inspiração divina, é um verdadeiro presente da natureza sublime que pulsa através de pessoas que, a cada dia se tornam mais especiais, companheiras, humanas em essências e nas atitudes, contribuindo para o nosso crescimento. O paradoxo social há de nos perseguir, afinal somos gente e gente se relaciona com gente, pelo menos originalmente.

Há fatos que nos aterrorizam e que nos colocam na condição de animais irracionais. Não obstante, a brutalidade e rejeição social, há previsão de coercitiva e de regime jurídico que, se não amortiza a dor dos entes, proclama a justiça, em certo modo. Por isso, entendo reflexivamente que, não devemos nos desapontar pelos hediondos e nefastos crimes que nos rodeiam. As instituições, o Estado em sua magnitude e existência, têm o papel fundamental de gerar igualdades nas diversidades e, principalmente, não permitir que o ente abstrato, porém forte e constituído, sucumba ante ao crime. Isso não somente gera intranquilidade, mas desesperança e empobrecimento nas relações coletivas. Episódio em que cabe mencionar a lei como um dos elementos do Direito, a Justiça é muito mais que isso, é a busca da satisfação ou reparação de um direito lesado, seja de que natureza for, e, se o bem maior que é a vida, consuma-se a essência do Direito e da Justiça.

Nilson de Jesus Ericeira Sousa

Poeta, jornalista, professor, psicopedagogo e estudante de Direito

Uma bela imagem do ex-governador Jackson Lago, no Palácio dos Leões, em companhia de sua esposa Clay Lago, Secretário de Estado e outras autoridades.

Faz parte de uma série que homenageia o ex-governador Jackson Lago

GREVE E OS DOIS LADOS DA INFORMAÇÃO: Seduc convida alunos e professores para retorno à sala de aula


Notícias


Com a decretação da ilegalidade da greve dos professores pelo Supremo Tribunal Federal (STF), as aulas nas escolas da rede estadual de ensino começam voltar à normalidade. A fim de garantir essa retomada e evitar maiores prejuízos para o cumprimento do calendário do ano letivo, a secretária de Estado de Educação, Olga Simão, convida os estudantes da rede a retornarem às salas de aula e conclama os professores a reiniciarem suas atividades.

De acordo com Olga Simão, o retorno dos profissionais de educação da rede estadual às suas atividades será de fundamental importância para interromper os gravíssimos prejuízos que a paralisação está causando, há mais de 35 dias, aos alunos da rede estadual de ensino, bem como às suas famílias e à sociedade maranhense. “O governo reconhece que mais de 500 mil alunos não podem ser prejudicados com a paralisação das atividades escolares”, frisou.

Em nota, a Seduc fez um apelo aos professores da rede pública de ensino, que ainda permanecem fora da sala de aula, a retornarem, imediatamente, às suas funções, em respeito à decisão do Supremo Tribunal Federal, que confirmou a ilegalidade da greve.

Por força da decisão da Justiça, todos os dias não trabalhados serão descontados - um prejuízo para os professores, que poderia ter sido evitado se tivesse havido a devida orientação. O Governo do Maranhão lembra ainda que, de acordo com a legislação em vigor, a ausência, por 30 dias das atividades caracteriza abandono de emprego.

“O Governo espera contar com a sensibilidade dos professores, cessando os enormes prejuízos já causados aos estudantes maranhenses”, diz a nota.

A Secretaria de Educação (Seduc) está empreendendo todos os esforços para garantir que o calendário letivo de 2011 seja plenamente efetivado na rede estadual que, pela primeira vez, depois de oito anos, deverá ser cumprido dentro do período letivo.

A mesma posição é defendida pelos movimentos estudantis, que desejam a retomada das atividades nas escolas da rede estadual. "Só queremos estudar e nada mais. Lugar de professor e de alunos é na sala de aula", afirmou o presidente do grêmio do Centro de Ensino Antônio Ribeiro, Antônio Sousa.

FONTE: ASCOM/SEDUC
Foto: acervo do jornalista Nilson


GREVE: Governo não apresenta proposta e a greve na educação continua


» Mídia » Notícias » Outros » 2011 » Abril


Data de Publicação: 8 de abril de 2011 às 03:04

Depois de aprovar a continuidade da greve, em grande assembléia realizada nesta quinta-feira (7), que contou com a participação de cerca de quatro mil trabalhadores de São Luís e região, uma comissão de educadores e diretores do SINPROESEMMA foi recebida pela secretária de Estado de Educação, Olga Simão.

