30/10/2010

ELEIÇÕES/2010 - outras imagens


Nilson Ericeira, interage sobre segurança pública
 com o sargento Beca, como é respeitosamente
conhecido e reconhecido pelas pessoas
de bem que moram em Arari.

Em Pimental, Nilson Ericeira fala ao povo, acompanhado
dos compnheiros Luis Fernando e Monteiro

25/10/2010

Reminiscência ou histórias da alma II

Reminiscência ou histórias da alma II
A hora do almoço na casa de Palaio


Era uma alegria geral. Colocávamos os tamboretinhos ou toquinhos de madeiras no chão e nossa vó Maria (Bibi) servia o almoço.

Minha vó colocava a comida nos pratos e renovava quantas vezes fossem necessárias. Meu avô Eulálio (Olaio) espiava a criança saciar a fome.

No que caiam farelos pelo chão, imediatamente ralhava: - Olha! Comam mas estraguem”, e tenha intento.

Éramos felizes. Nossa vó Maria vivia a lida de quem tinha que se virar para sobreviver numa vida difícil e doméstica. Ela ajudava o meu avó, fazendo azeite de côco (que cheiro bom), plantando na horta, colhendo, molhando as plantas e tirando madeira no Rio Mearim, para fazer lenha de fogão.

Meu avó pescava, campeava, botava carro-de-boi e vendia banana, frutas e legumes. Era assim a nossa vida rica. Lembro-me do pé de saboneteiro, da porteira e do acesso à beira do rio.

A casa de Olaio ficava exatamente onde passou a ponte Itapoã e que agora o cenário é completamente diferente.

Prece-poema

Prece-poema



Acordei com saudade de você


O tempo frio não me desconcentrou


Nem mesmo na aurora em nossa cidadezinha


Sentei-me no mesmo banco, na mesma praça


De frente para a igreja


E a matriz que nos vigiava solenimente


As andorinhas já se punham em seus cantos


Para, após algazarra febril,


Silenciarem...


Abrigos, moradas que as gerações cultivam


O rio, o tempo, o ar e o céu me embebeciam por ti


Hoje me nutrem de saudades


E ativismos.


Num instante, olhei para mim


Vi-me ao teu lado


Iguaiszinhos naquela aurora


Quando contávamos nossas histórias,


Nossos encantos e sonhos...


Olhei para ti, projetei-me novamente naqueles sonhos


Sonhos pueris, de meninos


E, em minha bicicleta velha, velozmente


Em pensamento fui a tua direção


Ao teu encontro


Vi-me na praça fazendo hora para vê você chegar


Com aquele traje colegial


Rosto de menina, passos de uma musa


E, como se, em minhas mãos, pudessem cruzar o que


No pensamento já se formara: o amor


Amor menino, pueril, intrépido, feliz!


E via-jante em sonhos


Sonhos que naquela praça vão-e-vem


Em outros afagares, em outros toques e risos


Vão e vem, divagam noutros encontros e


Desencontros que a vida faz,


Mas nas tuas mãos seguro ainda


Em cordas vocais


São veias aortas que me unem a ti


Refugiados num tempo pulsado no coração


Em outras cores e tons de um querer eterno


Que faz, fez-se em ti


E é essa morada em mim.


Nilson Ericeira

23/10/2010

Outras imagens da candidatura de Nilson Ericeira

Seu Antoniho Prazeres, seu filho Ivaldo Prazeres e Nilson Ericeira

16/10/2010

Estradas do Maranhão






A magem é muito forte, mas é o que se vê em várias Brs e Mas, no Maranhão e em outros estados do Brasil.

Em troca de alguns trocados famílias pedem dinheiro, podem ser algumas moedas. Neste caso, quando perguntado quanto ganhava por dia, o senhor que abre e tapa o buraco, numa espécie de simulação, disse: “uns trinta a trinta e cinco reais por dia, isso quando o dia tá bom, né sô”!

É cena do começo do mês de outubro de 2010, com um detalhe, essa estrada foi recuperada pelo governo Jackson Lago, em 2008.

Importantes cidades que esta rodovia facilita a vida da população.

Cajarí, Viana, Penalva, Pedro do Rosário, Matinha, Olinda Nova do Maranhão, São João Batista, São Vicente de Ferrer, Cajapió, Bacurituba, São Bento, Peri Mirim, Palmeirândia, chegando até Pinheiro.











12/10/2010

Poemará

O amor, apenas



Não quero você para uma transa,

apenas

Que você a vida inteira,

Apenas

Não quero você por um momento,

Apenas

Quero você o tempo inteiro,

Apenas

Quero do teu corpo meu necta,

Apenas

Não quero você assim distante,

Apenas

Quero você por inteiro,

Apenas

Mas quero você de corpo,

Na alma, apenas

Não quero você na minha solidão,

Apenas

Quero você na minha vida inteira,

Apenas...

NIlson Ericeira

DIA DOS PROFESSORES

E EDUCAÇÃO

Notáveis professores

Não é de hoje que se discutem melhores salários e condições de trabalho aos professores. Não é de hoje que se credita, às vezes, e injustamente o fracasso da educação a esses mestres que, apesar da vital importância, são apenas um dos agentes na engrenagem do saber e aprende a fazer fazendo, no aprender a ser, no aprender a conviver, no construir, no desconstruir e redescobrir, neste mundo “oficineiro” hoje tão injusto para os bem intencionados. O que se sabe é que o professor é um entre os diversos atores que influenciam diretamente na transformação de seres humanos e que para que isto aconteça realmente e na essência é vital que políticas públicas sejam sentidas por toda a sociedade, principalmente a que a política de educação seja efetiva, compacta, eficaz e responsável.

No Maranhão, os desafios e aspirações tomam contam dos atores da educação, pois a iminência da continuação de um novo governo, que necessariamente não é obrigado ser o mesmo, não pode e não deve se permitir cometer equívocos. Não obstante, na minha particular insipiência e de horizontes obscuros, vislumbro pequenas luzes nesse túnel repetitivo e costumeiro. Temos que ter necessariamente um novo caminho a seguir nessa política que, apesar de não ensejar resultados imediatos, mas que deva ser planejada a política educacional de agora em diante, para um período cheio de governo e assim a sociedade possa auferir melhores resultados nessa roça, digo, seara, que insiste em “coivarar” plantações inteiras em métodos corriqueiros.

No Maranhão, ainda se pensa e executa projetos e ações a cargo dos professores que, às vezes, são submetidos a salários aviltantes. Pensam, os “intelectuais”, na ação com o sentido no seu resultado imediato, sem levar em consideração, entretanto, da inconstitucionalidade do que receberá em salário o mestre para aquela safra. Que paradoxo! Nessa educação ainda existem aqueles que pensam que são o suprassumo da sapiência, mas não passam de pessoas desinformadas, malqueridas, desagregadoras, e o pior: submetemo-nos às suas ordens. Que paradoxo! Mas neste texto, ainda bem que também cabem os professores no seu eterno amor por seus alunos nos seus laboratórios que nos dias letivos emitem vozes de esperança para quem sabe, o Maranhão que se vive agora, seja a esperança de um Maranhão bem melhor e para as futuras gerações.

No Maranhão, há a esperança de creditarmos a nossos mestres os seus planos de cargos, as suas gratificações por mérito que de tão automáticas passam anos para serem implantadas, as suas condições de cidadania e que, a sua voz não somente seja ouvida, em passeatas, recursos últimos de suas reivindicações, ou, ainda, quando decidem radicalizar, fincar o pé, construir greves, chamar a atenção dos indiferentes. Esperamos que sejam planejadas as ações efetivas e que possamos dar saltos bem mais substanciais no sentido de que educação seja tratada no contexto de uma política macro, essencial e produtiva, como premissa primeira de uma política de desenvolvimento humano do nosso Estado, em que as pessoas sejam enxergadas em todo esse torrão.