A secretária, acompanhada pelo deputado estadual Roberto Costa e de outros representantes do governo, condicionou a negociação da pauta de reivindicação dos trabalhadores à suspensão do movimento grevista. A posição da secretária foi, prontamente, reprovada pela comissão, que cobrou uma proposta concreta do governo para dar início às negociações, que levariam a um possível acordo e consequentemente ao fim da greve.

“A secretária quer inverter o processo histórico do movimento grevista. Essa é uma proposta jamais vista na história dos movimentos. A greve só acaba mediante ao fechamento de um acordo e não o contrário. Queremos que o governo apresente, sim, uma proposta concreta para abrirmos o debate e submeter à avaliação da categoria em assembléia”, disse o presidente do SINPROESEMMA, Júlio Pinheiro, logo após a reunião na Seduc, aos trabalhadores que aguardavam do lado de fora do prédio.

A comissão também questionou o tratamento que o governo vem dando aos trabalhadores, que denunciam casos de ameaças de corte de ponto, exoneração, transferência de local de trabalho e outras formas de retaliação e de agressão, que estariam sendo feitas por diretores de escolas. Em alguns casos, o sindicato já providencia processos judiciais para responsabilizar criminalmente diretores por assédio moral.

Assembleia e Passeta

Os trabalhadores da educação chegaram ao prédio da Seduc, em passeata, que teve início logo após a assembléia, realizada no auditório da Fetiema. Foi a maior assembléia já realizada pelos educadores desde o início do movimento. A notícia da decisão do Supremo Tribunal Federa, que não aceitou dar seguimento à reclamação do sindicato para suspender a liminar que julgou a greve ilegal, não desanimou os educadores, que mostraram, tanto na assembléia como na passeata, muita disposição em dar continuidade à greve, até que o governo apresente uma proposta que atenda ao pleito da categoria.

O sindicato já recorreu com agravo regimental junto ao STF e espera um resultado positivo para a judicialização da greve, provocada pelo governo do Estado. Enquanto isso, a agenda do movimento continua e nesta sexta-feira serão realizadas blitz em várias escolas estaduais e na próxima terça-feira (12) está previsto um grande ato público na Assembléia Legislativa do Estado, pela manhã, às 8h.

A direção do SINPROESEMMA conclama a participação de todos nas atividades da agenda e informa que a reunião de avaliação da greve será realizada na próxima segunda-feira (11), no auditório da Fecomercio, atrás do Senac, a partir das 8h30.

FONTE: SIMPROESMMA

AGORA VAI!


Se for não vá pelas vias de São Luís ou frete trator ou lancha, uma vez que de helicóptero e de avião saí alto, porém se for de ônibus dê uma carona a João Buracão e não passe pelos terminais que são verdadeiro inferno. E, espere, espere numa dessas paradas sem abrigo e, aguarde mais 400 anos...


Onde se viu. Uma deputada fazer às vezes do prefeito. Quebras-e com isso com o princípio da separação dos Poderes. Mas isso é levado em conta. Segundo informações, a Deputada Gardeninha disse para o pai dela, o prefeito de São Luís, João Castelo, que ele tem que substituir alguns secretários.

Talvez os descaminhos da administração de Castelo na prefeitura de São Luís, não seja somente esse o foco. Porém pode ser um dos aspectos. Durante mais de 30 anos eu só vi coisa igual na administração de Gardênia Castelo que, por coincidência é esposa de Castelo.



07/04/2011

Dia do Jornalista: ser Jornalista um presente de Deus

Que o pulso da minha voz não cale, que o impulso das digitais não pereça ou delete-se, que as veias do meu coração suporte, que a verdade prevaleça, que os neurônios mantenham-se férteis e bons para as reflexões que a vida impuser... ou serei pó antes da hora chamada.

Hoje é Dia do Jornalista. Certamente ser jornalista é o exercício de uma missão. Então, ser jornalista é exercer em todos os dias de sua formação a busca incessante da verdade independente de quem seja a empresa, veículo de comunicação. Difícil missão, uma vez que quase sempre as empresas de comunicação são possuídas por quem detém os Poder. Mas conheço profissionais éticos que resistem a essas manobras de permanência da dominação, mesmo sendo empregados das empresas.