Nossa homenagem no Maranhão é para os professores de todos os níveis, de todas as escolas, de todos os espaços, que comem, vestem-se, dormem e vivem: um ser com defeitos e virtudes, mas que da sociedade e do governo devem advir reflexões muito especiais. Só pensarmos que nossos filhos, em boa parte das horas estão aos cuidados e ensinamentos desses mestres. Só pensarmos que os nossos professores nos trouxeram até aqui e com muita justiça para render-lhes esta homenagem no Dia dos Professores. Esse som que escutamos agora é de cada sala de aula e de todos os lares maranhenses que os aplaudem com muita vibração.

A cordaremos todos os dias com muitas vozes que pretendem despertar milhares de seres humanos à construção de um mundo muito melhor. As salas de aula não podem e não devem ser silenciosas mesmo quando todos emudecem, pois ali está sendo semeada a esperança de um Maranhão melhor, mais justo, mais irmão, mais emergente no sentido de que todos os seus filhos devem e precisam ser acolhidos com justiça e grandeza. A mesma grandeza com que nos chamam e nos assediam na época das eleições, talvez! É assim que interagem os professores do Maranhão e, é assim, que segurando as nossas mãos transformam nossa visão, reconhecem os nossos traços e nos fazem buriladores de textos como este que é lavra de todos que me apontaram e me apontam os caminhos da justiça e da nobreza, da honestidade nas relações e na acepção mais plena desta expressão. Parabéns professores do Maranhão!

Nilson de Jesus Ericeira Sousa

Poeta, jornalista, professor, psicopedagogo e est. de Direito

Blog: HTTP://ribanceiramaranhense.blogspot.com

ELEIÇÕES/2010


Nilson Ericeira agradece votos recebidos em Arari


O ex-candidato a deputado estadual, o jornalista Nilson Ericeira, concedeu entrevista na Rádio Progresso FM, de Arari, sábado dia 9 de outubro. A entrevista desse dia foi conduzida por Cleilson e dia 10, domingo, por Zeca Lobo.

Na primeira entrevista, Nilson Ericeira agradeceu os votos que obteve em Arari, e em todo o Maranhão. Enfatizou a importância de sua família nesse pleito (seus pais, seus tios, irmãos, primos e demais parentes) ao mesmo tempo em que agradeceu a honrosa ajuda dos amigos e dos que entenderam que política se faz com coerência, ética, seriedade e, principalmente, respeito ao ser humano. Razões de permanecer na luta, segundo ele próprio declarou.

Já domingo, dia 10 de outubro, Nilson Ericeira, foi entrevistado por Zeca Lobo, no programa “Companhia do Brega”. A irreverência e inteligência de Zeca Lobo somaram-se a retórica de Nilson Ericeira que interagiram sobre política, educação, saneamento básico e, principalmente o nível de vida de muitos moradores de Arari. Nesse sentido, o entrevistador tirou dois pontos positivos e dois negativos na visão do entrevistado, na disputa eleitoral.


Os ouvintes participaram ativamente do programa demonstrando carinho e respeito por Nilson Ericeira, ao mesmo tempo em que aproveitaram para saber qual o futuro político do ex-candidato a Deputado estadual.

Inteligentemente Zeca Lobo ofereceu uma palavra para que Nilson Ericeira agradecesse ou demonstrasse o que aconteceu na campanha.

No que Nilson Ericeira valeu-se da expressão: ”solidariedade.”

Quando o foi facultado que formulasse uma frase:

Ele respondeu prontamente: “Deus é maior que tudo.”


Dando prosseguimento a entrevista, Nilson Ericeira interagiu com os ouvintes Antônio Neto, com senhor João e, por último, com José Luís, que procurou saber se o mesmo era pré-candidato a prefeito de Arari.

08/10/2010

EDUCAÇÃO

E EDUCAÇÃO

Notáveis professores

Não é de hoje que se discutem melhores salários e condições de trabalho aos professores. Não é de hoje que se credita, às vezes, e injustamente o fracasso da educação a esses mestres que, apesar da vital importância, são apenas um dos agentes na engrenagem do saber e aprende a fazer fazendo, no aprender a ser, no aprender a conviver, no construir, no desconstruir e redescobrir, neste mundo “oficineiro” hoje tão injusto para os bem intencionados. O que se sabe é que o professor é um entre os diversos atores que influenciam diretamente na transformação de seres humanos e que para que isto aconteça realmente e na essência é vital que políticas públicas sejam sentidas por toda a sociedade, principalmente a que a política de educação seja efetiva, compacta, eficaz e responsável.

No Maranhão, os desafios e aspirações tomam contam dos atores da educação, pois a iminência da continuação de um novo governo, que necessariamente não é obrigado ser o mesmo, não pode e não deve se permitir cometer equívocos. Não obstante, na minha particular insipiência e de horizontes obscuros, vislumbro pequenas luzes nesse túnel repetitivo e costumeiro. Temos que ter necessariamente um novo caminho a seguir nessa política que, apesar de não ensejar resultados imediatos, mas que deva ser planejada a política educacional de agora em diante, para um período cheio de governo e assim a sociedade possa auferir melhores resultados nessa roça, digo, seara, que insiste em “coivarar” plantações inteiras em métodos corriqueiros.

No Maranhão, ainda se pensa e executa projetos e ações a cargo dos professores que, às vezes, são submetidos a salários aviltantes. Pensam, os “intelectuais”, na ação com o sentido no seu resultado imediato, sem levar em consideração, entretanto, da inconstitucionalidade do que receberá em salário o mestre para aquela safra. Que paradoxo! Nessa educação ainda existem aqueles que pensam que são o suprassumo da sapiência, mas não passam de pessoas desinformadas, malqueridas, desagregadoras, e o pior: submetemo-nos às suas ordens. Que paradoxo! Mas neste texto, ainda bem que também cabem os professores no seu eterno amor por seus alunos nos seus laboratórios que nos dias letivos emitem vozes de esperança para quem sabe, o Maranhão que se vive agora, seja a esperança de um Maranhão bem melhor e para as futuras gerações.

No Maranhão, há a esperança de creditarmos a nossos mestres os seus planos de cargos, as suas gratificações por mérito que de tão automáticas passam anos para serem implantadas, as suas condições de cidadania e que, a sua voz não somente seja ouvida, em passeatas, recursos últimos de suas reivindicações, ou, ainda, quando decidem radicalizar, fincar o pé, construir greves, chamar a atenção dos indiferentes. Esperamos que sejam planejadas as ações efetivas e que possamos dar saltos bem mais substanciais no sentido de que educação seja tratada no contexto de uma política macro, essencial e produtiva, como premissa primeira de uma política de desenvolvimento humano do nosso Estado, em que as pessoas sejam enxergadas em todo esse torrão.

Nossa homenagem no Maranhão é para os professores de todos os níveis, de todas as escolas, de todos os espaços, que comem, vestem-se, dormem e vivem: um ser com defeitos e virtudes, mas que da sociedade e do governo devem advir reflexões muito especiais. Só pensarmos que nossos filhos, em boa parte das horas estão aos cuidados e ensinamentos desses mestres. Só pensarmos que os nossos professores nos trouxeram até aqui e com muita justiça para render-lhes esta homenagem no Dia dos Professores. Esse som que escutamos agora é de cada sala de aula e de todos os lares maranhenses que os aplaudem com muita vibração.

Acordaremos todos os dias com muitas vozes que pretendem despertar milhares de seres humanos à construção de um mundo muito melhor. As salas de aula não podem e não devem ser silenciosas mesmo quando todos emudecem, pois ali está sendo semeada a esperança de um Maranhão melhor, mais justo, mais irmão, mais emergente no sentido de que todos os seus filhos devem e precisam ser acolhidos com justiça e grandeza. A mesma grandeza com que nos chamam e nos assediam na época das eleições, talvez! É assim que interagem os professores do Maranhão e, é assim, que segurando as nossas mãos transformam nossa visão, reconhecem os nossos traços e nos fazem buriladores de textos como este que é lavra de todos que me apontaram e me apontam os caminhos da justiça e da nobreza, da honestidade nas relações e na acepção mais plena desta expressão. Parabéns professores do Maranhão!