No jornal, rádio, TV, Internet, comunicação alternativa, sindical ou afim, onde quer que estejam e de atuaís meios, têm se valido para dizer a verdade, a minha sincera homenagem a esses profissionais dos quais me sinto companheiro.

Tenho dito e não tergiversarei, que o que eu mais gosto de exercer é o jornalismo. Assim o exerço no meu espírito crítico, reflexivo, perscrutador e, acima de tudo, com a minha vocação por justiça social.

A vida só vale apena se exercermos as nossas militâncias em comunhão com a verdade e desarmado de ódio, terrorismos e ações que nos denigram como seres humanos, uma vez que deveríamos ter a vocação somente para o bem.

Os meus segundos vividos só me têm sido mais prósperos porque Deus me deu forças para chegar a esta profissão. Dessa forma, acredito que esta profissão me ensina a ser cada vez mais justo, probo, coerente e honesto tanto na profissão quanto nas minhas relações.

Quando criança eu imitava grandes locutores de rádio e TV. Hoje escuto e interajo. Deus por meio de meu esforço e a ajuda de grandes amigos me puseram em pé de igualdade.

Sigo a trilha de meus companheiros jornalistas e agradecendo por exercer, mesmo sem vínculos, esta profissão que me torna feliz a todo instante, não para me rogar melhor ou pior, mas para glorificar uma profissão que é de suma importância para que exista justiça com igualdade.

Nilson de Jesus Ericeira Sousa

Poeta, jornalista, professor, psicopedagogo e estudante de Direito

05/04/2011

O EX-GOVERNADOR EM SEGUNDO PLANO, OBSERVA AS MATÉRIAS DO JORNAL DE ITAPECURU, AO LADO DO EX-DEPUTADO JOÃO EVANGELISTA. EM SEGUNDO PLANO, ATENCIOSO COM A MÍDIA, APESAR DA SUA ASSESSORIA...

O ex-governador Jackson Lago em entrevista coletiva sobre Segurança Pública...
Memória histórica: Jackson Lago atento ao que se passava na mídia...

JACKSON LAGO DESPEDE-SE DA VIDA ENTRA PARA A HISTÓRIA


O ex-governador Jackson Lago quando inaugurava
 calçamento de rua no município de Santa Rita-MA


A NOTÍCIA DA MORTE DO EX-GOVERNADOR JACKSON LAGO

O ex-governador e ex-prefeito de São Luís Jackson Lago, morreu aos 76 anos, na tarde de ontem, segunda-feira, dia 04 de abril de 2011, às 17h50, vítima de um câncer de próstata.

O ex-governador estava internado na Unidade Coronariana (UTI), do Hospital do Coração, em São Paulo.

Médico de formação, Jackson Lago foi governador do Maranhão de 2007 a 2009. Doutor Jackson também foi prefeito de São Luís por três mandatos 1989-1992; 1997-2000; 2001-2002. Além desses cargos políticos, Jackson Lago também foi deputado estadual.

O velório será na sede do PDT, na Rua dos Afogados, em São Luís,  atendendo a um desejo do ex-governador.



COMO FORMA DE RECONHECIMENTO, ESTE BLOG DIVULGARÁ FOTOS DO EX-GOVERNADOR EM VIDA, SEMPRE INAUGURANDO OBRAS, VISITANDO ESCOLAS, PARTICIPANDO DE SEMINÁRIOS E EM OUTRAS AÇÕES. A MAIORIA DESSAS IMAGENS, NEM A FAMÍLIA E NEM A MÍDIA DO MARANHÃO TÊM E FAZEM PARTE DE UM ACERVO QUE, AO LONGO DA MINHA VIDA PROFISSIONAL, TENHO ORGANIZADO. ACOMPANHE!




03/04/2011

Que Deus continue iluminado a minha madrinha Sabina

A minha homenagem a você do fundo do meu coração. Sabina Maria Marchado de Carvalho é uma funcionária aposentada da Seduc, com quem tive o privilégio de aprender a trabalhar na folha de pagamento da Secretaria de Estado da Educação. E olha que ela não ensinou só a mim.

Trata-se de uma pessoa de bom coração que sempre acolheu tantos que lhe procurem, dessa forma aprendi admirar-lhe e de ouvi seus conselhos atentamente e os tenho iguais a lições que se aprende nos compêndios da vida.