Nilson de Jesus Ericeira Sousa

Poeta, jornalista, professor, psicopedagogo e est. de Direito

Blog: ribanceiramaranhense.blogspot.com

EDUCAÇÃO






E EDUCAÇÃO

Notáveis professores
Uma homenagem aos professores do Maranhão

Não é de hoje que se discutem melhores salários e condições de trabalho aos professores. Não é de hoje que se credita, às vezes, e injustamente o fracasso da educação a esses mestres que, apesar da vital importância, são apenas um dos agentes na engrenagem do saber e aprende a fazer fazendo, no aprender a ser, no aprender a conviver, no construir, no desconstruir e redescobrir, neste mundo “oficineiro” hoje tão injusto para os bem intencionados. O que se sabe é que o professor é um entre os diversos atores que influenciam diretamente na transformação de seres humanos e que para que isto aconteça realmente e na essência é vital que políticas públicas sejam sentidas por toda a sociedade, principalmente a que a política de educação seja efetiva, compacta, eficaz e responsável.

No Maranhão, os desafios e aspirações tomam contam dos atores da educação, pois a iminência da continuação de um novo governo, que necessariamente não é obrigado ser o mesmo, não pode e não deve se permitir cometer equívocos. Não obstante, na minha particular insipiência e de horizontes obscuros, vislumbro pequenas luzes nesse túnel repetitivo e costumeiro. Temos que ter necessariamente um novo caminho a seguir nessa política que, apesar de não ensejar resultados imediatos, mas que deva ser planejada a política educacional de agora em diante, para um período cheio de governo e assim a sociedade possa auferir melhores resultados nessa roça, digo, seara, que insiste em “coivarar” plantações inteiras em métodos corriqueiros.

No Maranhão, ainda se pensa e executa projetos e ações a cargo dos professores que, às vezes, são submetidos a salários aviltantes. Pensam, os “intelectuais”, na ação com o sentido no seu resultado imediato, sem levar em consideração, entretanto, da inconstitucionalidade do que receberá em salário o mestre para aquela safra. Que paradoxo! Nessa educação ainda existem aqueles que pensam que são o suprassumo da sapiência, mas não passam de pessoas desinformadas, malqueridas, desagregadoras, e o pior: submetemo-nos às suas ordens. Que paradoxo! Mas neste texto, ainda bem que também cabem os professores no seu eterno amor por seus alunos nos seus laboratórios que nos dias letivos emitem vozes de esperança para quem sabe, o Maranhão que se vive agora, seja a esperança de um Maranhão bem melhor e para as futuras gerações.

No Maranhão, há a esperança de creditarmos a nossos mestres os seus planos de cargos, as suas gratificações por mérito que de tão automáticas passam anos para serem implantadas, as suas condições de cidadania e que, a sua voz não somente seja ouvida, em passeatas, recursos últimos de suas reivindicações, ou, ainda, quando decidem radicalizar, fincar o pé, construir greves, chamar a atenção dos indiferentes. Esperamos que sejam planejadas as ações efetivas e que possamos dar saltos bem mais substanciais no sentido de que educação seja tratada no contexto de uma política macro, essencial e produtiva, como premissa primeira de uma política de desenvolvimento humano do nosso Estado, em que as pessoas sejam enxergadas em todo esse torrão.

Nossa homenagem no Maranhão é para os professores de todos os níveis, de todas as escolas, de todos os espaços, que comem, vestem-se, dormem e vivem: um ser com defeitos e virtudes, mas que da sociedade e do governo devem advir reflexões muito especiais. Só pensarmos que nossos filhos, em boa parte das horas estão aos cuidados e ensinamentos desses mestres. Só pensarmos que os nossos professores nos trouxeram até aqui e com muita justiça para render-lhes esta homenagem no Dia dos Professores. Esse som que escutamos agora é de cada sala de aula e de todos os lares maranhenses que os aplaudem com muita vibração.

Acordaremos todos os dias com muitas vozes que pretendem despertar milhares de seres humanos à construção de um mundo muito melhor. As salas de aula não podem e não devem ser silenciosas mesmo quando todos emudecem, pois ali está sendo semeada a esperança de um Maranhão melhor, mais justo, mais irmão, mais emergente no sentido de que todos os seus filhos devem e precisam ser acolhidos com justiça e grandeza. A mesma grandeza com que nos chamam e nos assediam na época das eleições, talvez! É assim que interagem os professores do Maranhão e, é assim, que segurando as nossas mãos transformam nossa visão, reconhecem os nossos traços e nos fazem buriladores de textos como este que é lavra de todos que me apontaram e me apontam os caminhos da justiça e da nobreza, da honestidade nas relações e na acepção mais plena desta expressão. Parabéns professores do Maranhão!

Nilson de Jesus Ericeira Sousa

Poeta, jornalista, professor, psicopedagogo e est. de Direito

Blog: ribanceiramaranhense.blogspot.com

06/10/2010

ELEIÇÕES/2010

Conterrâneos do Maranhão,

Em face do pleito eleitoral do qual disputei a uma vaga de Deputado Estadual, agradeço honrosamente os 315 votos recebidos em Arari, totalizando 814, em todo o Maranhão.

Com esse mesmo sentimento, agradeço ainda os 605 votos confiados a Monteiro – na condição de candidato a Deputado Federal - e os 10.535 votos para Dilma Rousseff. Sentido em que prosseguiremos na luta, neste segundo turno, com objetivo de elegermos Dilma – Presidente.

Declaro que em nenhum momento tenho sentimento de frustração ou desânimo, em razão das dificuldades que enfrentamos. Que sou militante e fundador do PT e pauto a minha vida no amor ao próximo, na honestidade, seriedade e retidão de caráter, valores que julgo necessários para quem faz política com seriedade e profundo respeito ao ser humano. Desse modo, tenho certeza que continuaremos seguindo firmes na esperança de conquistarmos dias muito melhores para todos.

Dirijo-me aos companheiros que me ajudaram a semear as sementes desta luta em Arari e no Maranhão e, fiquem certos, de que serei eternamente grato e que a nossa luta não será em vão.

Com o apreço de um amigo e o abraço de um irmão.

Nilson Ericeira



05/10/2010

ELEIÇÕES/2010

 Nosso comitê eleitoral
 Nilson Ericeira cumprimenta as pessoas que conduziram os trabalhos na seções eleitorais
 Nilson Ericeira dialoga sobre políticas com eleitores em Arari
 Com um amigo: um afetuoso abraço e confiança mútua
Com dona Eliesita Ericeira Sousa, uma mulher de fibra e coragem, a expressão de um amor incondicional.
Valeu mãe, você é tudo para nós...

ELEIÇÕES/2010





Votos de agradecimento


Em face do pleito eleitoral do qual disputei a uma vaga de Deputado Estadual, agradeço honrosamente os votos recebidos em Arari, minha terra Natal, e em alguns municípios do Maranhão.

De igual modo que, em nenhum momento nutro algum sentimento de frustração ou desalento, em razão das dificuldades que enfrentamos, pois sou militante fundador do PT e sempre pautei a minha vida no amor ao próximo, honestidade, seriedade, retidão de caráter, valores que julgo imprescindíveis para quem faz política com seriedade e respeito ao ser humano. Desse modo, tenho certeza que continuaremos seguindo firmes na esperança de que dias muito melhores ainda virão.

Com esse mesmo sentimento, agradeço ainda os votos confiados a Raimundo Monteiro para Deputado Federal e Dilma Rousseff para Presidente da República.

Dirijo-me aos companheiros que me ajudaram a semear as sementes desta luta em Arari e no Maranhão e, fiquem certos, de que serei eternamente grato e que a nossa luta não é em vão.

Com o apreço de um amigo e o abraço de um irmão.

Nilson Ericeira