Dona Sabina, pessoa de elegância, fino trato e competência. Dei-me um presente quando a convidei para ser madrinha de formatura no Curso de Comunicação da Ufma. Assim presto-lhe esta homenagem rogando que Deus continue a abençoar a sua família.

Sei que se sentem também representados por esta homenagem os funcionários da Seduc, Washington, Bethinha, Remédios, Silvia, Muralice, Marisa, Evandro, Sandoval (in memorian), Luciano, Veloso, Jorge Ouro, e tantos outros.

Infelizmente, as pessoas que são nomeadas para os cargos na Seduc, principalmente para o Setor de Recursos Humanos não conhecem os funcionários e, com raríssimas e honrosas exceções, têm sensibilidade e disposição política para tal memória.

Neston no arquivo – Eu colocava a lata de neston dentro do arquivo do setor de freqüência para preparar merenda antes de ir para o cursinho. Dona Sabina comprava neston e biscoito e dizia que eu deveria estudar, mas precisava me alimentar. Eu usava a água quente das máquinas de passar café para fazer um mingau. Quem tem história bonita e limpa assim, vale apena expressar, principalmente quando se trata de um reconhecimento de grandeza como este.

Como não posso e não devo estragar a essencialidade desta homenagem, cumpri-me a tarefa de escrevê-la uma vez que os servidores da Educação que tem a magnitude de dona Sabina, fizeram-se chegar até aqui.

Nilson Ericeira

02/04/2011

O PT DE ARARI SE MOVIMENTA

O PT de Arari realizará, hoje dia 02 de abril, reunião de avaliação e discussão estratégica relacionada a assuntos políticos pertinentes à pasta.

Têm presenças confirmadas, Luís Fernando, João Brito, Lucivaldo, Cafezinho, Marly Queiroz,
Antônio de Nezoca, Silvio Pereira, Mahamed, Antônio Neto, Nilson Ericeira e outros companheiros.

Na pauta:

Discussão estratégica de alianças local, e em nível de Estado;

A discussão da não-valorização do quadro petista de Arari, no Governo do Estado, tendo em vista a aliança que elegeu Roseana (governadora) Washington (vice-governador);

Novas filiações;

Discussão de uma agenda permanente do PT;

Organização interna do PT;

Encontro do PT em Arari.

E outras sugestões em aberto.

Arari e a mitra da minha alma



Caminhos descalços
De pés no chão
Camisa rasgada no ombro
Cigarrilha incandescente
Pigarros constantes
No puxado da sorte
Proseiros, caminheiros...
E entre prosas e risos
Em um silêncio compartilhado
Apenas respondido no shuar das folhas ao tempo
Em caminhos e descaminhos e
Tocos em topadas que a vida fez
Histórias minhas, coisas nossas
Rumo ao Lago da sorte
Da morte que em vida alimenta vidas
E não só de peixes viveram aqueles homens
Mas de toda paisagem-gaivota
E sericoras, socós e gaviões...
E as piabinhas branquinhas igual à água
E caminham meticulosos cascas de uruás
E lisos em capins e marta sobreposta a terra
E deslizei naquela terra...
Que é chão tão liso quanto a barriga na espinha
E assim, pesqueiros de outrora me ensinara a amar
Na mira e mitra da minha imaginação
Lembrar-me de coisas nossas
Das minhas coisas, substratos da minha vida
E fé na minha alma
Que os bem-ti-vis acenam a uma nova prole
De espécies
E desse sonho real
Despeço-me por alguns segundos,
Apenas.

Nilson Ericeira

01/04/2011

E a luz!

Hoje, dia 01 de abril, sexta-feira, o vice-governador do Maranhão, Washington Oliveira, esteve no gabinete da Seduc, conforme havia me falado e para tratar também de assuntos da Educação do Maranhão.

Ontem, 31 de março, eu estive com o vice-governador, no Palácio Henrique de La Roque, às 18:20h, em seu gabinete. Coincidentemente encontre o prefeito de Altamira do Maranhão, o jornalista e professor Arnaldo, com quem tive o prazer de dialogar, uma vez que fomos companheiros de turma, no Curso de Comunicação, e também companheiro de muitas lutas no próprio PT.

Amanhã será um novo dia!